Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Enkontra.com
PUBLICIDADE

Paraguai

Senado paraguaio destitui o presidente Fernando Lugo

39 senadores votaram a favor do impeachment do presidente e quatro foram contrários

  • Folhapress
Manifestantes foram para a frente do Congresso paraguaio para apoiar o presidente Fernando Lugo |
Manifestantes foram para a frente do Congresso paraguaio para apoiar o presidente Fernando Lugo
 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

Senado paraguaio destitui o presidente Fernando Lugo

O Senado do Paraguai decretou nesta sexta-feira (22) o impeachment do presidente Fernando Lugo, iniciado na quinta-feira (21). Na votação final, 39 senadores votaram a favor da condenação do presidente, enquanto apenas quatro se declararam contra. Outros dois estavam ausentes.

O liberal Federico Franco, atual vice-presidente, que mantinha uma tensa relação com Lugo, deve assumir a Presidência até agosto de 2013, segundo a Constituição local, o que deve provocar uma mudança na orientação ideológica do governo.

Em entrevista ao canal de televisão Telesur, o chanceler da Venezuela, Nicolás Maduro, afirmou que os presidentes da Unasul (União de Nações Sul-Americanas) vão se reunir nas próximas horas e condenou o processo político. "O processo foi totalmente violado. O presidente foi condenado sem prova alguma".

Mais cedo, Lugo havia afirmado que acataria o julgamento político no Congresso que poderia provocar a sua destituição, mas advertiu que impulsionaria uma resistência "a partir de outras instâncias organizacionais", em declarações à Rádio 10 argentina.

"É preciso acatá-lo (o julgamento político), é um mecanismo constitucional, mas a partir de outras instâncias organizacionais certamente decidiremos fazer uma resistência para que o âmbito democrático e participativo do Paraguai vá se consolidando", afirmou Lugo.

A defesa de Lugo apontou nesta sexta uma "clara violação" do procedimento jurídico no julgamento de impeachment do líder paraguaio na sessão extraordinária do Congresso paraguaio.

Com duas horas para fazer a defesa do presidente no Congresso, o advogado Enrique García concentrou sua argumentação no que identificou como falhas do julgamento: a celeridade do processo e a ausência de uma regra anterior para definir os procedimentos do impeachment."Há uma violação clara do devido processo", disse o advogado, na sessão extraordinária transmitida pela rede Telesur.

EntendaNa quinta-feira, o Parlamento paraguaio aprovou o início de um processo de impeachment de Lugo, a quem partidos de oposição responsabilizam pelos confrontos. Um confronto armado deixou seis policiais e 11 camponeses mortos na sexta-feira passada em Curuguaty, a 250 km da capital.

O episódio forçou a saída do ministro do Interior, Carlos Filizzola, e do comandante da polícia, Paulino Rojas, que deixaram seus cargos pressionados pelo Congresso.

A reforma agrária era uma das prioridades do governo de Lugo, mas o mandatário teve dificuldades para aproximar posições entre as organizações camponesas e os proprietários, na medida em que buscava colocar ordem no organismo encarregado pela distribuição de terras.

Impeachment

Lugo, o ex-bispo conhecido por ter derrubado o Partido Colorado do poder depois de 61 anos, foi destituído 24 horas após uma crise política que culminou com um pedido relâmpago de impeachment. O pedido foi aprovado pela Câmara dos Deputados na manhã desta quinta-feira (21).

Encaminhado pelo Par­­ti­­­­do Colorado, o pedido de im­­­­peachment ganhou apoio ma­­ciço dos deputados de oposição e situação e foi aprovado­­ por 76 votos contra 1. A­­ de­­putada Aída Robles, do Mo­­vimento Participação Ci­­da­­dã, foi a única a apoiar o Lu­­go.

Confronto

A responsabilidade pelo massacre em uma fazenda localizada em Curuguaty, a 280 quilômetros de Foz do Iguaçu, no último dia 15, foi o principal argumento usado pelos colorados contra Lugo. Na ocasião, seis policiais e 11­­ sem-terra morreram em uma desocupação frustrada.

A oposição contra Lugo foi orquestrada a ponto do­­­­ Partido Liberal Radical Au­­têntico (PRLA), do vice-presidente Federico Franco, ter deixado a base do governo. Os deputados liberais votaram a favor do impeachment e na mesma manhã o partido determinou a renúncia de cinco ministros.

Além do episódio de Curu­­­­­­guaty, pesam contra Lu­­go­­ a acusação de ter facilitado as ­­invasões de terra na região de­­ Ñacunday, a 90 quilômetros da fronteira com Foz do Iguaçu, onde soldados também atuaram na delimitação das áreas reivindicadas pelos carperos – sem-terra que vivem em acampamentos. A oposição também sustenta que o presidente foi conivente com um ato realizado por grupo políticos de esquerda no Comando de Engenharia das Forças Armadas em 2009. Ele também é criticado por ter assinado o 2.º Protocolo de Ushuaia, que permite membros do Mercosul intervir em países que demonstrem ameaça à ordem democrática.

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Mundo

  1. Michelle Martinez pode ficar até 70 anos na cadeia | Reprodução Fox News

    ESTADOS UNIDOS

    Mulher trans pode pegar até 70 anos de prisão após estupro de criança em banheiro

  2. Presidente da Argentina, Mauricio Macri, comemorou os resultados das eleições legislativas | MAXIMILIANO LUNA/AFP

    VOTAÇÃO

    Coalizão de Macri vence eleições na Argentina

  3. Alex e o grupo de motoqueiros que o levou até a escola | Reprodução

    estados unidos

    Após sofrer bullying, menino americano é escoltado por motoqueiros até a escola

PUBLICIDADE