Imagem de divulgação da Apple mostrando o desbloqueio do macOS Sierra com o Apple Watch.

macOS Sierra: Em time que está ganhando se mexe pouco

Por
20/9/16, 9h10 6 min 37 comentários

Mudar por mudar nunca foi uma receita muito promissora para time que está ganhando. Nessa linha, a maior mudança do Sierra, novo sistema operacional para Mac, está no nome — sai o “OS X” usado desde sempre, entra macOS, para ficar parecido com os demais sistemas da Apple.

Siri no computador

O macOS Sierra é uma iteração, uma melhora singela, passa a sensação de ser algo feito quase que para cumprir tabela. Alguém desavisado talvez ignorasse quaisquer mudanças se, num feriado prolongado, um colega de trabalho ou aquele sobrinho enxerido atualizasse seu Mac na surdina. No Sierra, baixado gratuitamente da Mac App Store e instalado sem sustos nem intervenções do usuário, você se verá no mesmo lugar ao fim do processo. Tudo é familiar. A única coisa visualmente diferente na Mesa é o ícone da Siri, exibido na Dock e na menu bar.

Levar a Siri, a assistente pessoal que apareceu no iOS 5 no já longínquo ano de 2011, ao Mac era inevitável e enfim aconteceu. A implementação, porém, ficou meio esquisita porque a Apple, talvez num excesso de zelo, preferiu acrescentar em vez de substituir. A Siri ocupa e replica muitas funções do Spotlight, a busca global do macOS que encontra seus arquivos e é capaz de um punhado de truques super úteis, de converter pesos, medidas e moedas a vasculhar o seu histórico de navegação. Pior: não dá para chamar a Siri por voz, só com teclado ou mouse/trackpad, e uma das aplicações mais úteis no iOS, a de definir contagens regressivas, simplesmente não funciona no Mac.

Siri responde que não consegue criar um timer no macOS.

A Siri, na verdade todos esses assistentes por voz, se provarão úteis quando forem capazes de absorver e interpretar requisições complexas. Não faz muito sentido pedir a ela para abrir um app ou digitar uma mensagem quando se está com os dedos no teclado. A alternativa à voz, a maneira como sempre fizemos essas ações, é mais rápida e precisa. Por outro lado, pedir à Siri para tocar músicas brasileiras populares nos anos 1970 no Apple Music é mais rápido do que mergulhar nos menus confusos do iTunes.

Esse, aliás, seria um belo exemplo do potencial da Siri se, ao pedir isso, ela de fato abrisse uma playlist de músicas brasileiras populares nos anos 1970 e não “American Woman” do The Guess Who. Talvez na próxima atualização ela seja capaz de considerar o “brasileiras” desse pedido.

iCloud e ecossistema

Para além da Siri, agora praticamente todos os apps têm abas. Uma das coisas que mais estranhei ao vir do Windows para o macOS foi o gerenciamento de janelas. ⌘+Tab (equivalente ao Alt+Tab) não compreende janelas, mas aplicativos. Em outras palavras, se você tiver duas janelas do Pages abertas, não consegue alternar entre elas assim.  Para alternar entre janelas de um mesmo app existe outro atalho, ⌘+`.

É meio esquisito mesmo depois de internalizar esses atalhos e acostumar-se a eles. As abas talvez sejam um recurso extra para lidar melhor com as janelas, mas usando o Sierra há mais de uma semana eu meio que já tinha esquecido da novidade, que só me ocorreu outra vez após visitar a página do Sierra no site da Apple.

Para quem tem um SSD pequeno, de 128 GB, outra novidade do sistema, o armazenamento otimizado, pode vir a calhar. Isso já existia no Fotos e agora foi expandido para todo o sistema. O macOS gerencia automaticamente o espaço consumido e sobe para a nuvem (iCloud) arquivos raramente usados, liberando espaço local.

Divisão do armazenamento consumido e do que pode ser purgável no macOS.

Para alguns esse tipo de solução pode ser precipitada, já que torna o uso do computador dependente de conexões à Internet disponíveis e rápidas, mas ela aponta para um futuro em que o armazenamento local, bem mais caro que o na nuvem, deixará de ser tão relevante1. Idealmente, não haverá distinção entre o que está no dispositivo e o que está na nuvem. Um dia chegaremos lá.

O macOS Sierra faz muito por quem se dispõe a ficar dentro do cercadinho da Apple. Como sempre acontece, todos os apps nativos foram atualizados e ganharam melhorias. As mais destacadas são o suporte ao Apple Pay e PIP no Safari; compartilhamento de notas no Notas; Memórias e outras formas de recuperar fotos no Fotos; Apple Music reformulado; iMessage cheio de recursos que jamais usaremos por motivo de WhatsApp; e caixas de entrada inteligentes e salváveis no Mail.

PIP do YouTube no Safari do macOS.

O novo Apple Music do Sierra.

Para quem tem outros gadgets da Apple, o macOS Sierra dá continuidade aos recursos apresentados no Yosemite, dois anos atrás. Agora, ele compartilha com iPhone e iPad a área de transferência — o que você copia em um pode ser colado no outro, sem qualquer tipo de atrito ou configuração adicional. É instantâneo e apenas funciona.

Opcionalmente, é possível sincronizar a Mesa e a pasta Documentos no iCloud e ter acesso ao conteúdo delas no iOS. Novamente: funciona. Além disso, o iOS é esperto o bastante para não começar a baixar na loucura aquele bruto de 5 GB que você jogou na Mesa temporariamente. Caso queira mesmo, é preciso dar o comando no iCloud Drive para ele baixar arquivos enormes.

Por fim, se você tem um Apple Watch, pode configurá-lo para desbloquear o macOS por proximidade.

Mais do mesmo, só que mais integrado

No Sierra, o iCloud está mais presente e a integração entre os dispositivos, que sempre foi característica da Apple, é reforçada e mais visível nas aplicações do dia a dia. Se antes já fazia sentido se fechar no ecossistema da empresa, iOS 10 e macOS Sierra aprofundam essa relação.

Não é nada muito diferente ou mesmo melhor do que o Google consegue fazendo simbiose com os sistemas dos outros e pela web, porém é algo que parece mais polido porque não depende de grandes contornos ou gambiarras. Caminhos diferentes que apontam para o mesmo destino.

A exemplo do iOS 10, não há muito motivo para desaconselhar a atualização para uma nova versão do macOS. Para o Sierra, em especial, essa decisão beira a indiferença — existem algumas poucas grandes novidades e possivelmente muitas pequenas e de bastidores, mas a sensação é de que você ainda está usando o El Capitan. O que não é ruim. Mexe-se sim em time que está ganhando, mas apenas onde é preciso ou a vantagem é clara. E, nesse sentido, o macOS Sierra joga bem, joga fino.

  1. É a mesma proposta do Chrome OS, só que um pouco menos dramática.

Compartilhe:
  • Excelente análise. Senti falta apenas de um tópico, recorrente entre usuários do sistema operacional sempre que uma nova versão é lançada: Instalação limpa – no caso do macOS Sierra é vantagem ou desvantagem?

    • Não sei se em Macs mais antigos há algum efeito colateral. No meu (MacBook Pro Early 2015), eu sempre atualizei por cima, sem formatar. Ele veio com o Yosemite, ou seja, já está na terceira versão diferente, e em nenhuma das duas atualizações tive problemas ou senti qualquer perda de desempenho. O mesmo para o iPhone — veio com iOS 9, sempre atualizei por cima, sem qualquer prejuízo.

      A vida é muito curta e os processos bons o bastante para jogar fora uma tarde escovando bits/formatando e restaurando backup :)

      • Harlley Sathler

        Geralmente eu faço isso “overnight”. Sempre preferi instalações limpas.

      • Paulo Nunes

        Queria pensar assim. Mas SEMPRE prefiro a instalação limpa. Por mais que seja um processo chatissímo, eu faço pra não ficar sempre com a sensação de que “mais pra frente vai piorar”.

        • Ligeiro

          Acho que muito “micreiro” (como nós) tem essa sensação de que “instalação por cima de instalação é ruim”. Por isso nossa mania de “instalação limpa”.
          Trauma da era dos Windows incompatíveis entre versões…

        • tuneman

          Até mesmo com Windows ou Linux. Pode até ser placebo, mas pra mim uma instalação limpa sempre fica mais rápida. Hahahha

  • GiulianoBR

    Segundo a análise, para quem não usa iCloud ou iPhone este update não trás nada de vantagem. Para mim não trouxe nenhuma novidade, pois todos os updates são de coisas que não uso. Que pena.

    • Carlos Gabriel Arpini

      Sempre tem. As atualizações melhoram o OS como um todo. Além dos aplicativos e afins.

  • Pingback: macOS Sierra: Em time que está ganhando se mexe pouco - Lojas Mídia()

  • Noah Cezario

    como sempre, uma analise sem firulas, como bem apontado no texto, é um OS pra quem já vive no ecossistema, coisa que Google e MS perdem feio.

  • Estevão Mascarenhas

    Excelente artigo. Acho que faltou mencionar o APFS que está sendo introduzido nesta versão do OS X. A promessa é de inúmeras melhorias para quem usa SSD, melhor performance, estabilidade e recuperabilidade de dados. :)

    • João Vitor Denardi Bosa

      Tb achei que ficou faltando falar do APFS, novo sistema de arquivos da Apple. Essa foi a maior mudança do macOS Sierra.

    • felipecn

      O APFS é bem legal mas Mas ainda nem tá ativo por padrão, e nem pode ser usado no disco de boot por enquanto.
      Está lá para testarem o sistema de arquivos, mas não é uma grande vantagem ainda.

      • Estevão Mascarenhas

        Você está correto, mas essa introdução vai abrir espaço pra nova geração de Macs provavelmente já virem com isso padrão, acho que é importante notar essa alteração.

      • Isso. Até cogitei abordar, mas não é algo que afete ou que exija a atenção do usuário ainda. Na análise do macOS 10.13 a gente fala de APFS :)

  • Raul

    Off topic: Ghedin, você pensa em fazer um review do novo elementaryOS?

  • Victor

    Adorei o artigo! :)

  • Ainda não ativei o modo “dropbox” do iCloud drive, mas estou com vontade de fazer isso. Para tanto, terei de começar a pagar mais um dólar por mês à apple. Alguém está usando? Será que vale a pena?

    De resto, espero pelo clibboard universal há anos. E a possibilidade de automatizar os pontos finais nas sentenças (como no iPhone) com dois espaços parece um preciosismo absurdo, mas me deixou mais contente com o sistema ;)

  • Luana Abreu

    Eu instalei no meu mac mini 2011, I7 quadcore, 16 gigas de ram e abrir o navegador ficou impossível!!!!! Eu tive que fazer o downgrade pelo Time Machine… sugava mais da metade do sistema só com o facebook aberto!!! Foi só comigo????

    • O meu é mac mini final de 2012 i7 4GB RAM e ainda estou com receio, uso a versão que veio nele mesmo 10.9.5.
      Medo de perder desempenho o que me dizem, alguém atualizou no mini?

      • Luana Abreu

        Eu uso o OS El Captain e é ótimo…não tenho do que reclamar… eu ainda não tentei instalar o Sierra novamente…

        • No seu caso do original que veio para o El Capitain sentiu melhorias?

        • No seu caso do original que veio para o El Capitain sentiu melhorias?

          • Luana Abreu

            Não veio original não, eu coloquei ano passado… o OS EL Captain é muito bom, muito estável…. se vc colocá-lo não vai se arrepender…

          • Sim entendi Luana, mas eu quis saber se o anterior ao El Captain qual era o seu? Depois de ir par o El Captain sentiu melhoras?

          • Luana Abreu

            Eu comprei com o OS Leopardi, depois fui pro Yosemite, e agora no El Capitan… eu gostava do Leopardi, mas atualizei porque algumas funcionalidades vão se perdendo se vc não faz o upgrade. O El Capitan é tão bom quanto o Leopardi na minha opinião, não tive perda de desempenho não… Apenas com o Sierra que deu esse problema que falei, mas eu não sei se fazendo uma instalação limpa muda alguma coisa… um dia eu tento, mas por enquanto não senti necessidade de mudar não…

          • Luana Abreu

            Eu comprei com o OS Leopardi, depois fui pro Yosemite, e agora no El Capitan… eu gostava do Leopardi, mas atualizei porque algumas funcionalidades vão se perdendo se vc não faz o upgrade. O El Capitan é tão bom quanto o Leopardi na minha opinião, não tive perda de desempenho não… Apenas com o Sierra que deu esse problema que falei, mas eu não sei se fazendo uma instalação limpa muda alguma coisa… um dia eu tento, mas por enquanto não senti necessidade de mudar não…

          • Na verdade eu estou com receio pois o meu ainda é original de fabrica, inclusive tem apenas 4GB de RAM, preciso comprar mais, pois o meu modelo ainda possibilita upgrade de memória pelo usuário, mas não sei onde acho memória compatível.

  • Victória Fernanda

    Sinceramente esse OS Sierra está uma bosta! Saindo de visual e entrando um pouco mais em desempenho, o visual dele pode estar o mesmo do El Capitan mas o desempenho é três vezes mais arrastado, ele é pesado e o tempo de resposta para tudo é miserável, 8 giga de RAM, para ele é nada! Ele vai sugar o 8 giga e ainda vai continuar uma carroça, só abrir o safari já suga quase 5 giga de RAM, abra o iTunes e tente navegar ouvindo música, você vai desistir! O aproveitamento de vRAM dele vai fazer você chorar, é pre requisito ter um mac com uma ótima placa de vídeo para usar esse sistema, sem falar dos bugs que dão raiva e por último a coisa que mais me desespera, ele faz o computador feder a queimado de tanto que esquenta, parece que a apple queria transformar os macs em bombas com esse sistema pq realmente parece que o computador vai explodir. Resumindo, foi um sistema feito de forma egoísta visando só quem usa os macs de 2015 e 2016 (que são o preço de um rim e quase ninguém tem), pq nenhum computador que não seja NO MÍNIMO um i7 com 16 giga de RAM e PRINCIPALMENTE tenha um SSD vai aguentar esse sistema. Então se o seu mac tiver um HD normal, for um i5 ou anterior e só tiver 6 giga ou 8 de RAM não atualize para o Sierra você não vai conseguir usar, continue no El Capitan e não saia dele. Vou fazer um downgrade no meu mac antes que ele exploda! Só mas uma coisa, eu sempre faço instalações limpas.

    • Hey Victória, acho que o gargalo aí é o HD normal mesmo. E não é de agora que a Apple meio que considera SSD “padrão”. Infelizmente, parece que a empresa não se preocupa muito em sacrificar o desempenho de dispositivos com disco rígido em prol de continuar mexendo no macOS.

      O meu MacBook Pro é o modelo early 2015 e tem várias das características que você cita como inviáveis para o Sierra. Ele tem um Core i5 e “só” 8 GB de RAM. Mas tem um SSD e, aqui, não senti muita diferença em termos de desempenho para o El Capitan, mesmo atualizando, sem fazer instalação limpa. (Quero dizer que o sistema continua muito rápido e estável.)

      • Victória Fernanda

        A coisa é o HD mesmo e o Sierra é um devorador de RAM, o engraçado é que uns 90 % dos Macs do mundo usão HDs normais, por isso que eu disse que o Sierra foi feito meio que com egoismo. Então só pq agora a Apple considera o SSD como padrão dane-se se mas da metada do mundo ainda não tá pensando isso? É uma coisa egoísta. Uma empresa como a Apple tem que fazer seus produtos pensando no bom uso da maioria.

        • Períodos de transição costumam ser complicados mesmo. Não estou defendendo a Apple, é só que, em alguma medida, em certos momentos de transição de tecnologia quem está com a “antiga” acaba sofrendo pelo processo.

          (Um caso análogo talvez seja o de quem comprou smartphone Nokia, com Symbian, na época em que o iPhone e os modelos com Android despontaram. O melhor de até então virou algo detestável da noite para o dia.)

          Se o seu Mac permitir a troca do HDD por um SSD, sugiro considerar. É um upgrade relativamente barato (compra-se um de 240 GB por menos de R$ 300) e que dá outra vida ao seu sistema — seja macOS ou Windows, o ganho em desempenho é gigantesco.

          • Victória Fernanda

            Já estou considerando a um bom tempo, mas estou me segurando pq não quero comprar um com pouco espaço, sou ilustradora e sempre acabo guardando uma tonelada de coisas kkkkkkk.ou talvez eu até compre um pequeno e faça um Fusion drive, meu único medo do Fusion drive é perder desempenho demais, pq de acordo com a Apple existe uma perda de desempenho mas depois que o computador aprende como vc trabalha, essa perda de desempenho fica minima.
            Mas de qualquer forma só vou pensar nisso em fevereiro, até pq estou pensando em comprar um Mac novo então tenho que ir por partes kkkkkkkk estou visando um MacBook pro mid 2014 e esse é o máximo que eu posso pagar XD já vou ficar pelo menos uns 8 meses pagando kkkkkk mas fazer o que? Não consigo mas usar Windows.

    • Leonardo Nogueira da Silva

      Muito obrigado! Continuarei com o meu Yosemite. 2011, I5, 16Gg de ram, disco duro normal. Roda legalsinho….

    • Leonardo Nogueira da Silva

      Muito obrigado! Continuarei com o meu Yosemite. 2011, I5, 16Gg de ram, disco duro normal. Roda legalsinho….

  • Danilo Matos

    Gostei do artigo.
    Só te dar umas dicas quando for falar do “alt tab”. No Mac eu acho ele praticamente indispensável com relação a janelas, porque temos os atalhos do trackpad! Deslizando quatro dedos pra baixo você separa apps, e quatro dedos pra cima você separa janela se de um mesmo app. Isso sem contar com a maravilha que é alternar entre apps com quatro dedos pras laterais.
    Praticar o desapego com o Ruindows faz bem pra alma kkkk

  • Danilo Matos

    Gostei do artigo.
    Só te dar umas dicas quando for falar do “alt tab”. No Mac eu acho ele praticamente indispensável com relação a janelas, porque temos os atalhos do trackpad! Deslizando quatro dedos pra baixo você separa apps, e quatro dedos pra cima você separa janela se de um mesmo app. Isso sem contar com a maravilha que é alternar entre apps com quatro dedos pras laterais.
    Praticar o desapego com o Ruindows faz bem pra alma kkkk