Como o leitor enxerga o Manual do Usuário

Por
15/10/16, 14h07 3 min 5 comentários

Nota do editor: Pedi ao Gabriel Arruda, que acompanha o Manual do Usuário desde o início, foi o primeiro assinante do site e já teve matérias publicadas aqui, para que comentasse como ele, representando os leitores, enxerga o Manual em seu terceiro aniversário. Obrigado, Gabriel!


Foto do Gabriel Arruda.Quando o Ghedin saiu do Gizmodo e abriu o Manual do Usuário, achei estranho outro voo solo após o Gemind, mas comprei a proposta depois de ler o post inaugural: um blog mais “low profile”, focado em textos mais reflexivos sobre tecnologia e não na cobertura em tempo real dos últimos lançamentos. No meu caso, houve até uma conexão pessoal com a ideia presente aqui: há três anos, eu também estava tomando uma decisão na minha vida de caráter similar. Queria menos pressa, trabalhar do meu jeito e viver mais de boa.

Pela proposta, esperava algo mais autoral, focado na pessoa do Ghedin, tipo o Daring Fireball, sem muito pitaco dos demais. No final, acabou sendo justamente o contrário. Além da tradicional caixa de comentários, o Manual tem ações especiais com os leitores como as mochilas/mesas e os concursos culturais. O legal é que todas essas ações parecem ter tido um feedback positivo; pouca coisa “flopou”.

Os comentários têm discussões leves e um público mais diversificado (ao meu ver) que demais sites de tecnologia, trazendo diversos tipos de opiniões e conhecimentos. Mesmo nas polêmicas, é raro virar briga como ocorre com tanta facilidade nas discussões via internet. Aliás, só eu sinto falta do Post Livre? O canal do Disqus é bom, mas o ritual de sexta-feira era importante para eu lembrar de postar alguma coisa.

Abrir a seção de mesas e mochilas para os leitores foi muito legal, ver como “pessoas de verdade” utilizam a tecnologia dentro do seu dia a dia. É divertido para os leitores e agrega ao site. Se o Manual deseja analisar a tecnologia na vida das pessoas, é importante pensar em quem não cobre ou trabalha com tecnologia. Afinal, não é só de MacBook e Moleskine que o brasileiro vive, como parecia antes da abertura ao público.

A única ação com os leitores que parece não ter ido muito bem foi o Clube de Leitura. Talvez seja hipocrisia lamentar, já que optei por não participar também, mas acho que apenas pelas resenhas já valeu a pena. De qualquer forma, mais um exemplo de engajamento “diferenciado” que o Manual traz aos seus leitores.

Enfim, é gratificante ver o projeto crescendo e se consolidando, criando uma comunidade saudável ao seu entorno do qual fico feliz em participar. Que venham os próximos aniversários!

Compartilhe:
  • ” Afinal, não é só de MacBook e Moleskine que o brasileiro vive”

    É isso ai cara!!

    O quadro tava muito esnobe antes de abrir o espaço pros leitores na minha opinião. hahahahaha!! Todo post era batata sair uma mochila de couro, macbook e iphone. Depois o quadro ficou mais real.

    Que venham mais anos de manual!

    • Acho que esnobe é um pouco forte, essa é a realidade dos profissionais que cobrem o jornalismo e áreas ligadas à tecnologia, pelo menos os mais jovens.
      Podemos não gostar, entender, mas tem que aceitar, né… ?
      Agora, é bom termos a participação dos leitores que mostram como é a mochila de vários outros profissionais.

      • Sim, não era uma crítica às pessoas que usam essas coisas, até porque eu sou um dos “MacBook + moleskine” da vida haha

        Eu comentei porque acho que realmente há uma diversidade maior de aparelhos dependendo da necessidade e, por mais que seja um fanboy assumido de Macs, vejo uma série de motivos para não investir em um (começando pelo preço).

        • Entendi o que quis dizer e concordo. Ficamos numa bolha acompanhando essas mochilas e fica meio estranho.

  • Carlos Gabriel Arpini

    Gosto do MdU por algumas razões, principalmente a profundidade das discussões, que muitas vezes não tem uma conclusão fechada em si mesma e levam a uma reflexão que é imediatamente comprada pelos comentaristas.
    E realmente gosto daqui. Sinto-me bem lendo as matérias e acompanhando os comentários. Hoje tenho o hábito diário de verificar se há algum novo post. Vida longa ao MdU.