Foto de um carro passando rápido na estrada.

Manual do Usuário, o blog de tecnologia que será (quase) sempre o último a falar

Por
15/10/13, 10h00 8 min 42 comentários

Em uma das minhas últimas idas a São Paulo reuni alguns amigos em uma cafeteria da Alameda Santos e, sendo a maioria jornalistas que escrevem ou já escreveram sobre tecnologia, o papo acabou descambando para esse lado.

O Pedro levantou as sobrancelhas de alguns dos presentes quando disse que, hoje, se houver três notícias de tecnologia revelantes por dia é muito, e que todo o resto é basicamente dispensável.

Aquilo ficou martelando a minha cabeça.

Mais recentemente, Evan Williams, do Blogger, Twitter e Medium, disse ao TechCrunch algo na mesma linha:

“Notícias em geral não importam na maior parte do tempo e a maioria das pessoas estaria melhor se gastasse seu tempo consumindo menos delas e mais ideias com efeitos de longo prazo.”

Ele também disse que blogs de tecnologia são escritos por incompetentes e todos muito ruins, mas esse é outro papo :-)

A importância que a tecnologia de consumo ganhou na vida das pessoas, principalmente depois do “boom” dos smartphones em 2007~2008, fez crescer também a atenção dada a essa área. Mesmo com esse fator jogando contra as declarações do Pedro e do Ev, uma análise menos apressada revela que talvez não seja mesmo preciso gastar tanto teclado para manter os interessados por dentro do que rola e que, com certeza, há muito ruído no noticiário de tecnologia. Na Internet de modo geral, mas especialmente nessa área.

Existe uma série de culpados que força boa parte da imprensa a dar atenção a rumores, falar incessantemente de Apple, entrar nas briguinhas de fanboys e apelar para curiosidades que mereceriam no máximo um tuíte, mas o principal é a publicidade. Ainda calcada em métricas questionáveis como page views, ela coloca o bom jornalismo contra a parede. É um problema crônico e de longa data sobre o qual não me prolongarei muito aqui — aos interessados, e recomendo que todos estejamos, leiam isto.

Outras questões meio relacionadas merecem crédito também, como o tratamento que alguns veículos dão ao tema, como se tudo fosse super incrível e maravilhoso, e aos leitores, ignorando a bagagem e o conhecimento deles, mantendo aquele desnivelamento típico de professor-aluno de escolas antiquadas, como se a relação site-leitor fosse uma via de mão única.

Dá para fugir disso? Dá para fazer diferente? Acho que sim, e é isso o que tentarei neste Manual do Usuário.

Mas… quem é você?

Este sou eu.
Foto: Laura Mariane Cecílio/Arquivo pessoal.

Oi, meu nome é Rodrigo Ghedin — esse cara boa pinta aí em cima. Sou bacharel em Direito, estudo Comunicação e nunca trabalhei com outra coisa que não jornalismo de tecnologia. Comecei nisso, aos trancos e barrancos, em 2002, e desde então integrei equipes de alguns sites e blogs muito legais.

Tudo começou no WinAjuda, site próprio que criei quando ainda estava no Ensino Médio e, oito anos depois, vendi para uma editora. Em 2009 fui para o Meio Bit, onde fiquei por dois anos. Depois teve os meteóricos seis meses de Gemind, no final de 2011, minha segunda investida independente que fracassou por ser muito ambiciosa e, em certa medida, ingênua. Nesse meio tempo, colaborei timidamente com o TechTudo, da Globo.com, assinando uma coluna sobre a Microsoft. No começo de 2012 fui para o Gizmodo.

Lá, aprendi muito sob a batuta do Pedro e, depois, do Leo, ao lado do Felipe, Nina, Giovanni, Daniel, André e Ana, e com o apoio de todo o corpo de profissionais da F451 — é um punhado de gente! Mesmo remotamente, deu para sentir mais ou menos o clima de uma redação e apurar a visão que eu tinha desse universo. Ter mais cautela, mais paciência, ser mais curioso. No fim, acho que aprendi a ser mais profissional.

Esse caminho, com umas partes das quais me orgulho um bocado, algumas viagens fascinantes e uns encontros não muito legais da minha cara com o muro, culmina neste blog que você está lendo, no Manual do Usuário.

Mais um blog de tecnologia?

Sim, mas um diferente. E é nessa diferença que ele se justifica.

Se tudo correr bem, você ficará satisfeito ao fim de cada leitura que fizer aqui, terá compreendido e internalizado o tema proposto e, talvez, ficará com um gostinho de quero mais que poderá ser saciado na seção de comentários.

A ideia é levar aquele papo de três notícias por dia (no máximo!) ao pé da letra, apegar-se à filosofia slow web1 e oferecer conteúdo único e de alta qualidade. Você não lerá nada exatamente novo aqui. Não tenho e nem quero o compromisso de ser o primeiro a dar uma notícia, não é essa a ideia. O objetivo é dar a notícia que importa e de maneira completa. Contextualizada, questionada, esmiuçada.

Além das notícias, há outra parte importante nessa receita: os textos longos, bem trabalhados, demorados, como alguns que fiz nos últimos meses pelo Gizmodo — veja isto e isto para entender. Lá fora chamam esse estilo de “longform journalism”; aqui, já ouvi falar em “leitura de fôlego”, mas não tenho certeza se esse é o termo correto. E não importa. O que interessa é que serão textos fora da curva, lapidados, redigidos depois de muita leitura, pesquisa e reflexão. Note que até o visual do blog denota esse ar mais… artesanal. (Aliás, curtiram?) Os assuntos? O que for legal e/ou importante.

Quando Tim Stevens, ex-editor-chefe do Engadget, anunciou sua ida à CNET, ele escreveu em seu blog:

“Embora a cena de notícias de tecnologia esteja muito saturada, ainda há um monte de histórias não contadas apenas esperando atrás das cortinas. Quando o ritmo das notícias é intenso dessa forma, poucos escritores têm o luxo ou a paciência de se aprofundar, não só para responder o que determinado objeto é, mas por que ele é. Que fatores contribuíram para seu design, seu desempenho, seus recursos e seu custo? E então, depois que os reviews são publicados e a indústria se move em sua sua eterna obsessão para saber o que vem a seguir, como o que já está aqui se encaixa de fato em sua vida? Cada novo produto e avanço tecnológico tem uma história. Trabalharei para contar, de forma exaustiva e respeitosa, essas histórias.”

Longe de mim comparar-me ao Tim, mas ler esse parágrafo reforçou a ideia de que havia essa lacuna e que as condições eram favoráveis para tentar.

Legal! Por onde começo?

Foto de cima da Type Cover anexada a um Surface Pro.
Foto: Rodrigo Ghedin.

Pensei em explicar logo de cara a linha editorial do Manual do Usuário, mas talvez seja mais divertido se vocês verem essas coisas nascendo aqui e ali. O arquivo já conta com algumas notícias recentes. Novos estão a caminho, incluindo os especiais a que me referi acima. Os podcast serão trazidos para cá e, por ora, podem ser ouvidos direto da fonte (caso queira assiná-lo, este é o feed RSS e aqui ele na iTunes Store). Recomendo também dar uma lida no “Sobre”, especialmente o trecho onde explico como planejo manter isso funcionando — você pode ser parte importante para fechar os números no final do mês e é, sem dúvida, a mais importante no que condiz a termos de uso e privacidade.

Como é praxe hoje, acompanhe as novidades via TwitterFacebook, Google+, RSS ou assinando a newsletter gratuita do site. Você também pode se tornar assinante e ganhar acesso ao “lado B” do site, com alguns benefícios como a versão “premium” da newsletter. Nela, além do resumão semanal deste blog, compilo e comento links bacanas que encontro por aí. Quem assina, adora.

(Pretendo publicar apenas links dos posts, um “giro de notícias” diário e responder dúvidas no Twitter do Manual do Usuário. Para um papo mais descontraído e comentários rápidos sobre tecnologia, além de umas piadas ruins e tuítes sem nexo ocasionais, siga meu perfil pessoal por lá.)

Os comentários, como dito, estão abertos. Lerei todos, responderei quando convir. Puxe um banquinho, abra a geladeira, pegue uma cerveja e não se sinta intimidado para falar. Isso será legal!


1 Slow web é um movimento recente que chama a atenção para a celeridade da informação na web e de como isso nos faz mal. Como uma analogia ao Slow Food, Jack Cheng prega, em seu manifesto, que desaceleremos e saibamos aproveitar o que a web tem de melhor em vez do que ela oferece mais rápido. Escrevi sobre isso no PapodeHomem
Compartilhe:
  • Pablo Ruan Dias Feijo

    Fico muito feliz em ler isto! Não aguento mais estes feeds com 99+ noticias diárias, mas que no final acabam apenas se repetindo!

    Como sempre continuo acompanhando o trabalho (since 2010 hehe) e na torcida pelo sucesso!

    Go Go Ghedin!

  • Larissa Paschoal

    Oi!
    Gostei muito da ideia do seu novo site, vamos acompanhar :)
    Só um comentário: talvez colocar os links externos para abrir em nova janela. Fui clicar e todos carregam aqui, o que me fez clicar para retornar e continuar o seu texto.

    • Obrigado, Lairssa!

      Sobre onde os links abrem, é uma discussão antiga. Acabo preferindo links que abrem na mesma janela porque assim as duas opções ficam disponíveis: quem não gosta desse modo tem a opção do Ctrl + Clique (ou botão direito, “Abrir em nova aba”) para abrir os links em outro lugar. Faz algum sentido, né?

      • Larissa Paschoal

        Eu imaginei que fosse algo do gênero, afinal você trabalha há muito tempo com isso rs
        Mas achei legal dar um toque :)
        Obrigada!

        • Você não foi a única a observar esse detalhe :-)

          Se tiver outros apontamentos a fazer, sinta-se à vontade!

  • Kadu Gaspar

    Ghedin, acho que isto é o que faltava no jornalismo de tecnologia da internet brasileira. Pelo que me consta, não havia nada deste tipo ainda focado em tech. Com certeza estarei sempre aqui, e torcendo para o sucesso do Manual do Usuário. Nós, ~internautas~, simplesmente precisamos de algo assim.

    Ps.: Fico feliz em ver um espaço para comentários aqui. Muitos justificam que são desnecessários, que as redes sociais estão aí para isto, mas eu julgo importante ter um espaço centralizado para isto.

    • Concordo contigo, Kadu, acho que existe essa lacuna mesmo por aqui, tanto que estou tentando ocupá-la :-)

      E os comentários são legais. Dá um trabalho enorme gerenciar tudo, principalmente depois que o blog estiver maior (no começo é só oba-oba, todo mundo feliz haha), mas acho que é um aspecto muito válido aqui. Há exceções, no meu blog pessoal eu não abro esse espaço, por exemplo, mas no Manual acho que será legal ter o feedback dos leitores.

  • Rodrigo Camargo

    Finalmente xará, te acompanho desde o Winajuda, cheguei a te enviar e-mail reclamando de tê-lo vendido e deixando-me órfão de um blog de qualidade, quem te conhece a pouco tempo talvez ache que esta inventando moda, mas quem já te acompanha a tempos entende que na verdade esta voltando a tuas origens, percebe-se que nunca foste preferencialmente o cara das manchetes e sim aquele que faz o leitor entender bem o assunto pautado, o que na minha opinião é o trabalho mais difícil porém mais rico, é o teu diferencial.

    Sucesso na nova empreitada, estamos juntos.

    • Valeu, Xará! Uma pauta frenética, com notícias rápidas, também é difícil; acho que essas duas abordagens são complicadas, mas por motivos diferentes. Pessoalmente, prefiro o método devagar e mais contextualizado, e é isso o que estou colocando em prática aqui. Resta saber se terá público e força comercial para se manter — mas estou bastante confiante!

  • Erivelton Morais

    Como o Pablo disse, há muitas notícias e pouco conteúdo e eu sinto falta de notícias que realmente se aprofundam com qualidade no assunto. Venho acompanhando seu trabalho há algum tempo e continuarei acompanhando por aqui agora.
    Parabéns pela iniciativa e muito ao blog!

  • Isso aí Ghedin!

    Sempre me deparo com meus feeds e aquela centena de posts em 2 dias que torna a busca pelo bom conteúdo um martírio!

    É ótimo ver iniciativa assim.

    Uma pergunta: quando possível fará reviews de aparelhos aqui também ou abra que o novo espaço não cabe isso?

    Em tempo…, isso foi blogvolução (esquece o digimon)! E quem escreve por último escreve melhor (e ri também).

    • Sim, escreverei reviews. Não garanto uma frequência alta, nem agilidade em relação aos lançamentos. Como dependo das assessorias para receber aparelhos para testes, imagine a complicação — entre o Manual do Usuário e um Estadão, ou Gizmodo da vida, óbvio que darão preferência para os dois últimos. E nem tenho o que argumentar, elas estão certas em priorizar esses veículos pelo alcance que eles têm.

      De qualquer forma, tenho conversado com algumas assessorias e a maioria se mostrou bem acessível. Até já tenho alguns aparelhos na bancada esperando uma olhada mais atenta.

      (Curti esse lance de “quem escrever por último, escreve melhor” :-D )

  • Tales Mousinho

    Muito bom
    acompanho seus posts a um bom tempo, gostei muito dessa sua proposta.
    Tenho sentido uma necessidade de me desligar desse ruído que existe na Internet, mas dificilmente encontramos bons artigos em português.
    Ainda tava por fora desse conceito de slow web, algo que me parece muito necessário hoje em dia.

    • Isso, menos ruído, mais análise, mais COMIDA PARA O CÉREBRO.

      E Slow Web é um movimento muito legal, vale a pena se inteirar. Meu texto, que cito no final do post, é um bom ponto de partida.

  • Mateus Azevedo

    Boa Ghedin!
    Sempre gostei dos teus textos e acompanhei tua jornada desde o MeioBit.
    Essa ideia de posts longos e completos muito me agrada. Aliás, esse era um motivo por não ter gostado tanto do Gemind, tinha muita atualização diária.

    Aproveitando, os posts daqui vão sair no teu feed completo? Apesar de assinar a newsletter, gosto de receber as novidades pelo RSS.

    • O formato do Gemind era inviável por uma série de motivos, de financeiros a logísticos, passando também pela linha editorial. No fundo era uma ideia boa e bem intencionada, mas subestimei (muito!) as dificuldades. Que não demoraram a se manifestarem.

      A pegada aqui é mais vagarosa, como você e os demais leitores notarão. Com a experiência do Gemind, não será pelas mesmas dificuldades que o Manual morrerá. Talvez por outros motivos, mas não pelos mesmos da época. E bate na madeira! :-D

      Vou dar uma mexida no Yahoo Pipes para tentar colocar o feed do Manual no meu completo. Faz uma cara que não mexo nele, mas não deve ser difícil. Em todo caso, recomendo assinar o feed daqui — eventualmente publicarei posts de convidados especiais.

  • Danilo Kleber

    Concordo 100%!

    Sempre procurei ler seus textos (onde quer que estivesse escrevendo; ia atrás, rs) porque sinto esse ar de slow-web, de contextualizar, esmiuçar. Faz MUITO bem diminuir o ritmo em prol até mesmo da “sanidade virtual” e pegar pontos de vista mais interessantes.

    Realmente parabéns e muito sucesso!

  • Ghedin, iniciativa bacana, desejo tudo de bom na empreitada aí, estarei por aqui acompanhando (e comentando, raramente). Sucesso!

    • Obrigado, Gustavo! Apareça sim, e comente sempre que quiser.

  • Luis César

    Parabéns pelo trabalho! O site ficou bem agradável de ler no iPad. Quanto ao conteúdo, você falou uma verdade. Falta qualidade, falta opinião. De 150 notícias do feed, 4 ou 5 vão para o Pocket no final do dia. Boa sorte nessa nova empreitada.

    • Que bom que curtiu, Luis! Desde o começo mexi no layout pensando em mobile. Ele é responsivo e, acho eu, fica mais legal de se ler em smartphones e tablets do que em computadores/notebooks.

      Valeu pela força!

  • Eloy Machado

    Que o MdU seja um grande sucesso, Ghedin. Estarei por aqui prestigiando sua nova empreitada.
    Abraço!

    • Obrigado, Eloy :-)

      (E parabéns pelo Dia dos Professor!)

  • Mathias Simon

    Faz sentido cara. Sucesso pra ti! Mt melhor do que blogs que passam o dia traduzindo posts ruins de blogs americanos…

    abs,

    Mathias

  • Henrique Bonfim

    Opa Ghedin! Parabéns pelo blog cara…. Acompanho vc desde o Gizmodo e no MU podcast…. Sei que temos muito material de qualidade pela frente!!

    • Valeu, Henrique! Espero corresponder às suas expectativas com o novo Manual do Usuário.

  • Nelson Souza

    Olá Ghedin!

    Boa sorte nessa empreitada, te acompanho desde o Meio Bit, gostei muito da proposta do MdU e tenho certeza que você tem competência de sobra para fazer algo interessantíssimo!

    O layout ficou show de bola no mobile, bonito, clean e perfeitamente responsivo.

    Abraço!
    Nelson

  • Ivan Bauer

    Boa sorte Ghedin.
    Se prepare, o corporativismo vai tentar resistir criando mais pseudo-tecnologia para o público desatento e consumidor de “lixo eletrônico”. Mas eu acredito que, no fim, tudo vai dar certo.
    Será interessante acompanhar o fim da “era do ruído”.

    • Não sei se o Manual terá força para ditar o fim da “era do ruído”, mas é um passo nesse sentido. Valeu pela força, Ivan!

  • Eu adorava o Gemind, escutei a grande maioria dos podcasts dele, mas com o tempo fui perdendo um pouco o interesse por áudio com mais de vinte minutos. De uma maneira geral. :/

    Com o fim daquele belo blog com nome alemão, meio que perdi o nascimento do Manual do Usuário como podcast mas gostaria sim de acompanhar o blog e sua bela proposta, torcendo aqui para tudo dar certo aí. Slow web, slow! :)

    • Valeu, Laguna!

      E, adiantando uma novidade do podcast, daqui para frente faremos episódios mais curtos (estou entre 30 e 40 minutos). Acho que assim ficará mais fácil acompanhar.

  • Diego

    Curti demais a idéia e ontem mesmo deixei de lado o Pulp desktop por causa das notificações constantes. Mesmo que conseguisse me segurar algumas vezes, quase sempre me rendia e abria-o para ler as últimas notícias, que em sua maioria eram repetidas. Resolvi manter apenas o app do Digg Reader para ler em casa ou quando estiver sem nada para fazer. Boa sorte nessa nova empreitada e continuarei sendo ouvinte (e agora leitor) constante do MDU.

    • A ideia aqui é abordar menos assuntos, mas ir fundo nos que escolher ir atrás. É um recorte um tanto pessoal (eu guio a pauta, afinal), mas um importante, e válido. Obrigado pela confiança, Diego :-)

  • Mais um desejo de boa sorte! :)

    Acho que no Brasil não temos nenhum blog nesses moldes sobre tecnologia. Eu gosto muito dos textos do Pedro Burgos e sinto falta do conteúdo dele no Gizmodo…espero que você preencha essa lacuna. Inclusive, acho que os blogs deveriam sempre ter uma proposta mais similar a sua, fico com a sensação que os blogs brasileiros acabaram cobrindo a lacuna deixado pelo jornalismo tradicional de tecnologia e acabou perdendo um pouco da essência.

    Por fim, achei o design genial, porque ele casa perfeitamente com a sua proposta.

    • A ideia é essa mesma, fugir do arroz com feijão e apostar em conteúdo exclusivo.

      Obrigado pela força, Gabriel!

  • Danilo Soares

    Uma das melhores coisas desse blog é seu design limpíssimo e a fonte grande, nem precisarei usar o Readability nele rs.
    Nem preciso falar do contéudo, que sempre foi de primeira vindo da sua parte. Obrigado por mais essa criação!

    • Fico lisonjeado em saber que o Readability não tem vez aqui :-) Aliás, eu uso isso como parâmetro na hora de fazer um layout: eu usaria o Readability/Clearly nesta página? É uma das lições mais valiosas que já tive nessa área — até comentei no meu blog quando me deparei com ela.

      Valeu pela força, Danilo!