Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Caro usuário, por favor clique aqui e refaça seu login para aproveitar uma navegação ainda melhor em nosso portal. FECHAR
PUBLICIDADE

São Paulo

Mercado distribui cartilha contra união homossexual e a favor da vida desde a concepção

O folheto foi impresso para comemorar o Dia da Família, no último dia 8

  • Folhapress
Detalhe da cartilha distribuída pelo Mercado Hirota | Reprodução
Detalhe da cartilha distribuída pelo Mercado Hirota Reprodução
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Em meio aos folhetos de promoção, a rede de supermercados Hirota distribuiu uma cartilha da família em que condena a união homossexual, o sexo antes do casamento, e se posiciona a favor da vida desde a concepção, contra o aborto. 

O folheto, impresso para comemorar o Dia da Família, no último dia 8, discorre sobre "os pilares do casamento", "esposa seja submissa ao marido" e "aborto, um crime hediondo" com base em passagens bíblicas - os proprietários do mercado são conhecidos por suas ações voltadas às igrejas presentes no bairros onde funcionam suas lojas.  

Um grupo pequeno de clientes usou as redes sociais para protestar. Os posts mais recentes publicados na página do supermercado para divulgar ofertas e receitas de Natal receberam cerca de 50 comentários contrários ao conteúdo da cartilha.

A movimentação fez a empresa postar na tarde desta terça-feira (19) um nota de esclarecimento em sua página afirmando que "em momento algum tivemos a intenção de polemizar, ofender ou discriminar qualquer forma de amor. Em nossos valores não há nenhum tipo de preconceito em relação à gênero, religião ou raça." 

Com cerca de quinze lojas na capital e no ABC, a rede de supermercados anunciou no ano passado a expansão do negócio ao abrir unidades nos moldes de lojas de conveniência comuns no Japão. 

A cartilha diz que sexo antes do casamento é "fornicação" e emenda: "se antes do casamento o sexo é proibido, no casamento é ordenado". Nas páginas seguintes há trechos como "a submissão da mulher a seu marido é sua liberdade" e "o aborto é transformar o ventre materno, o mais sagrado habitat humano, num patíbulo de tortura". 

Como a tiragem foi pequena - a empresa não soube especificar a quantidade -, a cartilha acabou em poucos dias. A reportagem esteve em uma unidade na Vila Madalena e foi informada que o material havia acabado -no lugar, foi oferecido uma revista com promoções de Natal. 

Igreja 

O texto teria sido proposto por um integrante de uma igreja presbiteriana para comemorar o Dia da Família. Em apoio, a empresa decidiu imprimir os folhetos e distribuí-los nos supermercados. 

A importadora japonesa Daiso, que tem expandido suas lojas por São Paulo recentemente, também publicou uma retratação por ter parceria comercial com os supermercados Hirota. "Não concordamos com nenhum tipo de discriminação, seja ela de qualquer natureza, deixando claro que também não partilhamos com pronunciamentos ou materiais ofensivos", publicou em sua página na rede social.


o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Ideias

PUBLICIDADE