Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

atirador

Acusado de massacre em Aurora era paciente de psiquiatra

James Holmes tinha enviado ao seu psiquiatra na universidade do Colorado um caderno com detalhes sobre o plano de matar pessoas

 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

O acusado de ter praticado o massacre do cinema de Aurora (Colorado, centro-leste) era paciente de uma psiquiatra a quem enviou por correio um pacote antes de atirar no público de um cinema que assistia ao último filme de Batman, informaram seus advogados, esta sexta-feira (27), à justiça.

Informes da imprensa, divulgados esta semana, reportaram que James Holmes tinha enviado ao seu psiquiatra na universidade do Colorado um caderno com detalhes sobre o plano de matar pessoas. Informações contraditórias circularam na imprensa com relação ao momento em que o pacote chegou e se o massacre poderia ter sido evitado.

Em uma moção apresentada à Justiça e revelada esta sexta-feira por um juiz, os advogados de Holmes asseguram que os direitos constitucionais de seu cliente foram violados pela revelação da existência e do conteúdo do pacote.

Antecipando, assim, a batalha judicial que se avizinha, os advogados denunciam que o conteúdo deste pacote não pode ser usado como prova porque "Holmes era um paciente da doutora (Lynne) Fenton, e as informações trocadas estão protegidas" pela confidencialidade.

James Holmes será formalmente acusado em sua próxima apresentação ao tribunal, na segunda-feira.

Originário da Califórnia, o estudante é acusado de ter matado 12 pessoas e ferido outras 58 em um cinema de Aurora, no subúrbio de Denver, durante a estreia do filme Batman, "O Cavaleiro das Trevas Ressurge".

Atualmente, ele está detido, isolado dos outros presos, na prisão do condado de Arapahoe e pode ser condenado à morte, embora o estado do Colorado só tenha executado uma pessoa desde 1976.

Siga a Gazeta do Povo e acompanhe mais novidades

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Mundo

PUBLICIDADE
Acompanhe a Gazeta do Povo nas redes sociais