Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Enkontra.com
PUBLICIDADE

protesto

Greve dos ônibus entra no sexto dia; acompanhe informações em tempo real

Após reunião entre trabalhadores e empresários do setor não chegar a acordo, circulação de frota do transporte segue parcial

  • Da Redação
Ônibus  devem circular com  frota mínima nesta segunda-feira | Aniele Nascimento
Ônibus devem circular com frota mínima nesta segunda-feira Aniele Nascimento
 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

Curitiba iniciou a segunda-feira (20) com mais um dia de greve no transporte público. A mobilização, que entra no sexto dia, implica na circulação de frota mínima de 50% dos ônibus do sistema em horários de pico e 40% nos demais horários. Na sexta-feira (17), uma reunião entre trabalhadores e empresários do setor no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) não chegou a um acordo sobre o reajuste salarial. Motoristas e cobradores pedem 15% de aumento, enquanto as empresas oferecem 5,43%.

Confira em tempo real as informações sobre a paralisação parcial:

Laura Bordin
Repórter da Gazeta do Povo

Até amanhã!

Encerramos aqui a cobertura em tempo real da greve de motoristas e cobradores de Curitiba e RMC. Nesta terça-feira (21), uma audiência está marcada no Tribunal Regional do Trabalho e poderá dar fim a greve. Se não houver acordo entre as partes, a demanda deve ir a julgamento e a greve continua. Voltamos amanhã, com novas informações em tempo real. Boa noite!

Compartilhe
Laura Bordin
Repórter da Gazeta do Povo

Urbs diz que frota não é cumprida III

O Sindimoc afirmou em nota que, por ser uma sociedade de economia mista - ou seja, com fundos públicos e privados - a Urbs não tem fé pública nas informações que repassa. O Sindicato afirma ainda que os dados e monitoramento da Urbs não são abertos aos cidadãos, portanto, questionáveis. O Sindimoc reafirma que está cumprindo a frota mínima exigida pela Justiça.

Compartilhe
Laura Bordin
Repórter da Gazeta do Povo

Urbs diz que frota não é cumprida II

A Urbs afirma que está realizando quatro boletins diários, que serão encaminhados para a Justiça do Trabalho, que atua no caso. A multa estipulada pela Desembargadora Marlene Suguimatsu é de R$ 100 mil por hora em que o porcentual for descumprido.

Compartilhe
Laura Bordin
Repórter da Gazeta do Povo

Urbs diz que frota não é cumprida I

A frota mínima determinada pela Justiça de 50% dos ônibus circulando no horário de pico e 40% nos horários normais quase não está sendo cumprido. Dos 46 horários monitorados pela Urbs entre a noite de sexta-feira (17) e a manhã de segunda-feira (20), em apenas 4 horas o porcentual foi cumprido.

Compartilhe
Mariana Balan
Da redação

Audiência no TRT

Na tarde de amanhã (21), Sindimoc e Setransp se reencontram para outra audiência no Tribunal Regional do Trabalho (TRT). A expectativa da Justiça é que as partes entrem em acordo para que a greve seja encerrada. Caso contrário, o dissídio coletivo deve ir a julgamento. Na audiência da última sexta (17), a desembargadora Marlene Suguimatsu afirmou diversas vezes que ambos os sindicados eram responsáveis pela situação.

Compartilhe
Mariana Balan
Da redação

Trânsito

Pontos de lentidão na região central de Curitiba no fim da tarde desta segunda-feira (20), sexto dia da greve no transporte público da cidade.

Compartilhe
Laura Bordin
Repórter da Gazeta do Povo

Negociação III

O Setransp já adiantou que a proposta apresentada pelo Sindimoc continua "fora da realidade do país". Ainda de acordo com o Setransp, as negociações vão continuar até o horário da audiência no TRT.

Compartilhe
Laura Bordin
Repórter da Gazeta do Povo

Negociação II

Em ofício, o Setransp, sindicato patronal, afirmou que vai levar a proposta à Urbs e Comec, mas que dará uma resposta oficial durante a audiência no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), marcada para às 14h30 de terça-feira.

Compartilhe
Laura Bordin
Repórter da Gazeta do Povo

Negociação I

Durante o fim de semana, uma nova proposta foi apresentada pelo Sindimoc, sindicato que representa os motoristas e cobradores, às empresas do transporte coletivo. A nova proposta é de 10% de reajuste nos salários (antes, os trabalhadores pediam 15%) e R$ 700 de vale-alimentação (anteriormente, o pedido era de R$ 977). O Sindimoc pede também um abono de R$ 450.

Compartilhe
Mariana Balan
Da redação

Frota nas ruas

Segundo o último boletim da Urbs, 40% da frota de ônibus circula pelas ruas de Curitiba.

Compartilhe
Mariana Balan
Da redação

Situação normalizada na Iguaçu e na Marechal

Pouco mais de duas horas após o acidente envolvendo um Ligeirão e um Palio, as duas vias da Avenida Iguaçu já estão liberadas para o tráfego de veículos. Os ônibus das linhas Boqueirão e Pinheirinho/Carlos Gomes também já seguem sua rota normalmente, sem desvios.

Compartilhe
Gazeta do Povo
Redação

Audiência não será adiantada

A audiência entre empresas de ônibus e motoristas e cobradoras permanece marcada para terça-feira (21), às 14h30. A informação é da assessoria de comunicação do Tribunal Regional do Trabalho (TRT). O prefeito Rafael Greca fez um apelo para que fosse adiantada, mas isso não ocorrerá. Na última sexta-feira, o juízo do TRT já havia dito que não havia possibilidade da reunião ocorrer nesta segunda por causa da agenda do tribunal.

Compartilhe
Mariana Balan
Da redação

Desvios

Por causa do acidente, os ônibus das linhas Boqueirão e Pinheirinho/Carlos Gomes fazem desvios no trajeto. Ao saírem da Praça Carlos Gomes, os veículos seguem pela Rua Pedro Ivo até a Desembargador Westphalen – para evitar a Marechal Floriano. Os ônibus voltam para a Marechal Floriano após passar o local da colisão.

Compartilhe
Mariana Balan
Da redação

Acidente e lentidão

De acordo com a Setran, devido ao acidente no Rebouças, motoristas encontram bastante lentidão em boa parte da Rua Rockefeller, desde seu cruzamento com a Engenheiro Rebouças até a Avenida Silva Jardim.

Compartilhe
Mariana Balan
Da redação

Acidente 3

A motorista do veículo envolvido na colisão, um Palio Weekend, foi encaminhada ao Hospital Cajuru em estado grave. Saiba mais.

Compartilhe
Mariana Balan
Da redação

Acidente 2

Devido ao acidente, apenas uma das vias da Avenida Iguaçu está liberada para a circulação de veículos. Ainda não há previsão para a liberação total da rua.

Compartilhe
Gazeta do Povo
Redação

Acidente

Mesmo com menos ônibus circulando, um acidente envolvendo um ligeirão e um carro deixam o trânsito ainda pior para os curitibanos nesta segunda-feira. A batida ocorreu por volta das 14h30, no cruzamento das avenidas Marechal Floriano e Iguaçu. A condutora do veículo ficou ferida e foi atendida pelo Siate.
O trânsito na região está sendo desviado.

Compartilhe
Mariana Balan
Da redação

Região Metropolitana

Segundo a Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec), a frota mínima de 50% nos horários de pico e de 40% nos demais horários está sendo respeitada na Região Metropolitana de Curitiba (RMC). Os usuários, porém, reclamam do atraso dos veículos.

Compartilhe
Gazeta do Povo
Redação

Percentual em queda

A frota de ônibus em circulação em Curitiba registra nesta segunda-feira (20) mais reduções do que aumento nas ruas. Por volta das 12h30, segundo a Urbs, havia apenas 39% dos veículos do sistema de transporte público operando.

Compartilhe
Gazeta do Povo
Redação

Apelo

O prefeito de Curitiba, Rafael Greca (PMN), afirmou nesta segunda-feira (20) que fez um apelo ao Tribunal Regional do Trabalho (TRT) para que a audiência de trabalhadores do transporte público e sindicato patronal seja realizada ainda hoje. O objetivo é "atender a aflição dos curitibanos prejudicados". A reunião está marcada para a terça-feira (21).

Compartilhe
Gazeta do Povo
Redação

Frota diminui

Por volta das 10h30, conforme a Urbs, 41% da frota do transporte público seguia nas ruas.

Compartilhe
Gazeta do Povo
Redação

Circulação

Frota em circulação sobe para 45% às 9h30, segundo dados da Urbs. Todas as estações-tubo contam com cobradores.

Compartilhe
Gazeta do Povo
Redação

Frota mínima

Por volta das 8h30, segundo a Urbs, 44% da frota do transporte público de Curitiba circulava pela cidade. O percentual atende ao exigido pela Justiça somente a partir das 9 horas, quando o horário de pico já terminou.

Compartilhe
Gazeta do Povo
Redação

Muitos passageiros e poucos ônibus

O cenário nos terminais de ônibus não muda muito pela capital nesta segunda-feira (20). São muitos passageiros e poucos ônibus. O resultado: longas filas e muita espera. A foto é da leitora Cinthia Olynik, no terminal Santa Cândida.

Compartilhe
Gazeta do Povo
Redação

Trânsito caótico

Quem optou por sair de carro de casa nesta segunda-feira (20) está enfrentando trânsito pior do que na semana passada, quando houve os primeiros dias de greve. Leia mais aqui.

Compartilhe
Angieli Maros
Repórter da Gazeta do Povo

Transtorno

Não bastasse a demora, passageiros que aguardam o ligeirinho Boqueirão, que vai até o Centro Cívico, ainda precisaram improvisar uma fila - que não está nada pequena. Isso porque um ônibus da linha estragou no tubo, o que impede que outros parem no local. Agora, os que chegam estacionam dentro do terminal, em um ponto de linha comum. Além de os intervalos serem maiores, a demora para a saída do ônibus também prejudica. "É complicado. A gente sabe que cada setor precisa reivindicar, poderia ser eu correndo atrás dos meus direitos, mas não está fácil" , comentou o estagiário Idalgo Venâncio, de 18 anos. Ele é um dos que aguardam na fila improvisada do ligeirinho Boqueirão. A espera é a segunda do dia: para chegar até a estação ele esperou uma hora pelo alimentador (Jardim Paranaense) que passa perto de sua casa.

Compartilhe
Gazeta do Povo
Redação

Sem condições de embarque

Mesmo atrasados, muitos usuários ainda precisam esperar mais um pouco para seguir viagem rumo ao trabalho. Isso porque a lotação dos ônibus, em especial expressos, inviabiliza novos embarques. É necessário paciência.

Compartilhe
Angieli Maros
Repórter da Gazeta do Povo

Voltando pra casa

A zeladora Maria Belém, de 65 anos, desistiu de ir ao trabalho. Ela precisaria pegar um dos expressos que vai até o terminal do Hauer, mas ainda não conseguiu embarcar em nenhum 40 minutos depois de chegar ao terminal do Boqueirão. "Já avisei que não vou. Tá tudo muito lotado. Imagina pra voltar". Agora ela espera o Circular Sul pra voltar pra casa, mas há pelo menos vinte minutos nenhum sinal da linha.

Compartilhe
Angieli Maros
Repórter da Gazeta do Povo

Longa espera

Se no terminal do Portão a greve pesa principalmente para usuários do Cabtal-Portão e Interbairros V, no Boqueirão a espera é longa para quem quer chegar ao Centro com o expresso Boqueirão ou Ligeirão Boqueirão. Há filas para essas linhas.

Compartilhe
Gazeta do Povo
Redação

Filas e filas

A saga dos usuários do transporte para chegar ao trabalho começa pelas longas filas nos terminais. No terminal do Santa Cândida, a chegada de um ônibus nem sempre é sinal de que o passageiro conseguirá embarcar de imediato.

Compartilhe
Gazeta do Povo
Redação

Aperto

Quem precisa usar o transporte público nesta segunda-feira pode se preparar para encontrar muita lotação nos ônibus em circulação. É o caso deste biarticulado Santa Cândida - Capão Raso.

Compartilhe
Gazeta do Povo
Redação

Cadê?

A demora dos ônibus para chegar até os terminais e estações causa ansiedade entre os usuários. Na foto, passageiros esperando transporte no terminal do Boa Vista.

Compartilhe
Gazeta do Povo
Redação

Reposição de cobradores

Segundo a Urbs, às 7h30, todas as estações-tubo de Curitiba já contavam com cobradores. A quantidade de ônibus circulando pela cidade também passou de 31% para 45%. O montante, contudo, ainda segue abaixo do exigido pela Justiça para o horário de pico - 50%.

Compartilhe
Gazeta do Povo
Redação

Canaletas vazias

Se antes da greve, a circulação de ônibus pelas canaletas era frequente, hoje a passagem dos expressos por essas vias vêm demorando para ocorrer. Na foto, Avenida João Gualberto, no Cabral.

Compartilhe
Angieli Maros
Repórter da Gazeta do Povo

Frota mínima

Funcionários do terminal do Portão observam o descumprimento da frota mínima de ônibus neste início de manhã. Segundo eles, o impacto maior na estação é sentido por passageiros que precisam usar as linhas Cabral-Portão e Interbairros V, nos dois sentidos. Ônibus destas linhas têm demorado até meia hora para passar. Na foto, espera pelo Cabral-Portão.

Compartilhe
Gazeta do Povo
Redação

Ao vivo

Ônibus lotados, longas esperas. Veja a situação neste momento no terminal do Portão.

Compartilhe
Gazeta do Povo
Redação

Nova audiência

Uma nova audiência para discutir o reajuste salarial de cobradores e motoristas está marcada para esta terça-feira (21). Caso as partes não entrem em um consenso na próxima terça, o dissídio coletivo deve ir a julgamento. Leia mais aqui.

Compartilhe
Angieli Maros
Repórter da Gazeta do Povo

Opções

Sair de casa mais cedo tem sido uma opção pra quem não quer ter problemas com o horário de entrada no trabalho. Wagner Santos, de 25 anos, estava de férias e volta hoje para o trabalho. Ele decidiu sair meia hora antes de casa e agora, no terminal do Portão, ele aguarda um ônibus para Araucária, na região metropolitana. "Eles não estão à toa, mas não dá pra dizer que isso não complica a vida da gente", diz o jovem sobre a greve de motoristas e cobradores. Às 7 horas, Wagner aguardava há cerca de meia hora a linha Araucária-Portão.

Compartilhe
Gazeta do Povo
Redação

Estações sem cobrador

Até às 6h30 da manhã, pelo menos 17 estações-tubo seguiam sem cobrador em Curitiba. Nestes pontos, a bilhetagem eletrônica também não está funcionando. As informações são Urbs.

Compartilhe
Angieli Maros
Repórter da Gazeta do Povo

Mais um dia

A semana em Curitiba começou com complicações no transporte público por causa da greve de ônibus que entra no sexto dia. O terminal do Portão tem movimento tímido para uma manhã, e os passageiros que passam pela estação têm a paralisação como um de seus assuntos preferidos. Na plataforma onde para os expressos Pinheirinho e Santa Cândida - Capão Raso muita gente reclama da demora é prevê um dia difícil.

Compartilhe
Gazeta do Povo
Redação

Sem frota mínima

A segunda-feira (20) começou com greve no transporte e menos ônibus que o estipulado pela Justiça circulando nas ruas no horário de pico, que compreende das 5h às 9 horas. Até às 6h30, segundo a Urbs, apenas 31% da frota seguia em operação na capital.

Compartilhe

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Vida e Cidadania

PUBLICIDADE