Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Campeonato Paranaense

Fechar
PUBLICIDADE

Paranaense

Oliveira vira psicólogo para fazer o K9 feliz

Técnico coxa quer usar o tempo que Keirrison ficará se recuperando da lesão no joelho para acabar com a “tristeza do atacante”

Marcelo Oliveira quer recuperar o atacante Keirrison psicologicamente |
Marcelo Oliveira quer recuperar o atacante Keirrison psicologicamente
 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

O técnico Marcelo Oliveira terá uma missão bem diferente da que está acostumado até contar efetivamente com a principal contratação do Coritiba para a tem­­porada: Keirrison. Sem po­­der treinar o atleta em campo, Oliveira planeja uma espécie de orientação psicológica no período que antecede o retorno do jo­­gador aos gramados.

Entusiasta da contratação do centroavante, o treinador não esconde a preocupação com as últimas performances do K9, principalmente no Santos e Cru­­zeiro, quando percebeu “falta de alegria do atacante para jogar futebol”. Assim, nos cerca de qua­­tro meses necessários para que o jogador finalize a recuperação do joelho direito, o comandante espera, com muita conversa, ajudar Keirrison na sua rea­­dap­­tação ao Coritiba.

“A espera pela recuperação é ine­­vitável. A gente tem de aguar­­dar. Enquanto isso va­­mos estar aí dando força, conversando, faremos também um trabalho de orientação”, afirmou Oliveira, que voltou a lembrar da última impressão que teve do atacante nos gramados.

“Eu até disse que das últimas vezes que vi o Keirrison jogar ele estava com uma ex­­pressão muito triste, muito carregada. Mas isso aí cabe ao técnico criar um bom ambiente, mostrar ao jogador que ele vai aqui, com a adaptação que já tem, mostrar novamente aquilo tudo que fez no inicio da carreira.”

A boa recepção não será ape­­nas do treinador, mas de todo o grupo. Nem mesmo o setor ofensivo, que ganhou quatro meses de pressão extra com a sombra do K9, parece preocupado. “O pessoal recebeu o Keirrison com muito ca­­rinho. Jogador que tem uma qualidade indiscutível, apesar de passar uma fase ruim e de­­pois uma cirurgia. Mas quem sabe não desaprende”, afirmou o atacante Roberto, que forma a nova dupla de ataque com Anderson Aquino.

O jogador, no entanto, fez ques­­tão de lembrar que a re­­ceptividade é uma coisa, titularidade, ou­­­tra. “Ninguém tem posição ga­­­­­­ran­­­tida. O Coritiba tem jo­­­ga­­­­dores de qualidade”, alertou.

Siga a Gazeta do Povo e acompanhe mais novidades

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Esportes

PUBLICIDADE
Acompanhe a Gazeta do Povo nas redes sociais