PUBLICIDADE
Parentes de vítimas de atirador deixam escola judaica em Toulouse, no sul da França |
Parentes de vítimas de atirador deixam escola judaica em Toulouse, no sul da França
Violência

Homem mata 3 crianças e um rabino em escola judaica no sul da França

Presidente e principal candidato da oposição à Presidência francesa param campanha eleitoral após crime

Texto publicado na edição impressa de 20 de março de 2012

Homem mata 3 crianças e um rabino em escola judaica no sul da França Ampliar

O assassinato de quatro pessoas, incluindo três crianças, em uma escola judaica de Toulouse, no sul da França, tomou de assalto a cam­­panha presidencial francesa, a poucas semanas do primeiro turno eleitoral. O crime ocorreu por volta das 8 h locais, quando os pais deixavam os filhos na escola.

Segundos relatos da polícia e de testemunhas, um homem de capacete se aproximou da escola Ozar Hatorah numa moto e disparou indiscriminadamente contra quem estava na entrada. Pelo menos 15 tiros foram dados.

Foram mortos o rabino Jona­­than Sandler, 30 anos, que ensinava na escola, seus dois filhos, de 3 anos e 6 anos, e uma terceira aluna, de 8 anos. Um rapaz de 17 anos ficou seriamente ferido. O atirador fugiu na moto.

“Esse homem saltou da moto e, do lado de fora da escola, atirou contra todos que estavam perto dele, crianças ou adultos. Crianças foram perseguidas dentro da escola”, disse o promotor Michael Va­­let, de Toulouse.

A polícia francesa vê ligações entre o crime de ontem e dois episódios anteriores. O primeiro foi em 11 de março, em Toulouse, quan­­­­do um homem numa moto matou um soldado. No último dia 15, na cidade vizinha de Mon­­tau­­ban, um homem também numa moto disparou contra três soldados uniformizados num caixa ele­­trônico, matando dois deles.

Segundo as autoridades, a mes­­ma pistola calibre 45 e a mesma moto roubada foram usadas nos três casos.

Porém, as vítimas anteriores eram muçulmanas e oriundas do norte da África e do Caribe – o que fez com que muitos pensassem se tratar de crimes ligados a minorias, e não apenas contra judeus.

Uma equipe de 120 policiais foi destacada para investigar a onda de crimes. A segurança foi incrementada nas escolas religiosas e em prédios ligados às religiões islâmica e judaica.

Candidatos

O presidente Nicolas Sarkozy, que tenta a reeleição apostando em um discurso centrado na ordem pública e repressão à violência, interrompeu todos os eventos de campanha até quarta, e se dirigiu ao local do crime.

Sarkozy qualificou o ataque como ato terrorista e disse que a motivação antissemita era “evidente”.

“O dia de hoje é uma tragédia nacional porque crianças foram mortas a sangue frio”, disse Sar­­kozy, em Toulouse.

O candidato da oposição, o so­­cialista François Hollande, também parou a campanha. Debates na tevê foram cancelados. O primeiro turno é em 8 de abril.

Brasil condena ato de violência

O governo brasileiro repudiou ontem o ataque a tiros à escola ju­­daica Ozar Hatorah, na cidade de Toulouse, no sudoeste da Fran­­ça.

“Ao manifestar seu pesar e solidariedade às famílias das vítimas, o governo brasileiro reitera sua condenação a atos de violência praticados sob quaisquer pretextos”, informa o comunicado, emitido pelo Gabinete da Presi­­dência da República.

Mais cedo, a Confederação Is­­raelita do Brasil havia condenado o ato em comunicado, em que manifestou “sua mais profunda indignação”, afirmando que é “inadmissível um ato de tamanha violência e covardia”.

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, classificou a ação de “assassinato odioso de judeus”.

A Autoridade Palestina, através de seu negociador Saëb Era­­kat, demonstrou indignação com o ataque.

O Vaticano manifestou “profunda indignação, horror, e ex­­pressou sua condenação mais firme”. “O atentado de Toulouse contra uma escola e três crianças judias é um ato horrível e desprezível”, declarou o porta-voz do Va­­ticano, padre Federico Lom­­bardi.

O presidente da Comissão Eu­­ropeia, José Manuel Barroso, ressaltou que “nada é mais inaceitável do que morte de crianças ino­­centes”.

PUBLICIDADE
    • SELECIONADO PELO EDITOR
    • NOTÍCIAS MAIS COMENTADAS
    • QUEM MAIS COMENTOU
    Assine a Gazeta do Povo
    • A Cobertura Mais Completa
      Gazeta do Povo

      A Cobertura Mais Completa

      Assine o plano completo da Gazeta do Povo e receba as edições impressas todos os dias da semana + acesso ilimitado no celular, computador e tablet. Tenha a cobertura mais completa do Paraná com a opinião e credibilidade dos melhores colunistas!

      Tudo isso por apenas

      12x de
      R$49,90

      Assine agora!
    • Experimente o Digital de Graça
      Gazeta do Povo

      Experimente o Digital de Graça!

      Assine agora o plano digital e tenha acesso ilimitado da Gazeta do Povo no aplicativo tablet, celular e computador. E mais: o primeiro mês é gratuito sem qualquer compromisso de continuidade!

      Após o período teste,
      você paga apenas

      R$29,90
      por mês!

      Quero Experimentar
    VOLTAR AO TOPO