PUBLICIDADE

Sem reconhecimento local, arquitetos curitibanos ganham o Brasil

Escritórios de arquitetura da cidade ganham destaque em concursos nacionais e retomam a tradição da capital no desenho de obras públicas pelo Brasil. Mas aqui, eles não encontram espaço

Nomes que projetam Curitiba na arquitetura nacional: Saboia+Ruiz Arquitetos, Arquea Arquitetos, MCA Arquitetura & Design, Estúdio 41, Studio 802 e Grifo Arquitetura. Foto: Leticia Akemi/Gazeta do Povo

Nomes que projetam Curitiba na arquitetura nacional: Saboia+Ruiz Arquitetos, Arquea Arquitetos, MCA Arquitetura & Design, Estúdio 41, Studio 802 e Grifo Arquitetura. Foto: Leticia Akemi/Gazeta do Povo

por HAUS*

21/03/2017

Projetos de arquitetura para moradias populares, centros de ensino, unidade de saúde e institutos de arquitetura no Distrito Federal. O que eles têm em comum? Todos são premiados e assinados por arquitetos de Curitiba. Mais precisamente por seis escritórios.

Arquea Arquitetos, Estúdio 41, Grifo Arquitetura, MCA Arquitetura & Design, Saboia+Ruiz Arquitetos e Studio 802 Arquitetura estiveram entre os três primeiros lugares ou receberam menções honrosas em oito dos concursos públicos nacionais realizados em 2016.

E isso sem contar as conquistas de anos anteriores. Em 2014, a Grifo ganhou primeiro lugar no concurso de projeto para a nova unidade do Serviço Social do Comércio (Sesc) em Osasco. Em 2013, o Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB) escolheu o projeto para a nova base brasileira na Antártida. Autoria? Estúdio 41.

Esses exemplos mostram o retorno de Curitiba aos holofotes dos concursos nacionais, reavivando a visibilidade que a cidade conquistou entre as décadas de 1960 e 1980, como lembra o professor do curso de Arquitetura e Urbanismo da UFPR Paulo Cesar Pacheco em sua tese de mestrado sobre os concursos nacionais da área.

Nesse período, nomes como os de Luiz Forte Netto, Roberto Gandolfi e Joel Ramalho Junior, que vieram de São Paulo para lecionar no recém-aberto curso de Arquitetura da UFPR e para trabalhar no mercado que começava na cidade, projetaram obras como as sedes do BNDES e da Petrobras, em Brasília, colocando o Paraná no circuito nacional.

arquiteto-curitiba-projeto-concurso-publico-arquitetura-escritorio-haus-gazeta-do-povo (2)

Alguns dos escritórios de Curitiba que estão levando todos os concursos nacionais de arquitetura: Saboia+Ruiz Arquitetos, Arquea Arquitetos e Estúdio 41. Foto: Leticia Akemi/Gazeta do Povo

Herança

Perguntados sobre os motivos da retomada dessa tradição, os profissionais desses escritórios são unânimes ao destacar o fato de terem estudado ou trabalhado com aqueles grandes arquitetos. “Ter ao redor professores, orientadores, chefes e colegas com essa cultura de concursos é um incentivo”, afirma Gabriela Maluf, do Studio 802. Essa proximidade com o meio acadêmico facilita a descrição das propostas, segundo Antonio Abrão, da MCA Arquitetura & Design.

Quem vê de fora concorda. A arquiteta e consultora em urbanismo para várias cidades Elisabete França, formada pela UFPR, mas que vive há anos em São Paulo, credita esse movimento a um provável estímulo no currículo dos cursos de Arquitetura daqui, com atenção às disciplinas de projeto. “Esta é uma geração que quer arriscar mais, buscar novas linguagens e tem mais facilidade para viajar e ver o mundo. Isso abre a cabeça”, completa.

Para exportação

Mesmo alcançando projeção nacional a partir dos concursos, os escritórios curitibanos parecem não encontrar espaço na capital para reproduzir a boa arquitetura que exportam para outras cidades do país. A pouca oferta de concursos para as obras públicas no estado é uma das barreiras que se coloca neste sentido, como lembra o arquiteto e urbanista Fábio Domingos Batista, da Grifo Arquitetura.

Dentro do mercado imobiliário, por sua vez, o que se percebe é uma menor autonomia dos arquitetos, comparada à desfrutada pelos colegas que assinaram obras nas décadas de 1970 e 1980, e uma inércia das empresas em relação ao padrão das construções, como lembra Alexandre Ruiz, do Saboia+Ruiz Arquitetos.

“O mercado imobiliário de Curitiba ainda tem medo de sair do padrão e gosta de trabalhar com o que acredita que vende. Agora, com a crise, talvez seja o momento de as empresas refletirem que poderão não vender se ficarem repetindo as mesmas fórmulas”, acrescenta Emerson Vidigal, do Estúdio 41.

Outro ponto, destacado pelo arquiteto Pedro Tavares, do Arquea Arquitetos, é o fato de os clientes que buscam uma arquitetura diferente desconhecerem que ela também é produzida em Curitiba, o que faz com que contratem profissionais de fora, em especial os de São Paulo e Rio de Janeiro.

Como uma consequência quase natural deste movimento, boa parte dos projetos assinados pelos escritórios curitibanos têm outras localidades do país como destino. “Curitiba produz uma boa arquitetura contemporânea, mas a cidade ainda constrói prédios neoclássicos. Tem todo um potencial aqui que não é usado para a cidade”, resume Batista.

arquiteto-curitiba-projeto-concurso-publico-arquitetura-escritorio-haus-gazeta-do-povo (1)

Parte dos escritórios curitibanos que estão atraindo atenção do Brasil: MCA Arquitetura & Design, Studio 802 e Grifo Arquitetura. Foto: Leticia Akemi/Gazeta do Povo

Reconhecimento

Conheça os concursos e as premiações recebidas pelos escritórios de arquitetura de Curitiba no último ano:

Unidades Habitacionais e Comércio – Sol Nascente Trecho 02 (CODHAB/DF)

1º lugar: Grifo Arquitetura

Imagem: Grifo Arquitetura/Divulgação

Imagem: Grifo Arquitetura/Divulgação

Unidades Habitacionais e Comércio – Santa Maria (CODHAB/DF)

Menções honrosas: Studio 802 Arquitetura e Grifo Arquitetura

Imagem: Studio 802/Divulgação

Imagem: Studio 802/Divulgação

Imagem: Grifo Arquitetura/Divulgação

Imagem: Grifo Arquitetura/Divulgação

Unidades Habitacionais Coletivas – Samambaia (CODHAB/DF)

1º lugar: MCA Arquitetura & Design

Imagem: MCA Arquitetura & Design/Divulgação

Imagem: MCA Arquitetura & Design/Divulgação

Menções honrosas: Estúdio 41 e Arquea Arquitetos

Imagem: Estúdio 41/Divulgação

Imagem: Estúdio 41/Divulgação

Imagem: Arquea Arquitetos/Divulgação

Imagem: Arquea Arquitetos/Divulgação

Unidades Habitacionais Coletivas – Sobradinho (CODHAB/DF)

2º lugar: Estúdio 41

Imagem: Estúdio 41/Divulgação

Imagem: Estúdio 41/Divulgação

Menção honrosa: MCA Arquitetura & Design

Imagem: MCA Arquitetura & Design/Divulgação

Imagem: MCA Arquitetura & Design/Divulgação

Unidade Básica de Saúde (CODHAB/DF)

1º lugar: Saboia+Ruiz Arquitetos

Saboia+Ruiz

Imagem: Saboia+Ruiz Arquitetos/Divulgação

Menção honrosa: Arquea Arquitetos

Imagem: Arquea Arquitetos/Divulgação

Imagem: Arquea Arquitetos/Divulgação

Centro de Ensino Fundamental (CODHAB/DF)

1º lugar: Saboia+Ruiz Arquitetos

Imagem: Saboia+Ruiz Arquitetos/Divulgação

Imagem: Saboia+Ruiz Arquitetos/Divulgação

3º lugar: Estúdio 41

Imagem: Estúdio 41/Divulgação

Imagem: Estúdio 41/Divulgação

Menção honrosa: Grifo Arquitetura

Imagem: Grifo Arquitetura/Divulgação

Imagem: Grifo Arquitetura/Divulgação

Centro de Ensino Infantil (CODHAB/DF)

2º lugar: Arquea Arquitetos

Imagem: Arquea Arquitetos/Divulgação

Imagem: Arquea Arquitetos/Divulgação

3º lugar: Estúdio 41

Imagem: Estúdio 41/Divulgação

Imagem: Estúdio 41/Divulgação

Concurso para a sede do CAU-BR e IAB-DF

2º lugar: Arquea Arquitetos

Imagem: Arquea Arquitetos/Divulgação

Imagem: Arquea Arquitetos/Divulgação

* Sharon Abdalla e Mariana Domakoski, especial para a Gazeta do Povo

LEIA TAMBÉM

O que as metrópoles precisam aprender com a revolução urbana da pequena Jericó

Curitiba será a primeira cidade com catálogo online de arquitetos

Rio Belém receberá intervenção artística para cobrar despoluição

Técnica centenária para moldar vidro dá vida a lindos vasos

 

PUBLICIDADE