PUBLICIDADE
Repercussão

Crise política pode tirar Paraguai do Mercosul

Decisão de afastar Fernando Lugo do cargo pode ser interpretada como contrária ao artigo 5º do Protocolo de Ushuaia, que criou o bloco econômico e obriga países a manterem regimes democráticos de governo

A crise política do Paraguai e o impeachment do presidente Fernando Lugo podem resultar na expulsão do país do Mercosul. Isso porque a decisão de afastar Lugo do cargo pode ser interpretada como contrária ao artigo 5º do Protocolo de Ushuaia, que criou o bloco econômico e obriga os países integrantes a manterem regimes democráticos de governo.

Para o professor da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo e especialista em América Latina Moisés Marques, a saída de Lugo pode ser encarada pelos países do Mercosul como um "golpe branco" e significaria "a morte econômica" do País vizinho. "Pelo que os governos dos outros países já sinalizaram, o Paraguai seria expulso do Mercosul e ficaria ilhado economicamente", avaliou Marques. "Além de ser um satélite brasileiro, principalmente na produção agrícola, o Paraguai é um país sem saída para o mar e depende dos vizinhos".

Na avaliação do professor de Relações Internacionais da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), Mario Gaspar Sacchi, os países vizinhos podem ainda criar controles alfandegários e barreiras que impediriam o Paraguai de exportar carne, soja e alguns produtos manufaturados. "O Brasil pode fechar o corredor que dá para o porto de Paranaguá (PR)", exemplificou.

O professor de relações internacionais da Universidade Anhembi Morumbi José Aparecido Rolon tem a mesma visão de Marques e diz que o impeachment coloca em questão as relações do Paraguai com o bloco para se sustentar economicamente. "Não há interesse em perder essas relações, especialmente com o Brasil, que é um parceiro importantíssimo", disse Rolon, acrescentando que a cláusula democrática do bloco atua como uma âncora para a manutenção da democracia interna do país.

Rolon avalia, no entanto, que o impacto imediato após eventual queda de Lugo seria essencialmente político, com um aumento das incertezas. "Isso representa um retrocesso para a democracia e para o avanço do desenvolvimento econômico-social do Paraguai". Segundo ele, se não houver sucesso na pressão da Unasul para a sustentação da democracia no País vizinho, pode haver também o retorno dos questionamentos em torno da existência do Mercosul como bloco econômico.

Marques, da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo, avalia ainda que a questão mais complicada para os dois principais países do Mercosul - Brasil e Argentina - seria a questão da energia produzida pelo Paraguai na usina de Itaipu e comercializada com os vizinhos. Mas até nessa questão, segundo o professor, o Paraguai poderia sair perdendo, pois foi justamente sob o governo de Lugo que houve uma melhor precificação para o país da energia de Itaipu vendida para ambos os países vizinhos.

Ainda sob o ponto de vista político, Luis Fernando Ayerbe, coordenador do Instituto de Estudos Econômicos Internacionais da Unesp, avalia que o Paraguai estaria sendo vítima de oportunismo pois Lugo tem pouco mais de um ano de mandato pela frente e a abertura dessa crise daria mais visibilidade e cacife para a oposição.

PUBLICIDADE
    • SELECIONADO PELO EDITOR
    • NOTÍCIAS MAIS COMENTADAS
    • QUEM MAIS COMENTOU
    Assine a Gazeta do Povo
    • A Cobertura Mais Completa
      Gazeta do Povo

      A Cobertura Mais Completa

      Assine o plano completo da Gazeta do Povo e receba as edições impressas todos os dias da semana + acesso ilimitado no celular, computador e tablet. Tenha a cobertura mais completa do Paraná com a opinião e credibilidade dos melhores colunistas!

      Tudo isso por apenas

      12x de
      R$49,90

      Assine agora!
    • Experimente o Digital de Graça
      Gazeta do Povo

      Experimente o Digital de Graça!

      Assine agora o plano digital e tenha acesso ilimitado da Gazeta do Povo no aplicativo tablet, celular e computador. E mais: o primeiro mês é gratuito sem qualquer compromisso de continuidade!

      Após o período teste,
      você paga apenas

      R$29,90
      por mês!

      Quero Experimentar
    VOLTAR AO TOPO