Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Caro usuário, por favor clique aqui e refaça seu login para aproveitar uma navegação ainda melhor em nosso portal. FECHAR
PUBLICIDADE

sigilo

Governo do PR não divulga lista de passageiros que voaram com verba pública

Tribunal de Contas questiona a falta de transparência sobre a divulgação da motivação dos voos e a indicação dos passageiros

  • Euclides Lucas Garcia
 | Antônio More / Gazeta do Povo
Antônio More / Gazeta do Povo
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

O Tribunal de Contas do Paraná (TC-PR) aponta outra falha, além dos custos elevados, no aluguel de helicóptero feito pelo governo do estado. O TC questiona a falta de transparência sobre a divulgação da motivação dos voos bem como a indicação dos passageiros. Para o tribunal, sem essas informações não há como garantir a legalidade das despesas pagas à Helisul. Além disso, “impede-se que a população tenha acesso às informações no tocante à utilização dos recursos públicos”.

Em resposta ao tribunal, o Secretário Chefe da Casa Militar, Adilson Casitas, afirmou que os voos do governador Beto Richa (PSDB) são realizados no interesse da administração pública e têm suas despesas à disposição da Corte. No entanto, disse que os dados das viagens “são classificados como ‘reservados’, uma vez que a divulgação das informações, se propagadas de modo indevido, podem comprometer os procedimentos técnicos de segurança e de proteção pessoal das autoridades governamentais”.

“Cumpre destacar que eventual sigilo de tais informações deve se limitar ao momento em que são realizados os voos, o que, porém, não afasta a necessidade de registro dos dados e muito menos seu posterior fornecimento aos órgãos estatais de controle (...) para a devida fiscalização sobre o escorreito uso/dispêndio dos recursos públicos”, rebate o TC. Por isso, os conselheiros determinaram que a Casa Militar disponibilize todos os dados ao tribunal.

Recusa à Gazeta

Em setembro de 2013, a Gazeta do Povo solicitou ao governo do estado todos os dados relativos às viagens de avião e helicóptero realizadas pelo Executivo desde janeiro de 2011 até então: custos, motivo e plano de cada voo, passageiros embarcados, e os nomes de quem solicitou e de quem autorizou os voos. A resposta, porém, deixou de fora as viagens feitas pelo governador Beto Richa e pelo então vice, Flávio Arns (PSDB), também por questões de segurança segundo a Casa Militar. Todos os recursos da reportagem para ter acesso às informações foram negados.

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Vida Pública

PUBLICIDADE