Vida e Cidadania

Fechar
PUBLICIDADE

Interior de São Paulo

Corpo menino desaparecido em Ribeirão Preto achado no rio Pardo

Uma das hipóteses levantadas pela Polícia Civil é que o corpo tenha sido atirado no córrego Tanquinho, que fica a 200 metros da casa da família de Joaquim

 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

O corpo do garoto Joaquim Ponte Marques, de 3 anos, desaparecido desde a última terça-feira (5) em Ribeirão Preto, a 313 km de São Paulo, foi encontrado no início da tarde de domingo (10) no rio Pardo.

O corpo foi encontrado a 150 quilômetros de Ribeirão Preto.

Uma das hipóteses levantadas pela Polícia Civil é que o corpo tenha sido atirado no córrego Tanquinho, que fica a 200 metros da casa da família de Joaquim e, de lá, ele tenha sido levado até o ribeirão Preto, que é afluente do Pardo.

Segundo o diretor do Deinter-3 (Departamento de Polícia Judiciária do Interior), João Osinski Junior, o reconhecimento do corpo no IML (Instituto Médico Legal) foi feito pela mãe de Joaquim, Natália Mingoni Ponte, o pai, Arthur Paes, e o avô materno da criança.

O corpo de Joaquim foi achado pelo dono de uma propriedade rural da cidade, que avisou o Corpo de Bombeiros.

A polícia e o Ministério Público veem indícios da participação de Natália e do padrasto do garoto, Guilherme Raymo Longo, no caso. Ambos negam.

No dia seguinte ao desaparecimento, a polícia pediu a prisão temporária do casal, mas a Justiça negou o pedido.

Segundo o delegado Paulo Henrique Martins de Castro, da DIG (Delegacia de Investigações Gerais) de Ribeirão e responsável pelo caso, o pedido foi feito para "auxiliar nas investigações" e porque havia contradições nos depoimentos de Natália e de Guilherme.

O desaparecimento do garoto gerou comoção na cidade e uma campanha feita nas redes sociais por celebridades como a apresentadora Angélica, a atriz Carolina Dieckman e a cantora Ivete Sangalo.

O sumiço

Joaquim estava desaparecido desde a última terça-feira. A mãe disse à polícia ter notado o sumiço às 7h.

Desde então, policiais e o Corpo de Bombeiros fizeram buscas em toda a cidade, sem sucesso. O pai de Joaquim também fez panfletagem com amigos e voluntários todos os dias.

Nos últimos dois dias, a Polícia Civil e o Ministério Público buscavam indícios para formular um novo pedido de prisão temporária do casal, que pode ser apresentado amanhã.

Siga a Gazeta do Povo e acompanhe mais novidades

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Vida e Cidadania

PUBLICIDADE
Acompanhe a Gazeta do Povo nas redes sociais