Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Enkontra.com
PUBLICIDADE

partindo para o ataque

Joesley é “criminoso notório de maior sucesso”, diz defesa de Temer

Presidente entra com processos contra sócio da JBS por danos morais e difamação pouco antes de embarcar para viagem à Rússia e Noruega

  • Folhapress
 | Beto Barata/PR
Beto Barata/PR
 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

O presidente Michel Temer entrou com dois processos nesta segunda-feira (19) contra o empresário Joesley Batista, da JBS, um por danos morais e o outro uma queixa por crimes contra a honra, como calúnia, difamação e injúria. No processo, a defesa do peemedebista afirma que o executivo é “o criminoso notório de maior sucesso na história brasileira” e faz críticas aos benefícios obtidos por ele em acordo de delação premiada fechado com o Ministério Público.

Leia na íntegra a queixa-crime contra Joesley

“[Joesley] Conseguiu enriquecer com práticas pelas quais não responderá e mantém hoje seu patrimônio no exterior com o aval da Justiça. Imputa a outros os seus próprios crimes e preserva seus reais sócios”, criticou.

Segundo o advogado Renato Oliveira Ramos, que assina as ações civil e penal contra o empresário, o real objetivo de Joesley foi “obter o perdão dos inúmeros crimes que cometeu, por meio de um generoso acordo de delação premiada que o mantenha livre de qualquer acusações, vivendo fora do país com um substancial (e suspeito) patrimônio”.

Temer decidiu processar Joesley neste fim de semana, após o sócio do grupo J&F afirmar que o peemedebista lidera a “maior organização criminosa do país”. No sábado (17), o presidente divulgou nota em que diz que o governo “não será impedido de apurar” supostos crimes praticados por Joesley.

A defesa afirmou ainda que as acusações são baseadas em “gravação clandestina e direcionada” e que o executivo passou, de uma hora para outra, a “incorporar papel de um empresário sério e indignado com a corrupção”, apesar de desconsiderar “que foi a corrupção que o tornou um grande empresário”.

“Somente agora, quando seus crimes estavam sendo investigados e a sua prisão era iminente, que o querelado [executivo] passou desesperadamente a acusar algumas autoridades do país, inclusive o presidente, em busca única e exclusivamente de um tipo de salvo-conduto”, disse.

Ela acusa ainda Joesley de ter protegido aqueles que foram os seus “reais parceiros de sua trajetória de pilhagens”, em uma referências aos governos petistas. E diz que Joesley tenta amenizar com a entrevista as críticas feitas pela opinião pública ao acordo de delação premiada fechado com o Ministério Público.

Segundo o advogado, o empresário demonstrou em entrevista “nítida vontade” de difamar o presidente, “menosprezando-o perante o público”. “[São] informações falsas, criadas com o único e exclusivo propósito de abalar a credibilidade do presidente”, disse.

Pedido de indenização

A defesa protocolou duas ações, uma civil e uma penal, em Brasília. Ela pretende indicar uma instituição de caridade para doar o valor da indenização caso vença os processos judiciais. Por enquanto, a defesa do presidente não vai pedir um valor de indenização, mas caso o juiz indique que pode especificar um montante, os advogados indicarão a mesma quantia em uma emenda ao processo.

Segundo a reportagem apurou, Temer acredita que o Ministério Público Federal vai utilizar as novas declarações do empresário para “reconstruir” a base da denúncia que deve ser apresentada contra o presidente nos próximos dias.

O peemedebista é investigado por corrupção, obstrução de justiça e formação de organização criminosa. Joesley afirma que Temer sabia e deu aval para a compra do silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), preso desde o ano passado, para que ele não os delatasse.

Na nota, Temer acusa Joesley de “desfiar mentiras em série”, proteger “estrategicamente” o PT e critica a impunidade conferida ao empresário, em uma referência indireta à Procuradoria-Geral da República e seu comandante, Rodrigo Janot.

Baixe o documento

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Política

  1.  |

    tragédia

    Adolescente entra atirando e faz mortos e feridos em escola de Goiás

  2.  | Albari Rosa/Gazeta do Povo

    de olho em 2018

    Chega de reformas. Congresso quer pacotaço contra bandidos e ‘pauta positiva’

  3.  | Divulgação/

    PARA SUAVIZAR A IMAGEM

    Um cachorro na política: os bastidores da entrada de Thor na agenda presidencial

PUBLICIDADE