Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Enkontra.com
PUBLICIDADE

RETA FINAL

Justiça nega pedido de Leprevost para impedir propaganda com “bala de prata”

Rafael Greca diz que vai revelar “verdades surpreendentes” sobre o candidato do PSD na noite deste sábado (22). Coligação de Leprevost fala em novo “Ferreirinha”

  • Talita Boros Voitch
 | Henry Milleo/Gazeta do Povo
Henry Milleo/Gazeta do Povo
 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

A Justiça Eleitoral negou, na sexta-feira (21), o pedido liminar do candidato Ney Leprevost (PSD) de impedir a veiculação da propaganda eleitoral do candidato Rafael Greca (PMN) da noite deste sábado (22). Há dois dias, a coligação de Greca vem anunciando que vai revelar “verdades surpreendentes” sobre Leprevost durante o intervalo do Jornal Nacional de hoje, que começa às 20h15.

No pedido, a coligação de Leprevost cita o conhecido caso “Ferreirinha”, episódio da política paranaense quando um falso pistoleiro apareceu no horário eleitoral gratuito, da campanha de 1990, dizendo que matava pessoas a mando do então candidato Carlos Martinez, adversário de Roberto Requião na corrida ao Palácio Iguaçu.

Leia tudo sobre as eleições 2016

“O Paraná não tolera mais Ferreirinhas. O Paraná não tolera mais campanhas sujas. O Paraná não tolera mais marqueteiros deturpando verdades”, afirmou a coligação de Leprevost no pedido à Justiça Eleitoral.

A juíza Sayonara Sedano, da 175ª Zona Eleitoral, entendeu que o anúncio da coligação de Rafael Greca não é ilícito até o momento. “O simples chamamento pela parte adversária para que o eleitor assista a sua propaganda, anunciando que falará coisas ‘reveladoras’ a respeito do candidato Ney Leprevost não afigura, por enquanto, medida que mereça ser reprimida”, disse na sentença.

Porém a juíza destacou no despacho que está atenta a qualquer violação à legislação eleitoral que possa ocorrer na propaganda da coligação de Greca, “não tolerando qualquer ofensa que possa ser veiculada”.

Faroeste eleitoral

Na eleição ao governo do Estado, em 2014, o então candidato Roberto Requião (PMDB) anunciou durante uma semana que iria disparar no programa televisivo eleitoral uma “bala de prata” que encerraria a carreira política do candidato à reeleição Beto Richa (PSDB). O programa levado ao ar, porém, falou apenas da relação do peemedebista com as mulheres, enquanto eram exibidas fotos da mãe, da esposa e da filha dele.

Apesar de a ameaça não ter se concretizado, a “bala de prata” de Requião causou preocupação na campanha de Richa, sobretudo porque o programa do peemedebista seria exibido na sequência do programa do tucano. Tanto é que a campanha do atual chefe do Executivo usou um longo depoimento do ex-governador Orlando Pessuti – antigo aliado e hoje inimigo declarado de Requião –, no qual ele dizia que o candidato do PMDB tem o histórico de fazer qualquer coisa para vencer uma eleição.

O referido histórico é justamente o caso “Ferreirinha”, que só foi esclarecido depois que Requião já havia vencido a eleição de 1990. O tal matador era um ator que havia sido pago para dizer aquilo.

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Vida Pública

  1.  | Carlos Moraes / Ag. O Dia/Carlos Moraes / Ag. O Dia

    Debate Constitucional

    Flamengo, galinha e chiclete: por que o STF perde tempo com casos irrelevantes?

  2. Na nova proposta para normas trabalhistas , será necessário pelo menos duas semanas corridas de férias. | Henry Milleo/Gazeta

    Direito do Trabalho

    Entenda as mudanças sobre férias na reforma trabalhista

  3. Prédio da prefeitura de Curitiba: Chefe do Executivo municipal, prefeito administra  serviços públicos. | Daniel Castellano/

    Instituições

    Entenda o que faz o vereador, o prefeito e o vice-prefeito

PUBLICIDADE