PUBLICIDADE

Estudantes da UFPR vão reformar ala de hospital na região de Curitiba

O concurso nacional foi promovido pela Associação Beneficente Amigos do Adauto Botelho e pelo grêmio estudantil de arquitetura e urbanismo da UFPR

O projeto vencedor do concurso foi desenvolvido por cinco alunos da UFPR. Imagem: DivulgaçãoO projeto vencedor do concurso foi desenvolvido por cinco alunos da UFPR. Imagem: Divulgação

por Carolina Werneck*

19/05/2017

O Hospital Colônia Adauto Botelho, em Pinhais, vai ganhar uma área dedicada à realização de atividades recreativas e terapêuticas projetada por estudantes de arquitetura da Universidade Federal do Paraná (UFPR), sob orientação da professora Andrea Berriel, que é a responsável técnica pelas obras de interiores e paisagismo.

A iniciativa foi da Associação Beneficente Amigos do Adauto Botelho (Abaab). Em parceria com o grêmio estudantil do Departamento do Curso de Arquitetura e Urbanismo (CAU) da UFPR, a Abaab lançou um concurso nacional de arquitetura para a reforma de uma ala do hospital. Foram 11 equipes inscritas. A presidente da Abaab, Driely de Andrade Ferreira, conta que “nem imaginava que a ideia tomaria tamanha proporção, pois equipes de São Paulo e do Rio de Janeiro também se inscreveram [no concurso]”. Ela diz acreditar que a experiência de pensar em uma proposta para o Adauto Botelho vai enriquecer a carreira profissional de todos os que participaram do concurso. “Isso vai demonstrar a esses futuros profissionais a realidade do transtorno mental e terão outra visão do que é tudo isso.”

Hospital Colônia Adauto Botelho ganhará revitalização de áreas de convivência. Foto: Associação Beneficente Amigos do Adauto Botelho / Divulgação

Hospital Colônia Adauto Botelho ganhará revitalização de áreas de convivência. Foto: Associação Beneficente Amigos do Adauto Botelho/Divulgação

Projetos

Os vencedores foram escolhidos por uma banca formada por três professores do CAU e duas profissionais de enfermagem do hospital. Maria Augusta Kroetz, vice-presidente do grêmio de arquitetura e urbanismo e presidente da comissão organizadora do concurso, explica que foram analisados fatores como “o custo do projeto e a facilidade de realização das obras, além da funcionalidade e da estética”.

A banca decidiu-se por uma proposta feita por cinco alunos da UFPR. A equipe ganhadora foi a dos estudantes Alexandre Kenji Okabaiasse, do 5º ano, Daniela Moro e Gabriel Tomich, do 4º ano, além de Diego Pinto Rodrigues e Lara Seleme Modro, do 3º ano. Falando em nome do grupo, Lara afirma que o concurso pareceu uma oportunidade “muito rica para nós, não só pela possibilidade de construí-la de fato, ajudando a melhorar um pouco a vida dessas pessoas, mas por todo o aprendizado e a pesquisa que envolvem projetar para pessoas com uma realidade tão diferente”.

De acordo com a estudante, o principal objetivo da proposta foi integrar a galeria e o pátio já existentes no local. Para ela, a mudança poderá transformá-los em espaços de convivência e lazer. Elementos como a pintura reforçam essa integração pretendida por eles. O grupo evitou a demolição de paredes para diminuir o custo final do projeto. “Também demos atenção especial ao espaço multiuso, localizado bem no centro da unidade de recreação. Nele a intenção foi conformar mobiliários versáteis que propiciassem um uso mais livre do ambiente para atividades coletivas”, explica Lara.

O projeto integra as áreas interna e externa para criar um espaço de convivência. Imagem: Divulgação

O projeto integra as áreas interna e externa para criar um espaço de convivência. Imagem: Divulgação

Execução da obra

Agora, o desafio é viabilizar a realização da obra. A organização pretende lançar um financiamento coletivo na internet e convocar voluntários para a empreitada. Segundo Maria Augusta, a Abaab, o próprio Hospital Adauto Botelho, o CAU-UFPR, o grêmio estudantil de arquitetura da UFPR estão apoiando o projeto. “A gente também tá procurando doações de parceiros para viabilizar o que for possível”, informa a estudante.

A doação de tintas para revitalizar a cor do espaço será feita pela Tintas Coral, dentro do projeto Tudo de cor para você. “Teremos uma equipe de grafiteiros que que vai fazer um trabalho voluntário com a proposta de criar personagens e colorir ainda mais o ambiente. São três grafiteiros paranaenses envolvidos: Gardepam, Nyel e Ysto”, conta Driely.

Osvaldo Tchaikovski Junior, diretor do hospital, diz acreditar que a arquitetura proposta pela equipe vencedora pode ajudar no bem-estar dos pacientes. “Essa parte da arquitetura faz toda a diferença para as pessoas que vão utilizar esse espaço. Ela vai tirar aquele aspecto pesado de hospital e oferecer um lugar bonito, de recreação, para que os pacientes desenvolvam atividades que normalmente não são feitas dentro da unidade.”

Para a Abaab, essa também é uma oportunidade para promover a desmitificação da saúde mental na sociedade. “A Associação tem a convicção de que o estabelecimento de articulações e parcerias para efetivas ações voltadas às pessoas com sofrimento mental contribui para a promoção da disseminação de informações claras e objetivas a cerca da saúde mental”, diz a presidente da entidade.

*especial para a Gazeta do Povo

LEIA TAMBÉM

Vídeo: aprenda como cultivar orquídea em troncos

Conheça nove ideias inovadoras do MIT para as cidades do futuro

Mais de 600 unidades de preservação de Curitiba podem ser tombadas

 

PUBLICIDADE