Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Enkontra.com
PUBLICIDADE

mercado

‘Fiasco’, ‘temerário’, ‘piada’... especialistas avaliam Ronaldinho no Coritiba

  • Fernando Rudnick
 | Ilustração Felipe Mayerie/Gazeta do Povo
Ilustração Felipe Mayerie/Gazeta do Povo
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Especialistas em marketing e gestão esportiva procurados pela Gazeta do Povo garantem que a contratação de Ronaldinho Gaúcho pelo Coritiba tem tudo para ser um fiasco. O motivo é o histórico recente do jogador, que desde setembro de 2015 não atua regularmente, e a possibilidade de alto investimento por parte do Coxa .

LEIA MAIS: O que está por trás da bomba de Ronaldinho Gaúcho no Coritiba

“Seria o maior fiasco da história, uma piada. Tenho pena de quem teve a ideia. Não é porque é famoso que vai servir para o marketing”, crava o consultor Amir Somoggi.

“Acho absolutamente temerário. Claramente já foi tentado em outros lugares e deu errado”, concorda o editor do site Má­­quina do Esporte, Erich Beting.

Na visão de ambos, a aposta é arriscada demais. O benefício (se houver) seria mínimo, como um aumento no número de sócios e da bilheteria do estádio. O caso do Flu serve de aviso.

“Marqueteiramente, acho que já não vale. O retorno vai durar um mês. Localmente, o Fluminense tem menos força do que proporcionalmente o Coritiba tem, mas o Ronaldinho não se pagou lá. Pelo contrário. E acho difícil de se pagar agora”, analisa Beting, que ressalta a necessidade de uma resposta do jogador em campo – o que não acontece desde a passagem do gaúcho pelo Atlético-MG.

O título da Libertadores de 2013 foi o último brilho do astro. “O torcedor está indo na onda e quer resultado esportivo. Dez anos atrás o cara era melhor do mundo. A torcida quer o Ronaldinho fantástico. Imagina se o time começa a ir mal no Brasileiro, a brigar contra rebaixamento? Para gerar receita, precisa do mínimo de desempenho”, ressalta o jornalista.

Para Somoggi, a tática de contratar grandes nomes em fim de carreira não funciona para alavancar as finanças de um clube. O ideal, segundo ele, é seguir o caminho contrário.

“O Seedorf, por exemplo, ajudou em campo, mas arrebentou as finanças do Botafogo. Acho que o correto é buscar alguém novo, como o argentino Calleri, trabalhar a marca dele, construir uma história com o clube. O Ronaldinho é ex-jogador. Se o Coritiba quer ser respeitado, tem de buscar alternativas”, diz o consultor.

“Não vejo nenhum ponto positivo. Vale mais a pena pegar esse dinheiro e aplicar em ações de marketing para expandir a marca do time”, emenda.

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Esportes

PUBLICIDADE