Influência da Operação Lava Jato no setor empresarial é debatida em Curitiba

A agência de comunicação Central Press promoveu o debate “Lava Jato e a Reputação Corporativa”, para analisar de que maneira a operação federal contra a corrupção interfere na imagem das empresas no país e pode modificar a reputação corporativa, em especial nas áreas de comunicação, gestão e direito.

Três pontos de vista sobre a questão vieram à discussão: o da empresa, defendido pelo presidente interino da Fomento Paraná, Samuel Suss; o da justiça, com a participação da assessora de imprensa da Justiça Federal do Paraná, Christianne Machiavelli; e o da imprensa, representado pelo jornalista José Vianna, produtor da TV Globo na cobertura da Lava Jato.

Para Vianna, mostrar os desdobramentos de casos de corrupção, lavagem de dinheiro, denunciar propinas, escândalos em tantos segmentos são responsabilidades dos comunicadores perante a sociedade. Em três anos, a equipe comandada por ele na RPC já produziu mais de mil reportagens sobre o assunto para os telejornais da emissora e da Rede Globo. “Devemos confiar em veículos que são sérios e éticos. Todos nós sabemos como boatos e mentiras podem impactar e destruir a vida das pessoas e de organizações. Esse debate reitera a importância de uma comunicação bem planejada, notícias apuradas e investigadas e profissionais preparados para lidar com crises”, ressaltou no debate, que ocorreu na última terça-feira (8), na Universidade Positivo, e reuniu profissionais da imprensa, acadêmicos e empresários. Confira fotos do evento.

Siga Reinaldo Bessa no Twitter.

Curta a página no Facebook.