Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Caro usuário, por favor clique aqui e refaça seu login para aproveitar uma navegação ainda melhor em nosso portal. FECHAR
PUBLICIDADE

Operação Vortex

Delegado Gérson Machado paga fiança e deixa prisão

Advogado dele entrou com pedido para a redução do valor da fiança, o qual foi acatado. Machado fez o pagamento de R$ 6 mil e deixou a prisão nesta tarde. Ele foi preso por posse ilegal de arma

  • Fernanda Leitóles
  • Atualizado em às
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

O delegado Gérson Machado deixou a prisão no fim da tarde desta sexta-feira (5). A liberdade provisória já havia sido concedida pela 1ª Vara de Inquéritos Policiais de Curitiba na quinta-feira (4), mas ele alegou que não tinha condições para pagar a fiança – aproximadamente R$ 21 mil.

O advogado do delegado, Rafael Antônio Pellizzetti, entrou com um pedido para a redução do valor da fiança, o qual foi acatado. Com o pagamento da fiança de R$ 6 mil, Machado deixou o Centro de Triagem I, na capital por volta das 18 horas.

Ele deve convocar uma coletiva de imprensa na segunda-feira (8).

Prisões e liberdade provisória

Machado e outros dois policiais civis – o delegado Luiz Carlos de Oliveira e o investigador Aleardo Righetto - inham sido presos por posse ilegal de arma e munições, na quarta-feira (3), pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), braço do Ministério Público do Paraná (MP-PR). As detenções ocorreram durante a operação Vortex.

Os três policiais são suspeitos de participar de um esquema de extorsão que, segundo o Gaeco, ocorria a partir de falsas fiscalizações em lojas de autopeças e ferros-velhos.

Apesar da suspeita, os três foram presos por posse ilegal de armas e munições, e não por investigações constantes na operação. O Gaeco cumpriu, na quarta-feira, 18 mandados de busca e apreensão em residências, delegacias e até na DCCP, dentro do Departamento da Polícia Civil, no centro da capital.

Oliveira e Righetto também tiveram a liberdade provisória decretada na quinta-feira, mas eles pagaram as fianças e deixaram as respectivas prisões ainda ontem. Oliveira estava na sede do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) e Righetto foi levado para a Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos (DFRV).

Afastamento

Os delegados Luiz Carlos de Oliveira e Gérson Machado, titulares da Divisão de Crimes Contra o Patrimônio (DCCP) e do 6.º Distrito Policial, respectivamente, ambos em Curitiba,foram afastados de suas funções durante o período de investigações do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Paraná. O afastamento temporário foi anunciado pelo delegado-geral da Polícia Civil do Paraná, Marcus Vinícius Michelotto, nesta quinta-feira (4).

O delegado Walter Baruffi Júnior foi designado para assumir a DCCP e o delegado Rodrigo Brown de Oliveira será o titular do 6º DP. Baruffi Júnior trabalhava no setor de Planejamento da Polícia Civil e Brown estava no Centro de Operações Policiais Especiais (Cope).

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Vida e Cidadania

PUBLICIDADE