Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Enkontra.com
PUBLICIDADE

COLUNA DO LEITOR + VER MAIS COLUNAS

Coluna do leitor

Habitação

 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

Quando o Lula avisou que o Plano Habitacional não tinha data para terminar, ficou uma dúvida: ele referia-se ao fim dos R$ 26 bilhões colocados no projeto ou ao término da construção das casas? Usando como exemplo todas as obras de vulto iniciadas aqui no Brasil, o dinheiro deve acabar antes do início da construção das casas, pois deverá ser distribuído entre toda a cadeia de intermediários do negócio. Vai ser uma farra. Logicamente irão pedir uma verba suplementar. O governo, para não perder os R$ 26 bilhões já desembolsados, deverá conceder uma verba complementar que será distribuída entre os mesmos atravessadores da negociata habitacional. O que sobrar deverá ser usado na construção de casas mais frágeis do que as existentes nas favelas. Este é o retrato sem retoque de qualquer “Plano Habitacional” aqui no Brasil.

Wilson Gordon Parker, por e-mail

Lula

Na tentativa incansável de angariar admiradores em qualquer oportunidade, o excelentíssimo presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, comete deslizes que não condizem com a posição de um dirigente. Sempre fazendo o estilo populista, culpou “a gente branca de olhos azuis” pela atual crise financeira mundial. Indagado por um jornalista estrangeiro sob tal afirmação, respondeu que não conhece banqueiro negro ou índio. Tal discurso nos leva a crer que o racismo, embora velado, faz parte da cartilha do presidente. Ninguém melhor do que ele para explicar a ausência de negros e índios em funções de alto escalão, pois eles não passam de vítimas de uma politica assistencialista, de resultados e não de meios. O mal estar causado pelo improvisado discurso se fez estampar na face do primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, que só fez observar. Por ignorância ou não, todo ato discriminatório é repulsivo.

Plínio Neider Magrin Filho, advogado, por e-mail

Detran 1

Uma vergonha o que está acontecendo no Detran do Paraná (Gazeta, 27/3). Filas imensas; o contribuinte mal atendido; motoristas tendo de dirigir irregularmente por problemas de atendimento do órgão e o diretor geral dizendo que não é problema dele, que não foi ele quem causou essa confusão e que também não sabe quando os problemas serão resolvidos. Ele não trabalha com prazos. Se fosse uma empresa privada, esse dirigente já teria sido demitido. Como é um órgão público, nós temos de continuar ouvindo esse tipo de respostas e esperar sabe-se lá até quando.

Antonio Aparecido Arthur Filho, Curitiba – PR

Detran 2

Estou no processo de renovação da minha CNH, vencida desde janeiro. Como tenho filho pequeno, o procedimento de enfrentar filas no Detran fica muito complicado. Depois de tentar por diversas vezes conseguir a senha (são 300 por dia), tive de deixar o meu filho com outra pessoa e no dia 13/2 cheguei na fila às 6h30. Ela já estava quilométrica, apesar do expediente iniciar as 8h. Apesar de ter iniciado o processo pela internet, já pago a guia, tive que esperar numa fila onde uma atendente mal educada olhou o processo e me encaminhou para tirar fotos e impressões digitais. Depois de muitas filas, agendei a prova para o dia 16/3. Depois, nova via-crúcis para marcar o exame de vista para 13/4, exatamente dois meses após o início do processo. Depois de 20 anos de prática, estou em situação irregular devido à morosidade do Detran.

Marlene T. Andrzejewski, por e-mail

Detran 3

Nasci em Araucária em 1964 e lá tirei minha primeira habilitação, em 1983, renovando-a em 2004. Com o novo vencimento, tentei a renovação do Detran, pelo fato de trabalhar no bairro do Tarumã, em Curitiba, perto do Detran. Com o limite de senhas diárias, tive dificuldade. Por isso volteia atrás e fui renovar o documento em minha cidade. Dei entrada no processo em 10 de março. Fiz, nesta semana, a prova cheia de pegadinhas, que na minha interpretação são desnecessárias para provar que se dirige com segurança. Há pessoas que têm muito conhecimento de língua portuguesa e matemática, mas que são um desastre ao conduzir um veículo. De todo o modo, deixo registrado aqui meus parabéns a todos os funcionários do Detran de Araucária pela simpatia e pela presteza no atendimento.

Gerson A. Martins, Araucária – PR

Detran 4

No dia 25/3 fui ao Detran da Rua João Negrão, em Curitiba, para renovar a carteira de motorista. Eu já tinha feito um pré-cadastro pela internet e já tinha pago as taxas, mesmo assim, precisei pegar uma senha (número 216, sendo que o atendimento estava no número 40) e aguardar, enquanto apenas metade dos guichês estava em funcionamento. Após três horas, chegou minha vez e toda a espera foi apenas para que a funcionária me desse outra senha, agora para a foto, e escrevesse a palavra exame (referente ao exame de vista obrigatório) na ficha que eu já tinha imprimido da internet. Minha senha agora era 256 e, ao chegar à nova sala de espera (com apenas 20 lugares para sentar) vi que o painel mostrava o último número chamado: 177. Foram mais quase duas horas de espera, mais uma fila e nova espera. Tudo para marcar o exame de vista para 27/4. E ainda aguardar mais alguns dias até que a carteira fique pronta.

Daniele Moraes, por e-mail

Detran 5

O caos e a desorganização que víamos acontecer em outros estados chegou ao Paraná sem data para ir embora. O Detran desrespeita diariamente o cidadão com suas filas intermináveis, esclarecendo que elas não têm data para acabar. As taxas são cobradas e os motoristas têm de se submeter a idas e vindas sem fim dentro do órgão de trânsito, inclusive pela demora na marcação dos exames de vista. Ficar até 30 dias dirigindo com a habilitação vencida, sujeitando-se ao bom humor de policiais que poderão ou não autuá-lo. Até quando vamos ter que nos sujeitar a situações como esta?

Carlos Durigan, por e-mail

Detran 6

Aproveitei o carnaval e fui encarar a fila. Iniciei o processo em fevereiro. Fiz a prova e tive 100% de acertos em um exame fraquíssimo. Espera-se um mês para ser avaliado de forma ridícula. E agora marcaram o exame médico para 13 de abril. São dois meses para cumprir o processo. Os próprios funcionários fazem piadas com a situação durante o atendimento. Medíocre a administração do orgão. Eles precisam fazer um estágio no Tribunal Eleitoral. Lá a eficiência e o respeito existem, no Detran não.

Rodrigo Meister de Almeida, professor, por e-mail

Detran 7

O Diretor do Detran/PR declarou que o órgão está um caos e que não sabe quando isso vai acabar. O caos foi criado pelo próprio Detran, então, que tratem de desatar o nó, pois quem não deve pagar por isso são os motoristas que ganham a vida com seus veículos e que ficam impedidos de trabalhar. Também não é justo que paguem pelo caos aqueles que perdem dias de trabalho nas filas. Será que o pagamento das multas que enchem os cofres do órgão está também um caos?

Luis Sergio B. Grochovski, por e-mail

Pena de morte

Sou a favor da pena de morte para crimes hediondos, pois não é mais possível a sociedade conviver com a marginalidade, impunidade, e sempre temerosa com relação a sequestros, assaltos, assassinatos, drogas etc. (Gazeta, 25/3). Melhor a eliminação de seres incorrígiveis, os quais presos são custeados pelos trabalhadores. Se penas alternativas não coíbem e nem assustam devemos rever nossa Constituição e o Código Penal urgentemente.

Rosicler Regina Muller Moreira Antunes, por e-mail

* * * * *

Entre em contato

Praça Carlos Gomes, 4 • CEP 80010-140 – Curitiba, PR Fax (041) 3321-5129. E-mail: leitor@gazetadopovo.com.br

Em razão de espaço ou compreensão, os textos podem ser resumidos ou editados. O jornal se reserva o direito de publicar ou não as colaborações.

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Opinião

PUBLICIDADE