Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

story
Enkontra.com
PUBLICIDADE

patrimônio

Flamengo se inspira na Arena da Baixada para construir Estádio da Gávea

Flamengo treinou na Arena da Baixada antes de partida na Libertadores. | Hugo Harada/Gazeta do Povo
Flamengo treinou na Arena da Baixada antes de partida na Libertadores. Hugo Harada/Gazeta do Povo
 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

Planejando construir um estádio próprio, o Flamengo busca inspiração na Arena da Baixada, casa do Atlético, remodelada para a disputa da Copa do Mundo de 2014. O presidente do clube carioca, Eduardo Bandeira de Mello, assinou nesta sexta-feira (12), ao lado do prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, um protocolo de intenção para a construção do Estádio da Gávea.

TABELA: confira os jogos da Série A do Brasileiro

Segundo o dirigente rubro-negro, a Baixada serve de exemplo por ser um modelo de eficiência. “O custo [das obras] eu não vou chutar, porque isso depende do projeto, mas não vai fugir aos estádios mais eficientes, como a Arena da Baixada, que tem um custo por torcedor bastante interessante”, afirmou. “Vamos ter um estádio bonito, funcional e interessante”, prosseguiu.

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2017/05/12/Esportes/Imagens/Cortadas/05.12 - bandeira de mello-ka7F-ID000002-1024x682@GP-Web.jpg
Presidente do Flamengo ao lado do prefeito do Rio. Staff Imagens

O Flamengo planeja erguer um estádio com capacidade para 25 mil pessoas, com acústica inspirada na Allianz Parque, do Palmeiras. Neste Campeonato Brasileiro, o Fla mandará suas partidas no Estádio Luso-Brasileiro, na Ilha do Governador. Já nos jogos de grande porte, o clube mantém aberta a perspectiva de atuar no Maracanã.

Inicialmente, as obras da Baixada para a Copa foram estimadas em R$ 184 milhões. Já o valor final da construção foi de R$ 354 milhões, disparidade que gera uma batalha entre o Furacão, a prefeitura de Curitiba e o governo do Paraná, que assinaram um acordo tripartite para bancar os custos.

O clube defende a divisão do valor final da obra entre as partes, enquanto estado e prefeitura aceitam apenas a divisão do montante inicial - situação que pode resultar no leilão do estádio . A casa atleticana também ainda não se paga , ou seja, o faturamento obtido com o estádio é pequeno se comparado à dívida atleticana por sua construção.

Siga a Gazeta do Povo e acompanhe mais novidades

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Esportes

PUBLICIDADE