Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

story
Enkontra.com
PUBLICIDADE

Caso Don Peponi

Motoboy acusado de matar dono de restaurante continua foragido

Polícia Civil de Maringá afirma que crime tem características de vingança ou morte encomendada. Funcionário acusado de atirar contra Altair Morelli Borghi no sábado já havia prestado serviços à vítima anteriormente

 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

Um dia após o homicídio de Altair Morelli Borghi, 64 anos, proprietário do restaurante Don Peponi, localizado na Rua Luiz Gama, na Zona 4 em Maringá, o autor dos disparos não havia sido preso. No entanto, de acordo com a Polícia Civil, o homem já foi identificado por funcionários do restaurante que presenciaram o crime.

Testemunhas disseram à polícia que o autor dos disparos era um motoboy que havia pedido emprego à vítima na quinta-feira (12). Ele já havia prestado serviços a Borghi anteriormente. Na manhã de sábado (14), o motoboy retornou ao restaurante para realizar entregas. Ao receber a primeira encomenda, por volta das 11h40, ele voltou ao interior do restaurante e efetuou pelo menos dois disparos que atingiram o peito de Borghi.

Em seguida, o autor dos disparos fugiu em uma motocicleta de cor e modelo não informados, com a placa coberta por um plástico preto. A vítima chegou a ser encaminhada por familiares a um hospital, mas não resistiu aos ferimentos e morreu pouco tempo depois.

A polícia investiga o homicídio e diz acreditar que pode se tratar de um caso de vingança ou morte encomendada, por conta das características do crime.

Siga a Gazeta do Povo e acompanhe mais novidades

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Vida e Cidadania

PUBLICIDADE