Blog / 

Rodrigo Constantino

Um blog de um liberal sem medo de polêmica ou da patrulha da esquerda “politicamente correta”.

Artigos

Se a Petrobras é a “madame mais honesta do cabaré”, privatiza logo a zona toda!

 

blog

O ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado afirmou aos investigadores da Operação Lava Jato, em delação premiada, que a Petrobras é a “madame mais honesta dos cabarés do Brasil”, em referência às práticas corruptas que, segundo ele, existe em outras estatais do país.
 
A delação de mais de 400 páginas foi homologada pelo ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), e foi divulgada nesta quarta-feira (15). Na colaboração com as investigações da Lava Jato, Sérgio Machado admitiu ter repassado propina a mais de 20 políticos de seis partidos. Só para o PMDB, que apadrinhou sua nomeação, o executivo teria arrecadado R$ 100 milhões.

Em um dos termos de delação premiada, Machado afirma que a Petrobras possui uma estrutura “bastante regulamentada”, e que outras estatais adotam práticas “menos ortodoxas”.

“A Petrobras é ‘a madame mais honesta dos cabarés do Brasil’, significando essa metáfora que era um organismo estatal bastante regulamentado e disciplinado; que pode citar, como organismos estatais com práticas menos ortodoxas que a Petrobras o DNIT, as companhias Docas, bancos oficiais tais como o Banco do Nordeste, Funasa e FNDE e DNOCS”, diz trecho da colaboração do ex-presidente da Transpetro.

Neste mesmo termo de delação, Machado afirma que existe no país um “modelo tradicional” de corrupção, com pagamento de percentuais de propina em contratos em nível federal, estadual e municipal. Segundo ele, mais recentemente as estatais passaram a ser incluídas nesse esquema de corrupção.

Está vindo à tona aquilo que os brasileiros mais antenados já sabiam faz tempo. Nossas estatais são verdadeiros antros de corrupção. Segundo o delator, Renan Calheiros levou “mesada” de R$ 300 mil durante 7 anos. O PMDB teria arrecadado R$ 100 milhões! Sabemos o que o PT fez com o mensalão e o petrolão.

Por trás de tudo isso, a existência de empresas estatais para o uso político. Até quando os inocentes vão insistir na tese esdrúxula de que o estado deve ser empresário? Até quando vão repetir “o petróleo é nosso”, bancando os idiotas úteis? Até quando vão condenar a privatização por puro preconceito ideológico?

Reparem que essas estatais já estão privatizadas há anos! Pertencem aos políticos safados, não ao povo brasileiro. O discurso de “interesse nacional” ou “setor estratégico” é pueril, só engana trouxa. Deixemos a concorrência no livre mercado fazer seu “milagre”, e tiremos o instrumento de corrupção das mãos desses políticos.

Contra a “privatização” criminosa, só há uma solução: a privatização efetiva. Se a Petrobras era a madame mais honesta do cabaré, imagine o resto. É preciso vender a zona toda. Privatize já!

Rodrigo Constantino

PUBLICIDADE

Sobre / 

Rodrigo Constantino

Economista pela PUC com MBA de Finanças pelo IBMEC, trabalhou por vários anos no mercado financeiro. É autor de vários livros, entre eles o best-seller “Esquerda Caviar” e a coletânea “Contra a maré vermelha”. Contribuiu para veículos como Veja.com, jornal O Globo e Gazeta do Povo. Preside o Conselho Deliberativo do Instituto Liberal.

Saiba Mais

Arquivos

informe seu email e receba nosso conteúdo gratuito