Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Enkontra.com
PUBLICIDADE

DE VOLTA 

“Menino do Acre” reaparece depois de quase cinco meses

Segundo a família de Bruno Borges, rapaz está em Rio Branco e passa bem

  • Da Redação
Bruno Borges deixou 14 livros escritos antes de desaparecer | Arquivo Pessoal
Bruno Borges deixou 14 livros escritos antes de desaparecer Arquivo Pessoal
 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

O estudante de psicologia Bruno Borges, de 25 anos, que estava desaparecido no Acre há quase cinco meses, retornou para casa dos pais, em Rio Branco, nesta sexta-feira (11). De acordo com o pai do rapaz, o empresário Athos Borges, ele está bem, mas não deve ficar na casa da família por causa da procura de curiosos sobre a história do estudante. No mês passado, o primeiro de 14 livros escritos à mão e criptografados por Bruno, “TAC - Teoria de Absorção de Conhecimentos”, entrou para a lista dos mais vendidos do país na categoria “não ficção”.

Leia também: Qual a relação entre o filósofo Giordano Bruno e o “Menino do Acre”?

A família de Bruno afirma que, no momento, não vai comentar detalhes com a imprensa sobre o reaparecimento do rapaz. A Polícia Civil deve ouvir Bruno em breve. 

Além dos livros que escreveu, antes de sair de casa Bruno deixou cópias de suas teorias nas paredes, teto e chão do quarto e uma estátua do filósofo Giordano Bruno, avaliada em R$ 10 mil. 

Na época do desaparecimento de Bruno Borges, não demorou muito para que internautas começassem a fazer relações entre ele e o filósofo Giordano Bruno. Chegou-se até a apontar, além dos nomes, semelhanças físicas entre ambos. Para alguns, Borges estaria tentando dar continuidade às obras do filósofo.

Giordano Bruno acreditava que Deus era o próprio Universo, teoria que contrariava os textos sagrados. Por conta disso, apesar de manter-se cristão, refutou ativamente a Bíblia.

Ele percorreu a Europa divulgando suas teorias e, nessas viagens, converteu-se ao calvinismo, abandonando a fé católica. Deu aulas na Universidade de Oxford, que rejeitou suas teorias, de onde acabou expulso por plagiar o trabalho de uma colega. 

Preso pela Santa Inquisição por conta de suas crenças, alegou que filósofos não-cristãos, como Platão e Aristóteles, ainda assim eram importantes para a Igreja, já que eram referência para estudos teológicos e para a Filosofia. Em seu julgamento, exigiu o mesmo respeito dos filósofos gregos, ainda que sua visão religiosa não fosse a mesma da Igreja. Condenado a ser queimado vivo, negou-se a refutar suas crenças, exatamente como Sócrates havia feito quando foi condenado à morte por envenenamento por não acreditar nos deuses gregos. 

Morreu abrindo caminho para Galileu nas ciências e para Descartes e Espinosa na Filosofia.

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Ideias

  1. Soldado somali patrulha em meio aos destroços deixados pelo ataque terrorista no centro de Mogadíscio, Somália, em 15 de outubro | MOHAMED ABDIWAHAB/AFP

    Terrorismo

    Por que ninguém liga para o maior atentado terrorista desde o 11 de setembro?

  2.  | Bigstock

    debate

    O que é “ideologia de gênero”?

  3. O ditador norte-coreano, Kim Jong-Un | STR/AFP

    literatura

    Cinco histórias que revelam a crueldade da ditadura norte-coreana

PUBLICIDADE