Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Enkontra.com
PUBLICIDADE

Triatlo

Paulista atropela cachorro, cai, mas vence Sesc Triathlon em Caiobá

Animal atravessou a pista e Caroline Pereira não conseguiu desviar. Provas feminina e masculina foram dominadas por atletas de São Paulo

  • Diego Ribeiro
Caroline Pereira atropelou um cachorro, caiu e feriu as costas. | Daniel Castellano / Gazeta do Povo
Caroline Pereira atropelou um cachorro, caiu e feriu as costas. Daniel Castellano / Gazeta do Povo
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

A 27.ª edição do tradicional Sesc Triathlon Caiobá, disputada neste domingo (8), terminou com vitória de Caroline Pereira, de Campinas, na prova feminina e Marcus Vinicius Fernandes, de Santos, na disputa masculina. Os dois tiveram razoável vantagem para os segundos colocados, mas enfrentaram circunstâncias adversas.

Caroline caiu durante a segunda volta da corrida de bicicleta após atropelar um cachorro. Quando fez a volta, próximo à Praia Mansa de Caiobá, depois da natação, o animal se atravessou a pista e entrou no caminho da atleta, que não teve tempo de desviar. A campinense caiu com as costas no chão e bateu a cabeça. Mesmo assim, conseguiu chegar em primeiro. O cachorro saiu correndo e não foi mais visto.

“Acertei ele em cheio. Eu estava com vantagem. Não foi a prova dos meus sonhos, mas é bom ganhar uma prova tão tradicional como essa”, afirmou, após receber atendimento médico. Com ferimentos nas costas e dores de cabeça, a atleta concluiu a prova em 2h22min41seg, enquanto sua principal rival, a santista Priscila Rocha, concluiu o trajeto cinco minutos depois.

A chuva fina da manhã também dificultou a disputa. Os atletas tiveram de enfrentar a forte correnteza nos 1,5 mil metros de natação, além da pista molhada no trajeto de 40 quilômetros de bicicleta e nos 10 quilômetros de corrida.

Paradinha

Na prova masculina, Marcus conseguiu chegar com tanta vantagem que até parou para pegar seu filho Pedro no colo antes de completar a prova. Ele conseguiu a marca de 1h56min46seg, enquanto seu principal oponente na corrida, Luiz Francisco de Paiva Ferreira, de Balneário Camboriú, marcou 1h57min58seg. “Cada prova é uma prova. Hoje o mar estava puxando bem, mas consegui boa vantagem”, afirmou. Ao completar a prova, Marcus colocou a medalha no pescoço do filho Pedro. “Ele é minha inspiração. Nada mais gostoso que chegar com ele no colo”, comemorou.

Esta é a segunda prova que Marcus vence de ponta a ponta em sete dias. Na semana passada, ele ganhou o Triathlon Internacional de Santos, sua cidade natal. Ele já havia sido campeão da categoria amador do Sesc Triathlon Caiobá em 2006.

Amador

Os dois primeiros colocados na categoria amador, Francisco Viana Neto, 29 anos, e Vanessa Cabrini, 43, tiveram que deixar de lado longos períodos de inatividade para recomeçar os treinos e atingir o topo no Sesc Triathlon Caiobá.

Vanessa se dedicou durante quatro anos à maternidade e voltou a treinar apenas em novembro. “Fui atleta da elite e fiquei quatro anos parada. Mesmo assim, treinei mais corrida. Natação duas vezes por semana só e bike só nos domingos”, contou ela, que também faz corridas de montanha.

Já Francisco ficou seis meses sem treinar em razão de uma tendinite na patela da parte direita. Ele se machucou correndo no ano passado. Bombeiro em Londrina, Norte do Paraná, ele não conseguiu parar e voltou a treinar há um mês. “Me preparei todos os dias. Sabe que temos uma carga muito alta de treino. Mas hoje eu vim para ganhar”, comentou, após passar a linha de chagada.

Estreia aos 50

A novata Kátia Ronke, 50 anos, não tinha participado um triatlo até este domingo. Corredora de carteirinha, sentiu dificuldades para completar a prova, mas terminou os percursos com alegria e satisfação. “É indescritível a satisfação pessoal”, comentou, já com um copo de refrigerante para repor as energias.

“Faltou gás na bike. Não estou acostumada. Só corria e nadava”, comentou. A vontade de participar das três provas de uma vez cresceu durante o treino de corrida. “Fui incentivada pelo meu treinador. E adorei. Ano que vem tem mais. Fiquei impressionada com a organização. É tudo muito seguro”.

Superação

O curitibano Marlus Bertoli, 30 anos, pega onda no Pico de Matinhos desde os oito anos de idade. Mesmo com tamanha experiência dentro do mar, não esperava sofrer o acidente no dia 5 de outubro de 2012 que o deixaria dias em coma, com traumatismo craniano e meses de tratamento. Além do surfe, já praticava triatlo havia alguns anos, quando teve que dar um tempo para se recuperar.

“Estava surfando no Pico, em Matinhos, quando o surfista que estava na minha frente soltou a prancha. Ela atingiu minha cabeça. Me tiraram da água e eu fiquei em coma”, contou, emocionado.

Em 2014, começou o final do ciclo de recuperação quando, finalmente bem, reuniu um grupo de amigos que haviam feito uma promessa e foram de bicicleta até Aparecida do Norte, onde tatuou a imagem da santa no braço. No mesmo ano aconteceu o retorno de Marlus ao Sesc Triathlon Caiobá. Neste ano, consolidou seu retorno participando de sua sétima prova no balneário paranaense.

Amor de pai

A 27. ª edição do Sesc Triathlon Caiobá reservou uma trajetória especial para o atleta José Rosa das Neves, 47 anos. Foi ainda mais importante para o filho dele, Elkier, 22, deficiente físico, o que não o impede de acompanhar o pai. Isso porque Neves conseguiu, com apoio de familiares, amigos e empresários, um material novo que adaptou à antiga cadeira de rodas, usada na prova do ano passado -- que a deixou mais leve e confortável para Elkier.

O rapaz depende de uma cadeira de rodas para se deslocar e precisa de ajuda em tempo integral dos pais. Ele teve má formação dos ossos desde a gestação.

Foi a segunda vez que pai e filho completaram a prova juntos. A primeira ocorreu ano passado. “É um momento único. Cada minuto de glória é mil de sofrimento. Cansei de correr sozinho, sempre deixei ele em casa. Não adianta ter a mala cheia de troféus e ele ficar em casa”, resumiu.

Jovens atletas

Alguns alunos que fazem parte do projeto social de iniciação esportiva que engloba corrida, natação e ciclismo em Matinhos, numa parceria com o Sesc, também participaram da prova amadora. Muitos, contudo, apresentaram fôlego de surpreender muito triatleta profissional. Os dois amigos Lucas Gabrie, 16 anos, e Edilson Bridaroli, 15, são estudantes, mas pretendem se tornar profissionais do triatlo. “A gente sempre gostou de futebol e agora temos uma base para começar”, disse Lucas.

Os alunos recebem aulas teóricas e práticas nas três modalidades esportivas, uniformes completos, alimentação e utilizam a estrutura e equipamentos do Sesc para os treinamentos. Tudo no contraturno escolar. “O professor chegou na escola e convidou a gente”, disse Edilson.

O projeto conta com 38 alunos. Todos eles participaram também de uma competição adaptada no sábado. Alguns, como Lucas e Edilson, tentaram o desafio amador e completaram a prova neste domingo.

Confira a classificação final das provas:

Categoria Elite Masculino

Marcus Fernandes (Santos) – 1h56min46seg

Luiz Fernando de Paiva Ferreira (Balneário Camboriú) – 1h57min58seg

Bruno Ferreira Matheus (Santos) - 2h00min41

Fernando Toldi (São Paulo) – 2h01min12seg

Rafel Beserra da Fonseca (Brasília) – 2h01min28seg

Categoria Elite Feminina

Carolina Pereira (Campinas) – 2h22min41seg

Priscila da Silva Rocha (Santos) – 2h27min13seg

Gisele Rodrigues Bertucci (Florianópolis) – 2h30min41seg

Ana Lídia Barbosa (Florianópolis) – 2h33min17seg

Liliane Licheski (São José dos Pinhais) – 2h52min51seg

As imagens do Sesc Triathlon Caiobá

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Esportes

PUBLICIDADE