Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Enkontra.com
PUBLICIDADE

confusão

Tumulto no casamento foi motivado por candidatura ao governo, diz noiva-deputada

Segundo Maria Victoria e seus pais, a confusão teria sido orquestrada por partidos e sindicatos de esquerda por causa da intenção da mãe dela, a vice-governadora Cida Boghetti, de ser candidata ao Palácio Iguaçu em 2018

Convidados usaram guarda-chuvas para se proteger de objetos arremessados por manifestantes | Durval Ramos/Gazeta do  Povo
Convidados usaram guarda-chuvas para se proteger de objetos arremessados por manifestantes Durval Ramos/Gazeta do Povo
 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

O tumulto que marcou o casamento da deputada estadual Maria Victoria (PP), filha da vice-governadora do Paraná, Cida Borghetti, e do ministro da Saúde, Ricardo Barros, na sexta-feira (14) à noite, teria sido motivado pela pré-candidatura da mãe da noiva ao governo do estado. Foi essa a justificativa apresentada pela deputada e por seus pais, em nota divulgada à imprensa na tarde deste sábado (15). A família ainda atribui a confusão a partidos de esquerda e sindicatos.

Leia também: “A política é isso mesmo, cada vez mais radicalização”, diz Barros no casamento da filha

Cerca de 200 pessoas se concentraram em frente à Igreja do Rosário, no Centro Histórico, onde acontecia a cerimônia religiosa, no início da noite de sexta. Policiais do Batalhão de Choque da Polícia Militar foram acionados para conter a multidão, que seguiu mobilizada por cerca de quatro horas. Além batuques e gritos, houve arremesso de lixo, garrafas e ovos contra convidados e os noivos. Maria Victoria saiu da igreja escoltada em uma van para o Palácio Garibaldi, local da recepção aos convidados.

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2017/07/15/Parana/Imagens/Vivo/WhatsApp Image 2017-07-14 at 18.24.51.jpeg
Manifestação durou cerca de quatro horas no Centro Histórico de CuritibaGazeta do Povo

A polícia chegou a fazer uso de bombas de gás lacrimogêneo e balas de borracha para dispersar os manifestantes e liberar a passagem dos convidados, a pé, pelo Largo da Ordem. Uma pessoa ficou ferida.

Segundo o comunicado da família , os protestos foram “incentivados e financiados pelos partidos e sindicatos de esquerda”.

Apesar da confusão, Maria Victoria e os pais afirmam que, dentro da igreja e durante a festa, tudo ocorreu dentro da normalidade. “Apenas o trajeto que os noivos fariam a pé, da Igreja do Rosário ao Palácio Garibaldi, foi alterado pela ação dos manifestantes. Lamentamos as agressões físicas e verbais a alguns convidados, porém é o preço da democracia”, acrescenta o comunicado assinado por Maria Victoria, Ricardo Barros e Cida Borghetti .

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Política

PUBLICIDADE