Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

story
Enkontra.com
PUBLICIDADE

Rio de Janeiro

Ministério da Saúde monta gabinete de crise e libera R$ 9 milhões para região serrana

Gabinete de crise vai coordenar as ações de assistência médico-hospitalar voltadas para a assistência das vítimas das chuvas

 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

O Ministério da Saúde montou um gabinete de crise para coordenar as ações de assistência médico-hospitalar voltadas para a assistência das vítimas das chuvas que atingem, principalmente, as cidades de Nova Friburgo, Petrópolis e Teresópolis, na região serrana do estado.

A informação foi dada pelo ministro da Saúde, Alexandre Padilha, que na tarde desta quinta-feira (13) sobrevoou, juntamente com a presidenta Dilma Rousseff e o governador do Rio, Sérgio Cabral, as áreas mais afetadas pelas chuvas dos últimos dias.

Padilha adiantou que o gabinete de crise, envolvendo uma equipe permanente de profissionais de saúde do próprio ministério e da Secretaria Estadual de Saúde, responderá pela coordenação das ações. Ele informou ainda que o ministério antecipou a liberação dos pisos de atenção municipal (recursos destinados a atividades municipais na área de saúde) que totalizam R$ 9 milhões para os três municípios.

“Desde ontem (12) liberamos também 7,3 toneladas de insumos, kits de situação de emergência que vão desde esparadrapo e medicamentos até purificadores de água, que vão garantir água limpa para as comunidades das regiões atingidas”.

O governo federal, ainda segundo Padilha, liberou o governo do estado do Rio de Janeiro do teto orçamentário, para que o estado possa custear dois hospitais de campanha na região serrana do Rio. “Um com equipamentos do próprio governo do estado e outro da Marinha, cedido pelo Ministério da Defesa, que chega nesta quinta-feira (13) e começa a ser montado amanhã (14). O custeio desses dois hospitais correrá por conta do próprio Ministério da Saúde”, disse.

Outra medida anunciada por Alexandre Padilha envolve a cessão de onze ambulâncias da rede federal. Ele determinou que toda a rede de hospitais federais no estado priorizem o atendimento das vitimas das chuvas.

“Neste momento, já temos 80 leitos de enfermarias clínicas disponíveis para as vítimas. Suspendemos as férias dos médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem que estejam ligados a situação de traumas mais graves e, também, as cirurgias eletivas para que as salas cirúrgicas fiquem disponíveis para cirurgias de emergência das vitimas das chuvas. Nossa estrutura hoje permite fazer 25 cirurgias ortopédicas por dia. Já temos, inclusive, 23 pacientes internados em hospitais do estados que vieram desses municípios”, informou o ministro.

Agência Brasil

Siga a Gazeta do Povo e acompanhe mais novidades

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Vida e Cidadania

PUBLICIDADE