Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Enkontra.com
PUBLICIDADE

COLUNA DO LEITOR + VER MAIS COLUNAS

Coluna do leitor

Passagem de ônibus

 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

Pelo que foi apresentado, o governador do Paraná disse que irá abrir mão do ICMS do óleo diesel usado nos ônibus para o transporte urbano, mas em contrapartida enviou um recado curto e objetivo aos prefeitos que reduzam na mesma proporção as passagens dos usuários. Era de se esperar que os prefeitos também afirmassem que, na mesma proporção, fariam o mesmo na redução das passagens, coisa que não foi dita e sim que iriam estudar a proposta. Mais uma vez, o que se vê é uma disputa política na questão e sempre ficando à mercê destas decisões politiqueiras os que seriam beneficiados com a medida, que é o povo que usa diariamente o transporte coletivo. Até quando isto irá perdurar?

Newton Luiz Colleti, por e-mail

Enem 1

Essas mudanças no vestibular me atingem diretamente, não só a mim, mas também a grande massa de estudantes que prestará vestibular no ano corrente e os que farão os vestibulares vindouros. É fato que o Enem é mais fácil do que a prova da UFPR. Com a unificação da prova, o governo tenta aumentar as chances de alunos com melhores notas entrarem nas universidades federais, fazendo uma americanização do vestibular. É mais um “murro em ponta de faca” que o governo dá na educação, como no caso das cotas para negros. Não sou contra medidas que aumentem as chances das minorias, mas creio que a solução do problema não está em resolver o final e sim o começo dele. Para melhorar a educação no Brasil é necessário mudar as raízes dessa árvore para que os frutos sejam bons. Não adianta melhorar o acesso ao ensino superior sendo que o nível do ensino básico e fundamental é fraquíssimo. As melhorias no nosso sistema educacional têm de ser feitas gradativamente, pois o problema é grande. Para o Enem ser o seletor de alunos é necessário algumas mudanças na prova, aumentando o nível do conhecimento requerido do aluno, sem deixar de lado o método de avaliação, privilegiando o raciocínio, a lógica e a produção e interpretação de textos.

Tairon Villi, estudante, Curitiba – PR

Enem 2

Nenhum processo de avaliação será suficientemente bom se a base da formação não preparar estudantes para as próximas etapas. Qualquer mudança responsável e coerente na educação deste país, deveria ter início com uma profunda crítica ao sistema que o governo referendou, quer pela falta de ação ou pelas desastrosas atitudes que teve para com o ensino por muitos anos. Será que foi a sociedade ou a classe estudantil que sucateou a educação? Acabar com o vestibular não recupera o tempo perdido. Tentar igualar alunos de escolas públicas e particulares, dando as supostas igualdades de oportunidades, não diminui a enorme distância entre aqueles que tiveram mais oportunidades durante tanto tempo daqueles que pereciam nas escolas públicas. Há um caminho muito mais fácil: investir na base da educação verdadeiramente e valorizar seus profissionais, investindo em pesquisa para buscar alternativas de transmissão de conhecimentos. O Enem não pode ser visto como solução para o que não foi feito.

Karon Liny Bello Gomes de Lima, estudante, Curitiba – PR

Enem 3

Analisando a proposta do ministro da Educação, seria muito válido se o Enem substituísse o vestibular considerando que os alunos serão avaliados pelo seu verdadeiro conhecimento e pelo seu raciocínio e não apenas pelas matérias decoradas ao decorrer do estudo. Apesar de as universidades ficarem mais concorridas, os alunos terão mais opções para ingressarem em outras universidades de nosso imenso país. Isso proporcionará melhores oportunidades para o futuro de todos nós.

Geycy Kowalsky e Jéssica Machioski, estudantes, Curitiba – PR

Sanches

O escritor Miguel Sanches Neto é o grande ícone do talento de nossa cultura e de nossa literatura. Arrojado como sempre, tem o dom das palavras e de se fazer misterioso com a graça de escrever.

Carlos Paes, por e-mail

Passe escolar

As famílias das crianças que moram em São José dos Pinhais e estudam em Curitiba, até semana passada, podiam contar com o passe escolar. Recebemos com surpresa o corte desse benefício pela Prefeitura de São José dos Pinhais. Pelo que me consta, São José é um dos municípios com maior arrecadação no nosso estado.

Mari Cruz, São José dos Pinhais – PR

Londrina

Quem realmente contribuiu para que o caos fosse instalado foi a população da cidade que num lapso de memória esqueceu que o sr. Belinatti foi assíduo frequentador das cadeias nos anos que antecederam as eleições, e mesmo assim o elegeram ignorando os crimes por ele cometido. Da Justiça poderia se esperar qualquer lambança, mas da população de Londrina não. Depois de tanto sofrimento, o inesperado aconteceu: a escolha foi pior. A população desta vez superou-se. Lastimável.

Osni Pedroso Cubas, por e-mail

Mínimo regional

Sem dúvida alguma, o salário mínimo regional é um grande buraco onde empregados domésticos pereceram, pois existe outros encargos sociais, dificultando a vida do empregador. Algumas pessoas acham lindo e maravilhoso! Mais lindo ainda é pensar que não existem funcionários estaduais que ganham menos de R$ 650,00 e se isso fosse verdade, por que não aceitar a emenda que corrige também os salários estaduais? Alguns exemplos são professores que tanto estudam e nada recebem em troca de suas tarefas, que não são nada fáceis. De modo geral, ganham menos do que os funcionários do quadro superior do estado. A lei devia ser igual para todos.

Joir Rael, por e-mail

Deputados

Sou um fã do senador Cristovam Buarque quando ele fala sobre a educação no Brasil. Mas quando ele resolve falar sobre outro assunto é uma calamidade. Agora ele está com um projeto para aumentar o número de deputados federais, que seriam eleitos por brasileiros que moram fora do Brasil. Vejam, se o cara foi morar fora do Brasil, ele não tem que opinar sobre o que acontece aqui dentro.

Paulo Persegani, Curitiba – PR

Drogas

Como se não bastasse o malefício da droga lícita chamada de cigarro, que mata e aleija, agora querem liberar a maconha, uma droga com mais de quatro mil substâncias tóxicas. Os que não usam drogas terão que pagar mais uma conta do SUS para tratar de dependentes conscientes, porém ignorantes. Conselho aos fumantes: quando a doença enfisema sufocar o seu pulmão, tire valores do seu bolso para tratá-la e não procure o hospital que é sustentado por trabalhadores.

Dalton R. Hein Lass, por e-mail

Lula

O presidente Lula é o “cara”, assim falou Barack Obama. O primeiro-ministro britânico Gordon Brown, no discurso que fez para o americano, repassou a piada que o “cara” contou para ele. E quem saiu na foto ao lado da rainha Elizabeth II? O “cara”, o mesmo que se levantou e não quis ficar sentado ao lado do ditador e genocida do Sudão. O “cara” é muito vivo. Todos foram a Londres nos seus moderníssimos jatos. E como foi o “cara”? De trem. Num dos muitos improvisos relâmpagos, ele falou em alto e bom som que o Brasil não é um país pequeno e sem importância. Sendo assim, não vamos pedir dinheiro, vamos doar. Não somos o problema, somos a solução. O “cara” deve estar com aceitação de mais de 80% na terra do pessoal de olhos azuis. Todos adoram o jeito do “cara”. Mas é bom que ele não se endivide muito na distribuição de auxílios aos países que não estão no G20, porque a situação por aqui está ficando de “cara amarrada”.

Wilson Gordon Parker, por e-mail

Taxa

Eu moro em Colombo, e não acho justo a cobrança da taxa da coleta de lixo. Em nosso município, lamentavelmente, o serviço é precário. O caminhão deve passar duas vezes na semana, mas, na região em que moro, passa apenas uma vez por semana. O lixo que fica à espera dos garis são espalhados pelos cachorros de rua. Os garis não limpam e as ruas ficam repletas de lixo. Sou totalmente contra a taxa de lixo ser cobrada no talão da Sanepar.

Ana Maria, Colombo – PR

Drogas 2

Descriminalizar a maconha é oficializar uma das maiores tragédias humana. Famílias estão sendo desestruturadas por causa principalmente da maconha, que é a porta de entrada para as demais drogas.

Osvaldo de Oliveira, por e-mail

* * * * *

Entre em contato

Praça Carlos Gomes, 4 • CEP 80010-140 – Curitiba, PR Fax (041) 3321-5129. E-mail: leitor@gazetadopovo.com.br

Em razão de espaço ou compreensão, os textos podem ser resumidos ou editados. O jornal se reserva o direito de publicar ou não as colaborações.

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Opinião

PUBLICIDADE