/ano um

Por
15/10/14, 9h35 8 min 12 comentários

Hoje o Manual do Usuário completa um ano! É dia de comemoração, claro, mas também de colocar algumas coisas em perspectiva e refletir sobre o que já passou e, principalmente, o que vem a seguir.

O primeiro ano em números

Quando aquela ideiazinha de criar um blog de tecnologia sem compromisso com o noticiário de tecnologia surgiu, não demorou muito e ela sitiou minha cabeça e virou o único caminho viável. Assim, logo eu estava me despedindo dos amigos do Gizmodo Brasil e ajeitando a casa para recebê-los aqui, no manualdousuario.net, até então apenas um podcast.

Alguns números desses 365 dias:

  • 1,4 milhão de page views.
  • 1,07 milhão de visitas.
  • 467 posts publicados.
  • +4 mil comentários recebidos.

Na maior parte do tempo crescê-los não foi a prioridade. Regra geral, não é o objetivo. A maioria das visitas, cerca de 70% delas, vem do Google e, salvo aquelas em que o leitor para, lê e fica (raro), as demais de paraquedistas não me interessam muito. Não quero brigar por page views, mas sim consolidar uma comunidade interessada em tecnologia e que já acompanha notícias em outros sites. Apesar dos números (ou por eles), vejo que isso está acontecendo, o que é bem legal.

Gadgets

Ao longo desse ano, 40 gadgets passaram por aqui. Escrever reviews é cansativo e, pior que isso, não consigo, sozinho, dar cabo de tudo o que é lançado. Mesmo se fechasse em uma categoria, digamos… smartphone, faltaria tempo e braço para coordenar a logística, testar efetivamente os dispositivos e escrever sobre eles. Estou ciente disso e corro pelas beiradas, tentando analisar o que me parece mais promissor, popular e/ou diferente, nem sempre nessa ordem.

Notebook, Lumia 1020, Lumia 920.
Lumia 1020.

Curiosamente, o gadget mais legal do ano para mim ainda não foi analisado aqui: o Chromecast, do Google.

Além dele, outros destaques:

Moto G com o Droidinho.
Moto G e Droidinho.

Os três posts mais visitados do blog, até hoje:

A capa do site também é um local bastante popular, com ~150 mil acessos nesse período. Por isso, a primeira novidade desse aniversário é a releitura dela: não mais um “linguição” estilo blog, agora ela é parecida com a newsletter, ou seja, composta por tópicos que introduzem e convidam você, leitor, a ler o que foi publicado.

E por falar em experimentações, é bom revisitar o que deu certo e o que não funcionou por aqui.

Um organismo vivo em constante mudança

Tive algumas recaídas ao longo do ano em relação à linha editorial, duas ou três fases curtas de muito conteúdo raso. Não ruim, nem fraco, mas longe da proposta inicial e que, para mim, do que justifica a existência do Manual. Afastei-me dos textões e/ou observações fora do lugar comum para falar do último celular lançado, da novidade que o Facebook implementou e de outros assuntos triviais do tipo.

No decorrer do ano inventei algumas seções especiais, ou séries. Umas ficaram, outras não:

  • Podcast: Ainda está de pé, e recentemente o dividi em dois. Aos sábados vai ao ar um resumo da semana apresentado apenas por mim e a cada quinze dias (essa periodicidade é nova), o programa tradicional, de ~45 minutos, com mais gente nos microfones.
  • Aplicativos do mês: Sempre com atraso (inclusive a edição de setembro!), mas segue firme. Há dois meses fechei esse conteúdo para assinantes.
  • Recorte: Foi uma das minhas tentativas de conciliar a proposta Slow Web do blog com notícias que, embora dispensem maior aprofundamento, são importantes. Funcionava bem, acho, mas o ritmo mostrou-se inviável.
  • Promoções e descontos: É uma das frentes que uso para financiar o site. No início abrangia muitas lojas e isso dificultava a manutenção. Hoje as ofertas são restritas às da B2W e à Amazon e, com atualizações semanais sempre no mesmo local/página, vem funcionando relativamente bem.
Tema Tabinikki aplicado ao Manual do Usuário.
O primeiro layout do blog.

O visual do blog também mudou. Foram quatro layouts desde a estreia, todos por culpa da minha inquietação:

  • O primeiro (Tabinikki, acima) era muito simples.
  • O segundo (Widely), o contrário: grandioso e bem bonito. Estaria usando ele até hoje não fosse a sua complexidade. Perdia muito tempo arrumando inconsistências no código, procurando e reportando erros aos desenvolvedores e mesmo assim sempre tinha alguma coisa errada. Uma hora cansa.
  • Voltei à proposta mais enxuta com um tema feito por mim com base no Underscores. Funcionava mais ou menos bem, mas faltava-lhe um refinamento que alguém que não é designer, nem programador (eu) não consegue dar.
  • Por fim, cheguei ao Moka, desenvolvido por um pequeno estúdio alemão. Lindo, adaptável, não dá dor de cabeça. Não poderia estar mais satisfeito com o visual disso aqui.

Chegar a um visual consistente foi difícil para mim porque… bem, me repetindo, não sou designer. E não sou programador. Nem empreendedor, muito menos um bom negociador. Tudo isso é necessário em uma operação editorial e, sozinho aqui, às vezes é difícil.

As dificuldades

Não vou mentir: tem dias em que, ao cair na cama, penso em jogar tudo para o alto, voltar a escrever para outro site e tocar a vida. Não seria demérito, ao menos não encararia assim, e deixaria as coisas mais certas e fáceis para o meu lado. Porque existem vários pontos que enchem a cabeça quando se está numa dessas de conteúdo independente e tal.

Pensando friamente, é sandice alguém sozinho na maior parte do tempo, sem talento em várias competências, morando no interior do Paraná e atuando em um mercado tão rarefeito e decadente como o editorial de tecnologia em português, se lançar num negócio nos moldes do Manual do Usuário. É bem, bem maluco. E um tanto ingênuo também.

Algumas empresas que anunciaram aqui e trabalhos eventuais que fiz para outras publicações permitiram estender o projeto Manual do Usuário um pouco além do que tinha planejado — minha ideia era acabar tudo hoje caso a contabilidade não estivesse fechando no azul. Apesar das contas ainda não baterem, não chegou a hora. O que nos leva ao que vem a seguir.

O que vem a seguir

A última iluminação que tive sobre linha editorial, de que aquele conteúdo hard news não faz bem nem ao site, nem a mim, trouxe de carona ideias de pautas bem legais. Então, de primeira, posso dizer que estou animado com as matérias em que trabalho no momento. Quando se faz um serviço solo e perene como o meu, entusiasmo é um ingrediente imprescindível e, infelizmente, nem sempre disponível. Ter esse “estoque” de boas histórias esperando para serem contadas é muito bom.

Outra boa notícia é que o comercial do Manual está prestes a ser terceirizado. Uma empresa especializada em negociar espaços publicitários para blogs, personalidades e canais de mídias sociais tomará conta daqui. A nossa expectativa é de que isso gere um bom fluxo de anunciantes, o que me dará mais estabilidade para tocar as coisas sem me preocupar com grana.

Tem mais: fechei parceria com uma produtora de vídeos e isso resultará num material inédito, diferente e mais profissional do que eu já produzo (e continuarei produzindo) no canal do blog no YouTube. A nossa expectativa é lançar o primeiro vídeo já em novembro. Será coisa fina.

Como disse, ainda há espaço para expandir a operação sem que eu me comprometa com uma carga de trabalho além da suportável. É tudo uma questão de adequação, de buscar ajuda e fazer algumas apostas.

***

Muita gente ajudou um bocado o site a passar por esse primeiro ano; não citarei nomes para não correr o risco de esquecer alguém. Mas a um, faço esse agradecimento especial: você, leitor. Afinal, não fosse o seu apoio, lendo, comentando, compartilhando e, no caso de 60 (!) que assinam o site, dando uma força financeira, ele não teria razão de existir.

Obrigado a todos :-)

Compartilhe:
  • Renato Bessa

    Parabéns, espero que ano que vem todos esses números tripliquem

  • Tamo Junto!

  • Rodrigo Gonzalez

    Preciso dizer que tenho orgulho de patrocinar, mesmo que com pouco e modestamente, um projeto tão legal quanto o seu, Ghedin? Não, né? Parabéns e continue com o ótimo trabalho ;)

  • Chicão

    “O mais inusitado: aspirador de pó portátil em formato de joaninha,”
    Hahahahahahaha

    No mais, muito bom vc trazer esse post com esses dados.
    Parabéns pelo trabalho e vida longa ao projeto.

  • thiagones80

    Rodrigo, o site é bem bacana e um dos que mais “leio com calma ®”. Gosto da abordagem que ao mesmo tempo em que é low profile tbm é mais profunda!

    Parabéns!!!

  • Boa Rodrigo, sucesso ao Blog, precisando de desenvolvedor WordPress, tamo aí ;)

  • Thalles Ferreira

    Parabéns pelo blog, Ghedin.
    Infelizmente eu sou um dos que acessa mais aqui pra comentar (como agora) do que para ler, já que o faço por RSS (leio muito conteúdo, daí fica difícil entrar nas páginas constantemente), mas esse faço questão de entrar pra comentar :)
    Vida longa ao manual.

  • parabéns, Ghedin!

    acompanho vc desde sua entrada no 1/2b, lembra? dava uns toques, correções, sugestões e, desde lá, passando por Gemind, depois Giz e, agora, no MU, sempre procuro acompanhar vc e, sempre que possível, ajudar de alguma forma, além de torcer muito e orar pelo seu sucesso, pq é de pessoas assim, batalhadoras, talentosas, honestas e humildes que o Brasil precisa e irá pra frente.

    por isso, como blogueiro stand-alone há mais de 4 anos, sei como é difícil quando não se tem uma fonte de renda firme, vivendo de incertezas, por isso fica o registro de minha admiração por seu trabalho e empenho.

    aquele abraço, brother, que Deus te abençoe muitíssimo em continuidade, é minha petição e desejo sincero diante de Deus.

    wally.

  • Witaro

    Em duas palavras: Parabéns e Obrigado.

  • Eloy Machado

    Parabéns, Ghedin! Torço bastante pelo seu [merecido] sucesso!

  • Fernando Camilo

    Parabéns, este é dos poucos blogs, que como o thiagones80 citou aí, “leio com calma” e faço questão de ler fora do RSS,

    Obrigado e vida longa ao Manual :)

  • Danilio Costa Silva

    Parabéns, comecei a ler as matérias e reviews recentemente, mas já me sinto mal quando passo mais de 2 dias sem aparecer por aqui kkkk.