Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Caro usuário, por favor clique aqui e refaça seu login para aproveitar uma navegação ainda melhor em nosso portal. FECHAR
PUBLICIDADE

Imprensa

New York Times e New Yorker dividem prêmio por denúncias de assédio sexual

Em sua edição 2018, o Pulitzer premiou na categoria “serviço público” uma série de reportagens do jornal e da revista sobre relatos de assédio sexual e até estupro contra nomes fortes da imprensa e do cinema

  • RAFAEL GREGORIO
  • Folhapress
Harvey Weinsten em Cannes | YANN COATSALIOU/AFP
Harvey Weinsten em Cannes YANN COATSALIOU/AFP
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

O jornal The New York Times e a revista The New Yorker venceram juntos o principal prêmio Pulitzer pelas denúncias de assédio sexual e estupro contra figurões norte-americanos, como o produtor de cinema Harvey Weinstein.

Em sua edição 2018, o Pulitzer premiou na categoria “serviço público” uma série de reportagens do jornal e da revista sobre relatos de assédio sexual e até estupro contra nomes fortes da imprensa e do cinema.

Leia tambémPor que tantos homens poderosos agem como Harvey Weinstein?

Entre as principais acusações, a premiação destacou reportagem do jornal sobre Bill O’Reilly, ex-âncora da Fox News, e as reportagens do jornal e da revista sobre Weinstein, até então um poderosíssimo produtor de Hollywood, responsável por filmes como “Pulp Fiction”.

As reportagens fomentaram onda de denúncias que, ao fim de 2017, desaguaram no movimento #MeToo (#eutambém), que, por sua vez, motivou inúmeras mulheres em todo o mundo a relatarem episódios de abuso em seus ambientes de trabalho.

Outras categorias

A Redação do jornal The Press-Democrat, em Santa Rosa, na Califórnia, foi premiada na categoria “notícias urgentes” pela cobertura em texto, vídeo e fotografia dos incêndios florestais que atingiram a região em 2017.

Já a Redação do The Washington Post foi premiada na categoria “reportagem investigativa” graças aos trabalhos sobre o histórico de casos de abuso sexual contra garotas adolescentes por parte de Roy Moore, candidato republicano ao Senado pelo Estado do Alabama.

Leia tambémHarvey Weinstein e o lado negro do culto ao talento em Hollywood

The New York Times e The Washington Post dividiram ainda um prêmio na categoria “reportagem nacional”, por reportagens sobre a extensão e os efeitos da influência russa sobre as eleições norte-americanas de 2016.

Criado em 1917 sob doações do magnata de imprensa húngaro-americano Joseph Pulitzer (1847-1911), o Pulitzer destaca anualmente coberturas da imprensa em língua inglesa nos Estados Unidos.

São premiados trabalhos em 21 categorias, todos com prêmios em dinheiro de US$ 15 mil (R$ 51,3 mil), à exceção do prêmio principal de “serviço público”, que confere aos laureados uma medalha de ouro.


o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Mundo

PUBLICIDADE