Blog / 

Rodrigo Constantino
Rodrigo Constantino

Um blog de um liberal sem medo de polêmica ou da patrulha da esquerda “politicamente correta”.

Sem categoria

Menos escolas, mais prisões!

Não há discurso mais fácil do que repetir que a solução é mais educação. Nada mais é preciso depois dessa sentença mágica: seu autor é automaticamente visto como um ser nobre, sensível, um humanista. Quem pode ser contra mais educação? Claro que o debate sério e honesto deverá ser qualificado depois: qual educação? Quem paga? Que modelo? E esse ensino público que temos? Será que mais dinheiro público resolve mesmo? E há garantia de que mais escolas levam a menos crime, por exemplo?

Mas essas são questões chatas, secundárias, que raramente fazem parte do raciocínio de quem parece mais preocupado com a autoimagem, com a sensação de nobreza ao repetir que a solução de tudo, inclusive da violência, é “mais educação”. E eis que continuamos gastando uma fortuna dos “contribuintes” para manter um ensino público de péssima qualidade, uma verdadeira máquina de doutrinação ideológica.

O aluno vai aprender que Marx é o máximo, que o marxismo se preocupa com os mais pobres, que o capitalismo é desigualdade injusta e imperialismo. Vai aprender ainda que todas as mazelas da humanidade são resultado das ações do homem branco malvado. Vai entrar em contato com o relativismo moral dos militantes disfarçados de professores. E vai ter que fazer uma prova dessas:

Prova Marx

Eu daria dez com louvor para o aluno, claro, mas ele tirou zero. Que tipo de prova é essa? Que perguntas tendenciosas e absurdas são essas? Será que jogar as crianças numa sala de aula assim vai resolver mesmo alguma coisa? Há controvérsias. O Brasil não chegou onde chegou do nada: isso é obra de décadas de muito esforço. Destruir um país assim exige determinação por parte dos destruidores, dos niilistas, dos marxistas. Essa imagem captura bem o drama da coisa:

Obama e o MEC

Enquanto isso, a criminalidade aumenta e a esquerda insiste que os marginais são “vítimas da sociedade”. E já começa a campanha pesada contra a redução da maioridade penal, com notícias de “explosão carcerária”. Ora, como já comentei aqui, a saída é construir mais prisões, não soltar bandidos! A esquerda quer “trabalhos sociais” para os marginais? Tudo bem: podem trabalhar nas prisões, fabricando bolas de futebol, por exemplo. Mas presos!

Diante desse quadro de ensino público caótico e marxista, e da falta de lugar nas prisões, talvez seja o caso de concluir, com alguma hipérbole, que precisamos de MENOS ESCOLAS, MAIS PRISÕES!

Rodrigo Constantino

PS: Algum esquerdista qualquer divulgou esse meu texto e o blog foi invadido por bárbaros. Já tem até gente pedindo minha prisão pelo texto, ou seja, querem mais prisão para gente como eu, não para o assassino do médico ciclista Jaime Gold. É que são grandes humanistas, como Lenin, Stalin e Che. Ironicamente, eles me dão razão, corroboram a crítica de que temos uma péssima qualidade de ensino. Só sabem me xingar de “fascista”, não entenderam a crítica que faço ao sistema de ensino, não sabem o que significa “hipérbole” e ainda negam que exista doutrinação marxista em nossas escolas. Alguns leram apenas o título! Ou seja, uns alienados deformados justamente por esse ensino que critico, e gente que, por isso, acha que não precisamos de mais prisões ou do fim dessa doutrinação da qual foram vítimas. 

PS2: Como a reação histérica dos bárbaros continuou com força, e outros blogs sujos bancados pelo governo divulgaram meu texto, segue uma resposta ainda mais completa aqui, onde lamento a necessidade de vencer a preguiça e combater essa praga de néscios!

PUBLICIDADE

Sobre / 

Rodrigo Constantino
Rodrigo Constantino

Economista pela PUC com MBA de Finanças pelo IBMEC, trabalhou por vários anos no mercado financeiro. É autor de vários livros, entre eles o best-seller “Esquerda Caviar” e a coletânea “Contra a maré vermelha”. Contribuiu para veículos como Veja.com, jornal O Globo e Gazeta do Povo. Preside o Conselho Deliberativo do Instituto Liberal.

Saiba Mais

Arquivos

informe seu email e receba nosso conteúdo gratuito