Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Caro usuário, por favor clique aqui e refaça seu login para aproveitar uma navegação ainda melhor em nosso portal. FECHAR
PUBLICIDADE

marketing

Atlético e Havan negociam nova parceria e empresa comenta naming rights da Arena

Furacão tem patrocínio da empresa catarinense na camisa e procura contrato de naming rights para o estádio

  • Julio Filho
  • Atualizado em às
Fachadas da loja e da empresa: possíveis parcerias para o futuro. | Arquivo Gazeta do Povo
Fachadas da loja e da empresa: possíveis parcerias para o futuro. Arquivo Gazeta do Povo
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Patrocinadora das mangas da camisa do Atlético desde novembro do ano passado, a empresa catarinense Havan estuda novas parcerias com o Furacão.

Nos bastidores do clube, assim como em grupos de torcedores nas redes sociais, circula a informação de que a Havan estaria fechando um contrato de naming rights com o Atlético para “rebatizar” a Arena da Baixada, que ficaria com o nome Arena Havan. Há, inclusive, menções sobre valores do suposto acordo.

>> BRASILEIRÃO 2018: veja a tabela completa da Série A

>> COPA DO BRASIL: confira os resultados e o chaveamento completo do torneio

“Neste momento [a questão dos naming rights], é um boato. Não que a empresa esteja fechando as portas. Futuras parcerias estão sendo estudadas com o Atlético”, explica, via assessoria de imprensa, o responsável pelos contatos da empresa catarinense com entidades esportivas, Lucas Hang – ele é filho de Luciano Hang, dono da Havan, que não esconde a simpatia pelo futebol [veja o perfil].

Em uma postagem antiga em sua conta no Facebook, inclusive, Lucas Hang demonstrou ser torcedor do Furacão.

Oficialmente, o Atlético nega qualquer acordo por naming rights. “Para acabar com os boatos, informamos que nenhum contrato de Naming Rights foi firmado entre o CAP e a Havan. Mais completa loja de departamentos do Brasil, com mais de 30 anos no mercado e 114 lojas em funcionamento, a Havan seguirá sendo uma das patrocinadoras do Furacão”, postou o clube em suas redes sociais.

A busca pela venda dos naming rights da Baixada é uma promessa da diretoria atleticana. Mas, assim com outros clubes brasileiros, o Atlético vem encontrando dificuldades em achar um parceiro.

Na Série A do Brasileirão, apenas Palmeiras e Bahia mantêm acordo pelos direitos dos nomes de suas praças esportivas. No clube paulista, a empresa alemã Allianz batiza a arena, em um contrato fechado em 2013, válido por 20 anos, em um valor de cerca de R$ 300 milhões.

Já o Bahia também fechou contrato de naming rights em 2013, com a cervejaria Petrópolis. O contrato inicial previa aporte de R$ 10 milhões por ano, válido por uma década. O modelo, entretanto, foi revisto e atualmente o clube baiano recebe cerca de R$ 3 milhões por ano.

VEJA TAMBÉM:

>> PARANAENSE 2018: confira os próximos jogos e a classificação do Estadual

>> SÉRIE B: confira a tabela completa da Segundona

>> LIBERTADORES: veja como ficaram os grupos e os duelos da fase preliminar

>> COPA SUL-AMERICANA: veja todos os confrontos do mata-mata continental

>> MERCADO DA BOLA: acompanhe o vai e vem de atletas nos principais clubes brasileiros

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Esportes

PUBLICIDADE