Hugo Barra.

Com escritório para alugar, Xiaomi confirma mudanças na operação brasileira

Por
25/5/16, 20h25 4 min 26 comentários

Por Emily Canto Nunes e Rodrigo Ghedin.

No início de maio o Manual do Usuário publicou, com exclusividade, a informação de que a Xiaomi estaria cogitando sair do Brasil. O motivo seria a dificuldade de emplacar seus produtos e modelo de negócios por aqui, além das reviravoltas no cenário econômico. Há pouco Hugo Barra, vice-presidente de expansão da Xiaomi, confirmou ao site AndroidPIT que a operação brasileira será bastante reduzida e não veremos novos smartphones da fabricante no país “no curto prazo”. E mais: outra vez com exclusividade, soubemos que a Xiaomi está deixando seu escritório na Vila Olímpia, em São Paulo.

Na entrevista ao AndroidPIT (que à época “desmentiu” o nosso furo sobre a saída da Xiaomi do Brasil com base em um comunicado agressivo da empresa), Hugo Barra disse:

“Com as mudanças constantes nas regras de fabricação e na tributação para as vendas via e-commerce no Brasil no final de 2015, e que ainda não estão solidificadas, decidimos não fazer novos lançamentos no país no curto prazo. Sabemos da expectativa dos fãs a respeito de novos produtos, mas concluímos que, dada a atual situação, é a decisão correta.”

Além disso, boa parte da operação (marketing e social media) será remanejada para Pequim e o modelo de negócio será totalmente revisto, com os estoques restantes sendo vendidos exclusivamente por canais parceiros do varejo.

Já havíamos notado que a loja oficial da Xiaomi, no início o canal de vendas exclusivo da empresa, está sem produto algum disponível.

Escritório disponível para locação

O Manual do Usuário soube por uma fonte que a Xiaomi está mudando de escritório pouco mais de um ano e meio após se mudar para o local. O escritório atual está sendo anunciado para locação.

Escritório da Xiaomi para alugar.

Anúncio para locação do escritório da Xiaomi.

A sala de 330 m² com detalhes em laranja, sala de descompressão cheia de versões do MiBunny e expositor de produtos que a imprensa brasileira conheceu em meados de 2015 deverá ser desocupada até final de julho segundo informações do corretor da Almeida Filho que está agenciando o imóvel.

O imóvel, que fica na Vila Olímpia, já havia recebido cinco propostas acima do valor mensal pedido pelo proprietário, de R$ 21 mil (fora condomínio e IPTU), nos dias 12 e 13 de maio. Um novo contrato de locação já estava sendo assinado e, segundo o corretor, as fotos eram reais e aquele era um imóvel atípico em termos de organização das posições de trabalho. Um anúncio em um site traz as informações do local e também as fotos que reproduzimos aqui.

Ainda de acordo com informações da imobiliária, contratos comerciais normalmente são de 24 meses, podendo chegar a 48 meses (quatro anos). De acordo com nossas fontes a Xiaomi mudou para essa sede oficial no início de 2015. Ao que parece, o enxugamento da operação brasileira pode ter motivado a cessão antecipada do contrato, mas ainda não está claro se a Xiaomi se mudará para um menor ou se deixará de ter um espaço físico no país.

O Manual do Usuário entrou em contato com a assessoria de imprensa da Xiaomi do Brasil questionando o anúncio do aluguel do escritório da empresa. Recebemos a seguinte resposta:

“Existe uma possibilidade de mudar de local até o fim do ano para ir para outro bairro, mas não tem nada definido ainda.”

Apenas por praxe, questionamos as informações veiculadas pelo AndroidPIT, mas sobre isso ainda não tivemos retorno.

Foto do topo: LEWEB/Flickr.

Compartilhe:
  • Assim que vi a informação no Tecnoblog fiquei esperando seu post. Parabéns mais uma vez pelo trabalho investigativo.

    Fiquei rindo dos haters no post anterior dizendo que você tava mentindo :P

    • jairo

      Parabéns a Emily e ao Ghedin pelo furo de reportagem.

  • Caramba! Que furo!
    Isso sim é jornalismo investigativo.

  • Só tenho uma coisa a dizer: Parabéns pelo trabalho, Emily e Ghedin, vi esses dias um cara te contrariando e agora isso.

    Para quem não é patrão, eis um motivo para ser ;)

    • Régis

      Pois é! Parabéns para este site, pelo trabalho deles. Mas é triste ver que teremos uma opção a menos aqui.. Só há motivos para lamentar ?

  • Louis

    E a Xiaomi ainda teve a cara de pau de soltar uma nota negando tudo.

    Acima de tudo, parabéns pelo trabalho da equipe do MdU.

    • Manoel Guedes

      Eles querem vender o estoque encalhado antes do povão descobrir a saída deles! Lamentável!

  • Saulo Benigno

    Eita, mais uma confirmação.

  • Diego Farias

    E ainda tiveram a cara de pau de negar quando surgiu a informação. Estou com o Redmi 2 Pro, é um ótimo aparelho. Vou continuar com ele por um bom tempo até adquirir um Nokia com Android.

  • Allan Bittencourt

    E eu acabei de comprar um Redmi 2 Pro…

  • D’ Carvalho

    Que triste, espero que voltem com tudo.

  • Amaranto Júnior

    Conhecendo o trabalho do Ghedin, sempre acreditei. Parabéns mais uma vez. Vamos aguardar o sepultamento agora

  • André Martani

    Não sei onde vamos parar! Muitas empresas tem deixado o Brasil por conta dos altíssimos tributos. Some-se a isso a falta de credibilidade do país no mundo todo, e o que temos? 12 milhões de desempregados…

  • Panino, o Manino

    E no fim vão vender o estoque que ainda resta é deixar quem quer comprar na mão. Vai causar ainda mais frustração quando os possíveis consumidores não conseguem comprar os aparelhos nem mesmo no varejo comum.
    Quem ainda tinha esperança de vir para cá aparelhos melhores agora desiste em definitivo.

  • Pingback: Com escritório para alugar, Xiaomi confirma mudanças na operação brasileira - Lojas Mídia()

  • Pingback: Xiaomi desiste de lançar smartphones no Brasil | Apple2ALL()

  • O mais foda foi ver a galera do Tecnogrupo que tanto dizia respeitar o Manual do Usuário xingando o site por “mentir”…

  • Pingback: Xiaomi interrompe lançamentos de smartphones no Brasil | TargetHD.net()

  • Allan Bittencourt

    Para quem interessar a informação, muita gente vai achar que não tem nada a ver, muita gente (como eu) vai entender que isso é reflexo de uma empresa que já não dá mais conta de vender com a proposta que adotou desde o início:

    Há um tempo atrás, tentei comprar um Redmi 2 Pro, fiz duas ou três compras no site, e o pagamento simplesmente não confirmava mesmo depois de uma semana. Chequei diversas vezes com a administradora do cartão de crédito e o problema era realmente com a Xiaomi. Até aí tudo bem, deixei pra lá e há duas semanas decidi tentar de novo. Como todo mundo já tinha visto, eles pararam de vender no próprio site e estavam vendendo atrávés de canais de terceiros, em lojas do varejo, onde essas lojas são só responsáveis pelo anúncio e a própria Xiaomi se encarrega do pedido. Comprei no Extra, e agora, após duas semanas de compra confirmada, a Xiaomi me manda um email dizendo que não vai mais enviar, devido à uma avaria do produto e que me estornaria o valor em até 10 dias.
    Pra mim fica a lição, eu não confio e não vou tentar comprar pela terceira vez.

  • Juliano Dorneles dos Santos

    Bye bye Mi Drone… e Mi Band 2.

    • Andre Guilhon

      Eu queria a Mi Band 2! Muito! :(

  • Tiago Celestino

    Good bye Xiaomi.

  • Pingback: Hands-on: Quantum Fly – ZTOP()

  • Grande trabalho investigativo do blog, sensacional. Agora, se a Xiaomi quiser mudar de mercado, venham para Salvador, procure uma oferta de imóvel no site http://lrvimoveis.com.br/imoveis-de-luxo/ e venha para outro mercado.

  • Pingback: Hugo Barra dá adeus à Xiaomi » - Sei Tudo()

  • Pingback: Hugo Barra dá adeus à Xiaomi | Maranhão+()