PUBLICIDADE

Paraná ganha primeiro parque logístico sustentável certificado

Construído em Quatro Barras para a Renault, empreendimento tem na racionalização do uso da água e da energia elétrica seus principais destaques

Parque logístico da Renault, em Quatro Barras, é o primeiro do Paraná a receber o selo AQUA-HQE. Foto: Divulgação/TRX.

Parque logístico da Renault, em Quatro Barras, é o primeiro do Paraná a receber o selo AQUA-HQE. Foto: Divulgação/TRX.

por Sharon Abdalla

17/05/2017

A preocupação com a preservação do meio ambiente tem levado as grandes indústrias a investirem em soluções de sustentabilidade que extrapolam seus processos fabris e chegam, também, à sua estrutura física. Foi o que aconteceu com o parque logístico da montadora francesa Renault, instalado no município de Quatro Barras, na região Metropolitana de Curitiba.

Parque logístico da Renault, em Quatro Barras, é o primeiro do estado a conquistar o selo AQUA de sustentabilidade. Fotos: Divulgação/TRX.

Parque logístico da Renault, em Quatro Barras, é o primeiro do estado a conquistar o selo AQUA de sustentabilidade. Fotos: Divulgação/TRX.

Construído no modelo Built to Suit (empreendimentos projetados sob medida para locações de longo prazo), o parque é o primeiro do Paraná a receber o selo AQUA-HQE, certificação internacional que comprova a alta qualidade ambiental das construções.

Para isso, ele responde a 14 requisitos de desempenho que contemplam aspectos relacionados ao conforto, saúde e ao meio ambiente, como explica Manuel Carlos Reis Martins, coordenador dos projetos AQUA PBE Edifica e EPD Brasil na Fundação Vanzolini, responsável pela certificação.

“A Renault sempre teve a intenção de atender esses requisitos de sustentabilidade, o que casou com o propósito da TRX, que é o de ter essa característica nos empreendimentos que desenvolvemos nos parques logísticos. O resultado, que desenhamos a quatro mãos, é um projeto diferenciado e eficiente”, conta José Alves Neto, vice-presidente da empresa, responsável pelo desenvolvimento do espaço.

Eficiência

parque-logistico-renault-3

Sistema de placas fotovoltaicas garante a autossuficiência de energia no prédio administrativo da Renault.

A eficiência no uso dos recursos naturais é um dos destaques do parque logístico da Renault. O prédio administrativo do complexo, com cerca de 900 m², é autossuficiente em energia elétrica, por exemplo. Isso foi possível a partir da instalação de um sistema de placas fotovoltaicas, responsáveis por transformar a luz solar em eletricidade.

Já no galpão, que tem 67 mil m² de área construída (expansíveis para até 87 mil m²), a cobertura conta com o sistema skyligths, com aberturas laterais e superiores que potencializam o uso da iluminação e da ventilação naturais, reduzindo a necessidade de utilização da luz e da climatização artificiais.

parque-logistico-renault-4

Sistema “skylight” na cobertura do galpão garante o melhor aproveitamento da luz natural.

Reaproveitamento

O uso eficiente da água foi outra preocupação do projeto. Assim, o parque logístico da Renault conta com sistema de captação e reaproveitamento da água das chuvas, que é utilizada no paisagismo e nas bacias sanitárias.

Antes de chegar ao córrego que limita o terreno da Renault dentro do Parque Logístico Quatro Barras – que tem outros 240 mil m² de área de terreno disponíveis para a instalação de outras empresas –, a água pluvial ainda passa por duas piscinas de retenção. Estas possuem equipamentos capazes de separar a água de óleos, garantindo um descarte limpo e em vazão adequada.

Benefícios

parque-logistico-renault-5

Vista aérea do parque logístico da Renault, em Quatro Barras.

Os benefícios ambientais e a redução dos custos de operação proporcionados pela racionalização e eficiência no uso dos recursos naturais são algumas das vantagens que a certificação traz para os empreendimentos que recebem o selo AQUA – assim como outras certificações de sustentabilidade, como o LEED (Liderança em Energia e Design Ambiental, na sigla em inglês).

“Quando se economiza água e energia, a demanda por estes recursos serão menores, o que também reduz o investimento público necessário à expansão de seus sistemas de captação e distribuição. Assim, os investimentos necessários para eles podem ser aplicados em outras áreas, como a educação e a saúde”, acrescenta Martins.

Para Alves Neto, as certificações representam, ainda, uma forma de destacar os galpões dentro deste mercado, que deverá dar cada vez mais atenção às instalações reconhecidamente sustentáveis. Além da certificação AQUA-HQE, o parque logístico também busca obter o selo LEED de construção sustentável.

LEIA TAMBÉM

Seis tijolos inovadores para diminuir o impacto ambiental das construções

Sustentabilidade pauta soluções arquitetônicas de cidades

Piscina natural em casa alia sustentabilidade com visual surpreendente

 

PUBLICIDADE