Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Caro usuário, por favor clique aqui e refaça seu login para aproveitar uma navegação ainda melhor em nosso portal. FECHAR
PUBLICIDADE

Região Metropolitana

Greve de professores em Colombo continua por tempo indeterminado

Categoria se reuniu em assembleia nesta sexta-feira (27) e decidiu prosseguir com a paralisação. Rodovia da Uva foi bloqueada por uma hora pelos manifestantes

  • Thomas Rieger, especial para a Gazeta do Povo
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Os professores municipais de Colombo vão manter a paralisação que acontece desde a última segunda-feira (23). A manutenção foi decidida pela categoria em uma assembleia nesta sexta-feira (27), realizada depois de os grevistas interditarem, das 14h30 às 16h, um trecho da Rodovia da Uva, que liga o município a Curitiba.

Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Município de Colombo (APMC Sindicato), Claudinei Duarte de Lima, a prefeitura não atendeu os professores desde o início da greve. “Pelo o que estamos percebendo, devemos chegar ao oitavo dia de paralisação sem recebermos uma resposta da administração municipal”, disse. O oitavo dia de alunos sem aulas nas escolas acontece na próxima segunda-feira (30).

Ao longo do fim de semana, a categoria pretende se mobilizar por meio de telefone, e-mails e redes sociais, além de confeccionar material para ir às ruas na semana que vem. Não está descartada a possibilidade de os professores acamparem em frente à casa da prefeita Beti Pavin (PSDB). Na quinta-feira (26), um protesto fechou a Estrada da Ribeira.

O APMC Sindicato exige a reposição das perdas salariais que não aconteceriam desde 1996; auxílio-alimentação e transporte; revisão do plano de cargos e carreiras; equiparação dos salários dos professores aos dos funcionários terceirizados; e a unificação dos cargos de professor e educador.

Outro ladoProcurada pela reportagem, a Prefeitura de Colombo enviou, por e-mail, a mesma nota oficial que vem sendo divulgada desde o início da greve. O município afirma que já está cumprindo às exigências dos professores e que está aberta para o diálogo – o que é contestado pela categoria, que diz que a Prefeitura não apresentou propostas formalmente.

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Vida e Cidadania

PUBLICIDADE