Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Caro usuário, por favor clique aqui e refaça seu login para aproveitar uma navegação ainda melhor em nosso portal. FECHAR
PUBLICIDADE

bombas

Às vésperas de visita de papa Francisco, igrejas do Chile sofrem ataques

Em uma das instituições religiosas, foi encontrado o seguinte bilhete: “Papa Francisco, as próximas bombas serão na sua batina”

  • São Paulo
  • Folhapress
Equipes policiais trabalham na cena onde um dos ataques aconteceu | PABLO VERA/AFP
Equipes policiais trabalham na cena onde um dos ataques aconteceu PABLO VERA/AFP
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Quatro igrejas católicas foram atacadas com bombas caseiras nesta sexta-feira (12) em Santiago, a três dias da chegada do papa Francisco ao país. Um quinto artefato foi encontrado antes de detonar.  

O primeiro dos ataques com artefato incendiário ocorreu na comuna de Estação Central e atingiu a paróquia Santa Isabel da Hungria, onde foi encontrado um panfleto com uma mensagem contra o pontífice: "Papa Francisco, as próximas bombas serão na sua batina".  

Ninguém ficou ferido nos ataques, que causaram danos pequenos. As demais igrejas afetadas se encontravam nas regiões de Recoleta, Peñalolén e Villa Portales. 

O Vaticano não se pronunciou. A presidente do Chile, Michelle Bachelet, disse que "em uma democracia, as pessoas podem se expressar desde que seja de maneira pacifista".  

O papa chega ao Chile na segunda-feira (15). Uma missa em Santiago deve reunir 500 mil pessoas.  

Ataque

Segundo a Promotoria Metropolitana Sul, a cargo das investigações, os fatos estariam relacionados e teriam sido coordenados pelo Movimento Juvenil Lautaro (MJL), segundo o jornal chileno "El Mercurio". 

O movimento é acusado de ter sido autor de ataques semelhantes contra sedes políticas em novembro e dezembro do ano passado, antes das eleições presidenciais chilenas.  

O MJL é um grupo de esquerda nascido nos anos 1980 que estaria se rearticulando e operando principalmente na capital do Chile.  

"Sem dúvida são ações de caráter violento que estão destinadas a intimidar as pessoas e de alguma forma dão conta de uma forma inadequada de convivência de alguns grupos que, através dessas ações, querem manifestar seu rechaço a algumas pessoas e credos religiosos", afirmou Raúl Guzmán, chefe da Promotoria Metropolitana Sul.  

Quanto à ameaça feita ao papa, disse que é "uma ação preocupante". "Chile vai receber a visita não só do papa, mas de um chefe de Estado, e nesse contexto esperamos que não ocorra nenhum desses fatos, mas todas aquelas tarefas preventivas estão a cargo das polícias e manejam a informação necessária para ver a verossimilhança e a seriedade dessas ameaças."  

Os artefatos usados nos ataques são parecidos: constam de um extintor com pólvora, um sistema de relojoaria e um recipiente de líquido acelerante, ainda de acordo com "El Mercurio".  

A tipo de gráfica usado nos panfletos também está sendo investigado.

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Mundo

PUBLICIDADE