Vida e Cidadania

Fechar
PUBLICIDADE

Segurança

Bandidos mais perigosos do Brasil virão para o Paraná

Prisão federal em Catanduvas deverá reunir a "nata" da bandidagem nacional, inclusive Fernandinho Beira-Mar

 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

O Paraná deverá receber uma turma de profissionais do mundo do crime dos mais bem capacitados, que formam o top de linha da bandidagem nacional. Felizmente, eles já estarão fora de combate e desembarcarão no estado dentro do presídio de segurança máxima que o governo federal deve inaugurar em Catanduvas, região Oeste do estado em junho deste ano.

O presídio é tido como antifugas e faz parte de um "pacote" com outros quatro que serão inaugurados pelo governo federal, três ainda neste ano (Paraná, Mato Grosso do Sul e Rio Grande do Norte) ao custo que varia entre R$ 18 milhões a R$ 22 milhões cada um.

Segundo informações da Gazeta do Povo deste domingo, o presídio de Catanduvas deverá receber um preso ilustre. É grande a possibilidade de Fernandinho Beira-Mar “inaugurar” o local. Considerado um dos principais traficantes do Brasil, Beira-Mar foi preso na Colômbia em 2001. Desde então, já passou por prisões em Brasília, Maceió (AL), Presidente Bernardes (SP) e Florianópolis (SC) e voltou a Brasília – mas ninguém quer ficar com ele, por ser um detento de altíssima periculosidade. “Ele tem o perfil exato do preso que Catanduvas irá abrigar”, diz Maurício Kuehne, diretor do departamento penitenciário nacional (Depen). “Sua transferência depende somente da decisão de um juiz federal.”

O Depen, ainda não definiu a lista completa dos condenados que irão ser transferidos para a unidade paranaense. Mesmo assim, o grupo certo é formado pelos líderes das facções criminosas, traficantes, presos perigosos.

A construção do presídio de Catanduvas começou em abril do ano passado – 95% das obras estão concluídas. A unidade (de R$ 18 milhões) terá capacidade para abrigar 200 presos em celas individuais. De acordo com Kuehne, a intenção não é utilizar a capacidade máxima. Isso porque, em caso de rebelião em outras penitenciárias, Catanduvas poderia receber em regime de emergência líderes desses eventuais motins.

Apesar da proximidade do fim das obras, o Ministério da Justiça e o Conselho da Justiça Federal (CJF) ainda não definiram exatamente como vai funcionar o presídio federal, que será o primeiro do Brasil – a unidade de Campo Grande (MS) será inaugurado em seguida.

Leia a reportagem completa no site da versão impressa da Gazeta do Povo (conteúdo exclusivo para assinantes)

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Vida e Cidadania

PUBLICIDADE
Acompanhe a Gazeta do Povo nas redes sociais