Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Enkontra.com
PUBLICIDADE

Reforma

Mudanças na parede demandam cuidados

Antes que quebrar ou mudar uma parede de lugar, é preciso avaliar a estrutura do imóvel

  • Sharon Abdalla
Decisão de colocar ou retirar uma parede precisa ser apoiada em avaliações técnicas. | Antônio More/Gazeta do Povo
Decisão de colocar ou retirar uma parede precisa ser apoiada em avaliações técnicas. Antônio More/Gazeta do Povo
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

As paredes dificilmente passam ilesas por uma obra de reforma em casa ou no apartamento. Recortes, demolição e até mesmo a construção de novas divisórias são etapas comuns nos projetos e ajudam a integrar ambientes ou modificar a planta do imóvel.

Na Konzept Construções Civis, por exemplo, cerca de 90% das reformas contemplam a quebra ou a instalação de paredes, como conta a arquiteta-chefe Milena Schulmeister. O motivo para a mudança geralmente decorre das necessidades dos moradores nas diferentes fases da vida. “Há casos de casais que optaram por deixar um terceiro quarto aberto, para ampliar a sala, e que precisaram fechá-lo posteriormente para transformá-lo no quarto do bebê”, exemplifica a arquiteta Erika Fukunishi, da EFTM Arquitetura.

O mais comum, no entanto, são os pedidos para integrar ou ampliar os ambientes por meio da abertura das paredes, acrescenta o engenheiro civil Guilherme Gulin Gomes, da Due Construções e Reformas.

Abrir espaço

Antes de recortar ou remover a divisória, os especialistas alertam que é necessário avaliar o projeto, a estrutura e o sistema construtivo para verificar se a mudança pode ser realizada sem prejuízos ao imóvel ou ao prédio como um todo. “Sempre verificamos o material da parede e se não há vigas ou pilares embutidos nela, que não podem ser removidos”, conta Erika.

Nas paredes construídas em blocos de concreto também não é possível fazer alterações. Neste sistema, as paredes assumem uma função estrutural e, por isso, não podem ser removidas ou recortadas. “Se a parede em que se deseja mexer é a prumada do edifício – ou seja, a que concentra a instalação hidráulica das unidades – a modificação também não pode ser realizada”, acrescenta Gomes.

Nova parede

Para mudar de lugar ou inserir uma nova parede na planta também é necessário analisar a estrutura do imóvel. Isso porque a nova divisória pode deslocar ou adicionar um peso extra à laje correspondente ao sistema construtivo que será adotado, que pode ir da alvenaria convencional às construções “secas”, como o drywall.

Tal escolha leva em conta aspectos como o orçamento e prazo do projeto, além do uso do espaço, já que os diferentes sistemas construtivos “conversam” entre si possibilitando, por exemplo, a construção de uma parede de alvenaria em uma casa construída em steel frame.

O “queridinho” dos projetos, no entanto, tem sido o drywall. Com uma construção rápida, limpa e seca – que dispensa etapas como o reboco e chapisco da alvenaria convencional –, ele fecha a parede e potencializa o conforto térmico e acústico dos ambientes com a inserção de lã de rocha entre as placas. Sua parede também é mais fina do que a de alvenaria, fazendo com que se ganhe alguns centímetros de área útil no cômodo, lembra Erika.

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2015/10/30/Imoveis/Graficos/Vivo/WEB paredes.pdf

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Imóveis

PUBLICIDADE