Vida e Cidadania

Fechar
PUBLICIDADE

Acidente aéreo

Quarto ocupante de avião que caiu na RMC morre no hospital

Três pessoas que estavam na aeronave morreram no local do acidente. Bimotor caiu na noite de terça-feira, entre Almirante Tamandaré e Rio Branco do Sul

  • Atualizado em às
Bimotor fazia transporte de valores |
Bimotor fazia transporte de valores
 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

Quarto ocupante de avião que caiu na RMC morre no hospital

O quarto ocupante do avião que caiu na noite de terça-feira (6), entre Almirante Tamandaré e Rio Branco do Sul, na região metropolitana, morreu no Hospital do Trabalhador, em Curitiba, na madrugada desta quarta-feira (7). A vítima era segurança de uma empresa de transportes de valores. Além dele, o piloto, o co-piloto e outro segurança morreram no local do acidente.

No início da tarde, a Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp), confirmou a identidade do segurança: Vilmar Rodrigues, de 43 anos, que morava em Curitiba. As outras três vítimas também foram identificadas oficialmente: o piloto Carlos Gilberto Mohr, 51 anos (que seria de Jaraguá do Sul - SC); o co-piloto do avião, Leandro Ferreira dos Santos, de 22 anos (de Curitiba) e o outro segurança Leonardo Uchoa Lessa Azevedo, 31 anos (de Alagoas). Segundo a Sesp, apenas o corpo de Leonardo ainda não foi liberado para o sepultamento.

O bimotor, modelo PAY2 Cheyenne, havia decolado em Dourados (MS) e transportava dinheiro a Curitiba, mas desapareceu do radar da Infraero no fim da tarde de terça-feira. Segundo a Polícia Militar (PM), o avião foi encontrado por volta das 19h30, no bairro Tranqueira, zona rural de Almirante Tamandarré.

Seripa vai apurar causas do acidente

Segundo o oficial de segurança de voo do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos, o major Marcos Antonio dos Santos, há indícios de que o piloto tenha tentado fazer um pouso de emergência no local, um vale descampado. Durante o procedimento, o bimotor bateu na copa de uma árvore e girou, caindo de frente. “O avião caiu de console [bico da aeronave], batendo a parte dianteira e a asa direita contra o gramado”, disse.

Apesar disso, ainda não é possível afirmar o que causou a queda do avião. Uma equipe do Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa V) vai apurar o que provocou o acidente. Na manhã desta quarta-feira, integrantes do grupo estavam no local onde a aeronave caiu, para iniciar os levantamentos. O laudo conclusivo deve ser emitido, no máximo, em três meses.

De acordo com informações do Cindacta II, órgão responsável pela fiscalização do tráfego aéreo na região sul, a aeronave pertence à Hercules Táxi Aéreo, contratada pela empresa de transporte de valores Brinks.

Logo após o acidente, o Grupamento Aéreo da Polícia Militar (GRAER) foi acionado e designou um avião e dois helicópteros - um deles da Casa Militar (CM) do governo do estado - para o atendimento da ocorrência. Uma equipe da Brinks também foi ao local, para recolher os malotes de dinheiro que eram transportados pela aeronave.

Siga a Gazeta do Povo e acompanhe mais novidades

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Vida e Cidadania

PUBLICIDADE
Acompanhe a Gazeta do Povo nas redes sociais