PUBLICIDADE

Arquitetos usam algoritmos para projetar casa de concertos com acústica perfeita

A perfeição do som se deve ao uso de algoritmos na construção empregado pelos arquitetos Jacques Herzog e Pierre de Meuron

Foto: Reprodução/Facebook

Foto: Reprodução/Facebook

por HAUS

13/10/2017

Localizada em Hamburgo, na Alemanha, a casa de concertos Elbphilharmonie tem a mais perfeita acústica do mundo. O motivo? Ela foi projetada a partir de algoritmos, usados pela dupla de arquitetos suíços Jacques Herzog e Pierre de Meuron, conhecidos por obras como o Walt Disney Concert Hall em Los Angeles e o Tate Modern em Londres.

Eles contaram com a ajuda do especialista em acústica japonês Yasuhisa Toyota, que também atuou na construção do Walt Disney Concert Hall de Los Angeles. A Elbphilharmonie é a construção mais alta da cidade e  parte de seu exterior é coberto por telas que mudam de cor, entretendo também as pessoas do lado de fora.

Foto: Reprodução/Facebook

Foto: Reprodução/Facebook

Para alcançar a perfeição acústica foram usados mais de 1 milhão de pequenas estruturas côncavas nas paredes do auditório que espalham o som por todos os lugares da sala de uma maneira mais uniforme. De acordo com os arquitetos, seria impossível criar algo desse tipo manualmente e por isso foi criado um algoritmo acústico para desenhar as estruturas.

Ao atingirem os painéis, as ondas de som são moldadas e distribuídas pela sala. O segredo é que, por serem únicos, nenhum painel absorve ou reverbera estas ondas da mesma forma. E o conjunto de todos resulta na perfeição acústica. A casa tem 2,1 mil assentos e custou 843 milhões de dólares (cerca de R$ 2,6 bilhões) para ser construída.

 

A Elbphilarmonie está em uma parte de Hamburgo que antes era pouco visitada e tem incentivado a vida social na região. Além de seu uso musical, a obra é também um complexo residencial e cultural. Fora a sala de concertos, visitantes encontram um salão para música de câmara, restaurantes, bares, um terraço panorâmico, um hotel e apartamentos. Todos estes ambientes nasceram da preocupação dos arquitetos de que a construção fosse parte da cidade, e acessível para todos.

Veja mais fotos da Elbphilharmonie

Foto: Reprodução/Facebook

Foto: Reprodução/Facebook

Foto: Reprodução/Facebook

Foto: Reprodução/Facebook

Foto: Reprodução/Facebook

Foto: Reprodução/Facebook

Foto: Reprodução/Jacques Herzog e Pierre de Meuron

Foto: Reprodução/Jacques Herzog e Pierre de Meuron

Foto: Reprodução/Jacques Herzog e Pierre de Meuron

Foto: Reprodução/Jacques Herzog e Pierre de Meuron

Foto: Reprodução/Jacques Herzog e Pierre de Meuron

Foto: Reprodução/Jacques Herzog e Pierre de Meuron

Foto: Reprodução/Jacques Herzog e Pierre de Meuron

Foto: Reprodução/Jacques Herzog e Pierre de Meuron

Foto: Reprodução/Jacques Herzog e Pierre de Meuron

Foto: Reprodução/Jacques Herzog e Pierre de Meuron

Foto: Reprodução/Jacques Herzog e Pierre de Meuron

Foto: Reprodução/Jacques Herzog e Pierre de Meuron

LEIA TAMBÉM

A inspiradora revolução urbana de Hamburgo e como ela pode nos inspirar

Ópera de Sydney será renovada com projeto de mais de US$ 200 mi

PUBLICIDADE