PUBLICIDADE
Com medo, comerciantes da Rua João Dembinski, na CIC, fecharam as lojas mais cedo após a ameaça de traficantes |
Com medo, comerciantes da Rua João Dembinski, na CIC, fecharam as lojas mais cedo após a ameaça de traficantes
Violência

Tráfico impõe toque de recolher na CIC

Em menos de dez dias, dois adultos e três adolescentes foram assassinados na Vila Sandra. Comunidade está aterrorizada

Tráfico impõe toque de recolher na CIC Ampliar

Anteontem, 40% dos estudantes do Colégio Estadual Teotônio Vilela, que atende 1,7 mil alunos na Vila Sandra, faltaram às aulas por medo. Dois jovens mortos nos últimos dias estavam matriculados na escola. Ontem, a direção da instituição e o corpo docente se reuniram para discutir o problema. “O medo da comunidade, infelizmente, acaba refletindo na presença dos alunos”, afirma o diretor Darci Cláudio Jasper. Violência

Os moradores afirmam que a situação de violência não é de hoje, mas desde a morte da primeira vítima, um adolescente de 15 anos, no dia 25 de agosto, a comunidade passou a sofrer mais os efeitos da falta de segurança. Uma amiga dos jovens mortos, que não quer ser identificada, contou que existem pelo menos três grupos rivais na região: um deles comanda o tráfico da Vila Sandra e começou a matar integrantes de outros grupos, por causa de dívidas com drogas.

“Eles mataram o primeiro e o irmão deste rapaz morto agora quer vingança. O grupo de traficantes começou então com o toque de recolher”, afirmou a jovem. Ela disse que existe uma lista de pessoas a serem mortas e que pelo menos 15 delas deixaram a vila por medida de segurança. Comer­­ciantes da Rua João Dembinski, que respeitaram o toque de recolher na sexta-feira, afirmam estar com medo. Algumas lojas continuam fechando mais cedo, outras voltaram a funcionar no horário normal.

A delegada titular da Delegacia de Homicídios, Maritza Haisi, afirmou que as mortes na Vila Sandra estão sendo investigadas e que já tem nomes de alguns suspeitos. “Estamos verificando se realmente existe ligação entre essas mortes. Ainda não temos uma resposta positiva sobre isso”, explicou. Sobre o toque de recolher, a polícia não confirma a veracidade dessa informação. Boato ou não, a Polícia Militar informou que está fazendo rondas no bairro.

Brincadeira

O Colégio Estadual Domingos Zanlorenzi, no Jardim Gabineto, também na CIC, deveria receber cerca de 300 alunos ontem no turno da tarde, mas apenas 30 foram à aula. Um suposto cartaz colado na frente da escola teria ameaçado alguns estudantes de morte. Houve ainda boatos de que a escola seria alvo de uma chacina. “Os pais, receosos, preferiram deixar os filhos em casa”, afirmou um funcionário que não quer ser identificado.

A polícia esteve no colégio, olhou as gravações das câmeras de segurança e não encontrou nenhum cartaz sendo colado na fachada da instituição. Aparen­­temente tudo não passou de uma brincadeira. “Pode ser uma manobra dos alunos para faltar aula”, disse o funcionário.

PUBLICIDADE
    • SELECIONADO PELO EDITOR
    • NOTÍCIAS MAIS COMENTADAS
    • QUEM MAIS COMENTOU
    Assine a Gazeta do Povo
    • A Cobertura Mais Completa
      Gazeta do Povo

      A Cobertura Mais Completa

      Assine o plano completo da Gazeta do Povo e receba as edições impressas todos os dias da semana + acesso ilimitado no celular, computador e tablet. Tenha a cobertura mais completa do Paraná com a opinião e credibilidade dos melhores colunistas!

      Tudo isso por apenas

      12x de
      R$49,90

      Assine agora!
    • Experimente o Digital de Graça
      Gazeta do Povo

      Experimente o Digital de Graça!

      Assine agora o plano digital e tenha acesso ilimitado da Gazeta do Povo no aplicativo tablet, celular e computador. E mais: o primeiro mês é gratuito sem qualquer compromisso de continuidade!

      Após o período teste,
      você paga apenas

      R$29,90
      por mês!

      Quero Experimentar
    VOLTAR AO TOPO