PUBLICIDADE

Edifício feito 100% em madeira vai dar cara nova a bairro de São Paulo

Assinado pelo escritório de arquitetura Triptyque, empreendimento terá floresta particular e espaços de uso público e privado

Crédito: Amata/Triptyque/Divulgação

por Luan Galani

19/09/2017

Aço, vidro e concreto são materiais que nem chamam mais a nossa atenção nas cidades. São raras as exceções. Com a madeira, a história é totalmente diferente. Por isso agora os olhares se voltam para o projeto do Edifício Amata, que terá toda a estrutura feita em madeira certificada, para a Vila Madalena, em São Paulo, até 2020.

A ideia é criar uma floresta urbana habitável, integrando a natureza à cidade, com áreas públicas e privadas. A obra será assinada pelo escritório de arquitetura Triptyque e terá material com certificado de origem da empresa Amata. Com 13 pavimentos, a área total passa dos 4,7 mil m² e abrigará restaurantes, coworkings e colivings.

vila-madalena-vila-madalena-sao-paulo-madeira-predio-edificio-arquitetura (3) (Medium)

Crédito: Amata/Triptyque/Divulgação

A estrutura do edifício será construída em CLT, um produto de alta tecnologia formado com multicamadas de madeira maciça em duas diferentes direções. “Ao uni-las, criam-se painéis capazes de criar grandes construções, com altura”, explicam os arquitetos da Tryptique, direto da França, onde estiveram recentemente para lançar o projeto.

A intenção é replicar esse tipo de construção pelo Brasil. “O edifício em madeira representa a semente de uma nova matriz inesgotável de construir. Apresenta-se como uma nova alternativa para a construção civil, que hoje é responsável pela emissão de quase metade do dióxido de carbono do mundo. Nosso objetivo é também formar recursos humanos locais para repetir esse tipo de projeto”, frisa Margaux de Noiron, da Tryptique.

vila-madalena-vila-madalena-sao-paulo-madeira-predio-edificio-arquitetura (1) (Medium)

Crédito: Amata/Triptyque/Divulgação

No mundo já existem prédios com estrutura de madeira mais altos, de 18 e 22 andares. No Brasil, porém, o empreendimento será um dos mais altos de seu tipo, de acordo com Ana Luiza Daripa, diretora de novos negócios da Amata.

“Estima-se que [com a construção] sejam sequestrados 900 toneladas de gás carbônico na forma de madeira sólida, o que equivale à emissão de 535 carros por um ano, de acordo com o relatório Wood in the Construction Industry, do FSC”, destaca.

vila-madalena-vila-madalena-sao-paulo-madeira-predio-edificio-arquitetura (2) (Medium)

Crédito: Amata/Triptyque/Divulgação

LEIA TAMBÉM

 

PUBLICIDADE