Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Enkontra.com
PUBLICIDADE
Celso Nascimento

Celso Nascimento + VER MAIS COLUNISTAS

celso nascimento

Clima de palanque: Richa, Greca e Barros fazem festa

  • Celso Nascimento
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Só não vê quem se recusa a enxergar: são cada vez maiores as evidências de que o governador Beto Richa já entrou de sola na campanha para se eleger senador em 2018. Neste momento, sua prioridade é recuperar a popularidade perdida. E para isto se serve de algumas relações de troca com aliados que ocupam cargos importantes para alavancar seu projeto – o prefeito Rafael Greca e o ministro da Saúde, Ricardo Barros.

Nesta segunda-feira (16) deu para perceber que foi colocado sobre o pano verde as cartas de um jogo de baralho em que todos ganham. Sob o palanque armado no auditório do Museu Oscar Niemeyer, prefeitos de quase todo o estado foram acarinhados com palavras e benesses distribuídas por Beto e Barros. Destaque especial mereceu Greca, cuja missão – após ter sido eleito prefeito apadrinhado pelo governador – é agora de aplainar a montanha de rejeição que o padrinho enfrenta na capital. Uma via de mão dupla, já que Greca, em compensação, ganha recursos que foram negados ao antecessor.

Por sua vez, o ministro da Saúde, além de também contribuir para a recuperação política de Richa, aproveita para pavimentar a campanha da esposa, a vice-governadora Cida Borghetti – aliás, também presente no mesmo ato –, candidata declarada à sucessão em 2018. Barros anunciou a liberação de mais de R$ 400 milhões do ministério para municípios, para alegria dos prefeitos e gratidão de parlamentares autores de emendas incorporadas ao total.

Curitiba foi particularmente privilegiada – embora quase tudo o que foi dado como novidade eram verbas represadas desde o ano passado. Incluindo R$ 18 milhões agora “antecipados” pelo governo estadual para pagar hospitais, quando na verdade não era antecipação, mas pagamento atrasado de parcelas vencidas em 2016 e que, debalde, o ex-prefeito Gustavo Fruet cobrava.

Aos repasses que recebeu para a saúde, Greca pôde somar um “checão” de R$ 49,9 milhões que Richa lhe entregou como “cota extra” do ICMS. Os outros municípios também receberam proporcionalmente à sua participação na geração do tributo. Greca agradeceu em estilo exagerado e em tom agradável aos ouvidos de Richa: “essa visão de antecipar o ICMS qualifica o governador Beto Richa como um líder nacional”. Na plateia, um presente cochichou: “Menas, Greca, menas!”.

Promessa de campanha de reintegrar o transporte coletivo, o prefeito foi desde logo brindado com calorosa aprovação de Richa, que providenciou facilidades para a unificação da primeira linha, ligando o município de Colombo à CIC, a partir de segunda-feira (23). Ninguém falou nisso, mas a unificação só tem sentido se a tarifa também for única, isto é, igual à cobrada em Curitiba (R$ 3,70). A tarifa em vigor no trecho Colombo-Cabral é de R$ 3,80. Alguém terá de subsidiar a diferença de R$ 0,10.

Indiscutível: tudo o que foi anunciado vem em benefício do povo. O problema é ver que tudo se transforma em palanque.

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

últimas colunas de Celso Nascimento

PUBLICIDADE