Blog / 

Rodrigo Constantino
Rodrigo Constantino

Um blog de um liberal sem medo de polêmica ou da patrulha da esquerda “politicamente correta”.

Artigos

O Porto de Mariel em Cuba era estratégico sim… para os comunistas!

0

blog

Nos depoimentos da delação premiada, o empreiteiro Emílio Odebrecht narra um encontro que teve com o ex-presidente venezuelano Hugo Chávez, em 2007, em Caracas. Na conversa, Chávez, que morreu em 2013, pediu a Emílio que a Odebrecht construísse um porto em Cuba, como forma de ajudar o regime de Fidel Castro, morto no ano passado. O empreiteiro relata que concordou em fazer a obra, mas pediu ao presidente venezuelano que falasse com o ex-presidente Lula, para que o Brasil financiasse o projeto do Porto de Mariel.

“Chávez tinha uma relação muito intensa com Fidel, ao ponto de fazer preços camaradas na venda de barris de petróleo para Cuba. Ele me pediu que nós procurássemos viabilizar um programa de um porto lá em Cuba, porque era muito importante para os cubanos. Eu disse, olha chefe, nós trabalhamos nos Estados Unidos, um assunto desse de dinheiro, com tudo que Cuba tem de restrição, não é fácil viabilizar o esquema financeiro. Um pedido do senhor é algo que vou encontrar uma forma de atender. Agora, eu precisaria que o governo brasileiro estivesse engajado nesse projeto e também solicitasse [a construção do porto] a Odebrecht. Eu não gostaria de tomar essa iniciativa sozinho. O  senhor, que tem uma boa relação como presidente Lula, poderia ligar para ele e transmitir isso. De fato, Chávez fez a ligação. Logo depois desse encontro, o Lula me convocou dizendo que tinha recebido um telefonema do Chávez transmitindo o encontro que teve comigo e que estava na linha de apoiar o programa de Cuba do Porto de Mariel”, diz Emílio Odebrecht.

Segundo o empreiteiro, “em condições normais” nem a Odebrecht pensaria em fazer um porto em Cuba e nem o BNDES financiaria uma obra no regime cubano. Mas, como foi um projeto apoiado por Lula e Chávez, o próprio Lula teria manobrado para interferir nas decisões do BNDES e liberar o financiamento.

comentei aqui que foi você, leitor, quem financiou a construção desse porto, que teria servido de hub para o comércio internacional de drogas e armas, inclusive abastecendo militarmente a Coreia do Norte. Tenho pouco a acrescentar. Queria apenas lembrar que muitos “especialistas”, daqueles que os veículos de mídia parecem encontrar diretamente no DCE das universidades ou nos diretórios do PSOL, deram entrevistas na televisão ou escreveram artigos na época defendendo a “importância estratégica” desse porto.

Para o Brasil! Sim, essa turma cara de pau alegava que fazia sentido para nosso país bancar a construção desse porto cubano! O Porto de Mariel seria bom para os “interesses nacionais” segundo esses tremendos picaretas! Argumentos? Inexistiam, claro. Era pura forçação de barra, sofismo, mentira deslavada. A economia cubana é pífia, pois onde há socialismo, há apenas miséria e escravidão. O porto cubano não fazia o menor sentido econômico, portanto.

Mas lá estavam “especialistas”, em colunas nos maiores jornais do país, em entrevistas na GloboNews, justificando essa palhaçada, esse esquema podre. Maria Silva Bastos, atual presidente do BNDES, não revelou a caixa preta do banco ainda, quem autorizou os empréstimos, quais são os acordos, lembrando que além da pouca vergonha em fechar esse acordo, ele ainda foi colocado sob sigilo, novamente com o pretexto de preservar os “interesses nacionais”.

Agora tudo fica mais claro, até para quem é meio ceguinho (pois já estava bem claro para quem tinha dois neurônios). O Porto de Mariel em Cuba, bancado pelo nosso BNDES, era um pedido pessoal de Hugo Chávez, o tirano da Venezuela e camarada do ditador Fidel Castro e do projeto a ditador Lula. Os três eram os líderes do Foro de São Paulo, organização criada para resgatar na América Latina o que havia sido perdido no Leste Europeu, ou seja, o comunismo. Mas comunistas não mais existem, não é mesmo?

E eis que a maior empreiteira do país construiu o porto, com dinheiro do maior banco de fomento do país, um banco estatal. Ou seja, foi o trabalhador brasileiro, aquele que fica horas em um transporte público caótico para chegar em casa e no trabalho, que morre em filas de hospitais públicos caquéticos, que precisa colocar seus filhos em escolas públicas que trocam o ensino pela doutrinação ideológica, foi esse trabalhador que teve que pagar pela farra dos comunistas!

O Porto de Mariel era bem estratégico sim… para os comunistas do Foro de São Paulo! Nem uma quitanda nacional teve suas exportações aumentadas por conta da construção desse porto. Mas ele encheu o bolso de corruptos, irrigou o caixa dois da quadrilha petista, e ajudou bastante os ditadores comunistas, inclusive levando armas para o coreano maluco. Defender o comunismo em pleno século XXI é coisa de quem não tem caráter. E defendê-lo com o uso de máscaras, como se comunismo não fosse comunismo, é ainda pior, pois dissimulado.

Onde estão aqueles “especialistas” que foram na imprensa defender esse projeto criminoso? Serão cobrados por isso? Serão ao menos ignorados pela grande mídia? Até parece! No Brasil não funciona assim. Serão convidados novamente, e chamados de “especialistas” uma vez mais, como se nada tivesse acontecido. Felizmente temos as redes sociais para combater essa “fake news”…

PS: O Google pelo visto faz o jogo sujo dos comunistas. Se você digita “Lula, Chávez e Fidel” e faz uma busca por imagens, toda a primeira fila que aparece é daquela foto com FHC e os dois tiranos comunistas. Não que FHC seja o oposto dessa turma, pois não é. O tucano é apenas um socialista mais light e civilizado, com perfume francês, que até admira essa corja. Mas por que diabos a busca por Lula com Fidel e Chávez leva a uma foto com FHC em seu lugar?!

PS2: Vamos ver alguns exemplos de pessoas ou entidades que defenderam a “importância estratégica” desse porto, um pedido pessoal do tirano da Venezuela. Temos um editorial do GLOBO indo nessa direção, “mas” pedindo maior transparência; temos o Brasil171, digo, o Brasil247, que obviamente repetiria o que o PT diz e hoje todos sabem bem o motivo pela Lava Jato; da Carta Capetal não se poderia esperar outra postura, também por milhões de motivos expostos pela Lava Jato; e até um diretor da FIESP, que só esquerdista acha que é um ícone do liberalismo, dando mil “argumentos” para explicar que Cuba será a próxima China, uma potência latino-americana:

Rodrigo Constantino

PUBLICIDADE

Sobre / 

Rodrigo Constantino
Rodrigo Constantino

Economista pela PUC com MBA de Finanças pelo IBMEC, trabalhou por vários anos no mercado financeiro. É autor de vários livros, entre eles o best-seller “Esquerda Caviar” e a coletânea “Contra a maré vermelha”. Contribuiu para veículos como Veja.com, jornal O Globo e Gazeta do Povo. Preside o Conselho Deliberativo do Instituto Liberal.

Loading Facebook Comments ...
Loading Disqus Comments ...

Saiba Mais

Arquivos

informe seu email e receba nosso conteúdo gratuito