Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Enkontra.com
PUBLICIDADE

polêmica

Com pornografia e zoofilia, exposição cancelada pelo Santander teve visita de crianças

Projeto da mostra contou até com impressão de materiais voltados a professores e estudantes 

  • Antoniele Luciano
Exposição Queermuseu entrou em cartaz no dia 18 de agosto no espaço Santander Cultural, em Porto Alegre | Fredy Vieira/ Santander Cultural
Exposição Queermuseu entrou em cartaz no dia 18 de agosto no espaço Santander Cultural, em Porto Alegre Fredy Vieira/ Santander Cultural
 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

Cancelada pelo Santander Cultural após protestos em redes sociais, a exposição “Queermuseu – Cartografias da Diferença na Arte Brasileira”, realizada em Porto Alegre, fez parte da programação escolar de estudantes da capital gaúcha mesmo trazendo imagens que fazem referência à pornografia, zoofilia e ao desrespeito de símbolos do catolicismo. Embora o Santander Cultural não tenha um levantamento sobre quantas escolas levaram alunos para ver as obras, o próprio projeto da mostra estabelecia ações voltadas a esse fim. 

Leia tambémSantander diz que vai devolver dinheiro da exposição à Receita Federal

Uma das medidas destinadas ao público estudantil em relação à Queermuseu foi a impressão de folders explicativos, de 24 páginas, contendo textos sobre os quadros. A tiragem prevista foi de 15 mil exemplares. Também estavam previstas impressões de mil unidades de um material chamado de Caderno do Professor, destinado a docentes que acompanhassem os estudantes no centro cultural. 

O catálogo da exposição, por sua vez, deveria ter 2 mil impressões, sendo que 200 seriam enviadas à população de baixa renda através da distribuição em escolas da rede pública que visitassem a exposição. O material também já teria sido enviado a bibliotecas, museus e ao Ministério da Cultura. 

A exposição ficou por quase um mês em cartaz. A previsão inicial era de que a visitação pudesse ocorrer até 8 de outubro. Não havia classificação etária mínima para ver as obras.

Protesto 

Um protesto pela defesa da liberdade de expressão artística e a manutenção da exposição deve ocorrer nesta terça-feira (12), em frente ao Santander Cultural, em Porto Alegre. “Repudiamos os ataques conservadores e fundamentalistas e suas acusações falsas e infundadas. Repudiamos também a decisão do Santander Cultural de encerrar prematuramente a exposição, recuando diante das manifestações fascistas de ódio e preconceito”, afirmam os organizadores, na página do evento, no Facebook

Até o início da tarde desta segunda (11), o evento já tinha 4,8 mil interessados e 3,6 mil confirmações de presença. Entre os grupos que estão na organização do ato estão o Comitê em Defesa da Democracia de do Estado Democrático de Direito e o Nuances – Grupo pela Livre Expressão Sexual.

Explicação aos clientes

Depois da polêmica envolvendo a mostra, o banco Santander passou a emitir uma nota aos clientes, explicando o ocorrido. No texto, a instituição afirma reconhecer que, além de despertar a polêmica saudável e o debate sobre grandes questões do mundo atual, a mostra foi considerada ofensiva por algumas pessoas e grupos. O Santander também pediu desculpas a todos os que “enxergaram desrespeito a símbolos e crenças na exposição Queermuseu”. 

“Isso não faz parte de nossa visão de mundo, nem dos valores que pregamos. Por esse motivo, decidimos encerrar antecipadamente a mostra neste domingo, 10/09. O Santander Cultural tem como missão incentivar as artes e dar luz ao trabalho de curadores e artistas brasileiros, para gerar reflexão positiva. Se esse objetivo não foi atingido, temos o dever de procurar novas e diferentes abordagens. Seguimos, portanto, comprometidos com a promoção do debate sobre diversidade e inclusão, entre outros grandes temas contemporâneos”, afirma o Santander no comunicado.

Devolução

Na noite desta segunda-feira (11), o banco multinacional Santander afirmou que vai devolver todo o dinheiro captado por meio de renúncia fiscal para a exposição Queer Museu, R$ 800 mil, à Receita Federal, de acordo com reportagem do jornal O Globo.


o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Ideias

  1.  | Bigstock

    debate

    O que é “ideologia de gênero”?

  2. O sul-africano Martin Pistorius contraiu uma doença quando ainda era adolescente que o deixou sem atividade cerebral. Mas um dia ele acordou | Divulgação

    perseverança

    Ele passou 12 anos preso no próprio corpo. Então algo incrível aconteceu

  3. Soldado somali patrulha em meio aos destroços deixados pelo ataque terrorista no centro de Mogadíscio, Somália, em 15 de outubro | MOHAMED ABDIWAHAB/AFP

    Terrorismo

    Por que ninguém liga para o maior atentado terrorista desde o 11 de setembro?

PUBLICIDADE