Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Enkontra.com
PUBLICIDADE

Tráfico de drogas

Carro da prefeitura de Cascavel é apreendido com 280kg de maconha

Automóvel foi abordado numa fiscalização de rotina, mas o motorista não obedeceu a ordem de parada, fugiu por aproximadamente 5 quilômetros e abandonou o carro em um posto de combustíveis

  • Luiz Carlos da Cruz, correspondente em Cascavel
 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

Um carro da Secretaria de Ação Social da Prefeitura de Cascavel, no Oeste, foi apreendido na manhã desta quarta-feira pela Polícia Rodoviária Federal (PRF-PR) na BR-277, em Balsa Nova, Região Metropolitana de Curitiba. Dentro do veículo, um Fiat Ducato, foram encontrados 280 quilos de maconha.

De acordo com informações da PRF, o automóvel foi abordado numa fiscalização de rotina, mas o motorista não obedeceu a ordem de parada, fugiu por aproximadamente 5 quilômetros e abandonou o carro em um posto de combustíveis.

O secretário de Administração da Prefeitura de Cascavel, Alisson Ramos da Luz, informou que o veículo deixou o pátio da prefeitura na manhã de terça para a troca de óleo e abastecimento. O carro estava com o servidor João Caetano Araujo, motorista do município há quase 13 anos. O circuito interno de tevê aponta que Araújo deixou o pátio da prefeitura dirigindo o automóvel as 9h15 de terça. Cerca de 15 minutos depois, ele abasteceu o veículo no posto que fornece combustíveis à prefeitura e não mais foi visto.

O que chama a atenção é que o servidor não usou a chave original e nem a reserva para deixar o pátio. Uma das chaves foi encontrada no setor de controle de frota da Secretaria de Ação Social e a outra na Divisão de Gerenciamento da Frota. Por isso, não foi possível detectar a ausência do veículo no final do expediente de terça.

Ainda de acordo com o secretário de Administração, somente na manhã desta quarta foi detectada a falta do veículo, praticamente no mesmo instante em que a PRF comunicou a apreensão. O secretário contou que Araújo, que também se apresenta como pastor evangélico, é um funcionário normal e que não costumava dar problemas. “A única informação que nós temos é que ele estava passando por problemas financeiros”, contou.

O secretário diz não ser possível afirmar que Araújo era o condutor do carro no momento da apreensão. “A gente não está dizendo que foi ele, somente que ele foi a última pessoa a sair com o carro e não retornou”, ressalta.

A prefeitura vai abrir uma sindicância para apurar o fato e diz estar acompanhando o caso junto à PRF e Polícia Federal.

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Vida e Cidadania

PUBLICIDADE