PUBLICIDADE
A duplicação será feita em quatro quilômetros da rodovia, no trecho que recebe um tráfego diário de aproximadamente  de 25 mil veículos |
A duplicação será feita em quatro quilômetros da rodovia, no trecho que recebe um tráfego diário de aproximadamente de 25 mil veículos
Região Noroeste

Duplicação da PR-323 deve começar em setembro

Diretor do DER informou que as obras no trecho entre Maringá e Paiçandu estão apenas aguardando homologação do governo estadual. No fim de semana, dez pessoas perderam a vida na rodovia em um trágico acidente

Duplicação da PR-323 deve começar em setembro Ampliar

As obras de duplicação da PR-323, entre as cidades de Maringá e Paiçandu, devem ter início a partir do próximo mês. A previsão foi dada na tarde desta segunda-feira (13) pelo diretor geral do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), Paulo Melani, que também divulgou outras intervenções, onde dez pessoas morreram e outras 89 ficaram feridas em um único acidente na tarde de sábado (11). O trecho a ser duplicado, no entanto, não compreende o local do acidente.

Melani informou que os trabalhos no trecho entre Maringá e Paiçandu aguardam apenas a homologação da licitação e a assinatura da ordem de serviço pelo governador Beto Richa, que devem ocorrer ainda neste mês. No entanto, a conclusão dos trabalhos só deve acontecer no ano que vem. “Estamos correndo contra o tempo. Esperamos que as intervenções durem cerca de um ano e meio, com entrega da obra até o início de 2014”, afirmou.

A duplicação será feita em quatro quilômetros da rodovia, no trecho que recebe um tráfego diário de aproximadamente de 25 mil veículos. O projeto, com investimento previsto de R$ 30 milhões, ainda prevê o alargamento das avenidas marginais, construção de novos viadutos e a instalação de ciclovias e calçamento em todo o percurso entre as cidades.

Outras duas ações que também devem começar em setembro são a recuperação de 50 quilômetros de acostamento e a criação de terceiras faixas no trecho entre Iporã e Umuarama (obra orçada em R$ 7,7 milhões), além da implantação de um viaduto no entroncamento com a PR-486, entre Perobal e Cafezal do Sul (R$ 2,7 milhões). O trecho é considerado um dos mais perigosos da rodovia, com mais de 900 acidentes no ano passado, segundo estatísticas da Polícia Rodoviária Estadual.

Melani não descarta outras ações na rodovia, como a duplicação de mais trechos. “A PR-323 é um dos corredores mais importantes da nossa malha rodoviária. Estamos trabalhando na ampliação da capacidade destes corredores, contratando empresas que vão fazer um estudo de cada estrada, e indicar o que ela precisa”, explicou. A expectativa é de que estes levantamentos sejam apresentados até o próximo ano, seguidos da licitação das obras. A rodovia deve receber nos próximos anos um investimento de R$ 200 milhões.

Acidente gera comoção e manifestos na internet

O acidente envolvendo cinco veículos na PR-323 que matou dez pessoas e deixou outras 89 feridas gerou manifestos nas redes sociais desde a noite de sábado (11). Em todos eles, os internautas pedem pela duplicação da rodovia, que no ano passado registrou cerca de 700 acidentes, segundo o movimento Duplicação Já PR-323: Pela Vida, Por Mais Desenvolvimento.

Segundo um dos líderes do movimento Duplicação Já PR-323: Pela Vida, Por Mais Desenvolvimento, Celso Zolim, a cada acidente na rodovia a quantidade de manifestantes da campanha aumenta. Até às 9h20 desta segunda-feira (13), um manifesto do movimento publicado no Facebook somava 688 compartilhamentos. Havia, ainda, outro manifesto, de autoria desconhecida, que somava 1.606.“Temos levantamento que apresenta mais de 700 acidentes na PR-323 [no ano passado], média de mais de três por dia”, apontou Zolim, que também é presidente da Associação Comercial e Industrial de Umuarama (Aciu). Zolim também fez críticas ao governo de Beto Richa (PSDB). “O que mais chateia é a promessa do governador de que seria prioridade a duplicação. Após dois anos e meio, ficou só na conversa, como é de praxe dos políticos”, criticou o presidente da Aciu.

O diretor geral do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), Paulo Melani, afirmou que entende a comoção popular e ressaltou que o governo estadual já estava trabalhando nos projetos voltados para a PR-323, mas que isso também envolve alguns processos burocráticos, o que dificulta a agilidade dos trabalhos.

Ele também aproveitou para pedir prudência aos motoristas. “Temos dez mil quilômetros de rodovias e todas elas são perigosas se a pessoa dirigir de forma imprudente. O primeiro passo para reduzir o número de acidentes é ter prudência nas estradas. Aliado a isso, o governo trabalha na sua função de melhorar as rodovias.”

PUBLICIDADE
    • SELECIONADO PELO EDITOR
    • NOTÍCIAS MAIS COMENTADAS
    • QUEM MAIS COMENTOU
    Assine a Gazeta do Povo
    • A Cobertura Mais Completa
      Gazeta do Povo

      A Cobertura Mais Completa

      Assine o plano completo da Gazeta do Povo e receba as edições impressas todos os dias da semana + acesso ilimitado no celular, computador e tablet. Tenha a cobertura mais completa do Paraná com a opinião e credibilidade dos melhores colunistas!

      Tudo isso por apenas

      12x de
      R$49,90

      Assine agora!
    • Experimente o Digital de Graça
      Gazeta do Povo

      Experimente o Digital de Graça!

      Assine agora o plano digital e tenha acesso ilimitado da Gazeta do Povo no aplicativo tablet, celular e computador. E mais: o primeiro mês é gratuito sem qualquer compromisso de continuidade!

      Após o período teste,
      você paga apenas

      R$29,90
      por mês!

      Quero Experimentar
    VOLTAR AO TOPO