Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Caro usuário, por favor clique aqui e refaça seu login para aproveitar uma navegação ainda melhor em nosso portal. FECHAR
PUBLICIDADE

Ofensa

Prefeito criticado no Facebook pede indenização por danos morais

Justiça, porém, entendeu que publicação não teve o intuito de ofender o político

  • Da Redação
 | Reprodução/Bigstock
Reprodução/Bigstock
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

O ex-prefeito de Pires do Rio (GO), cidade a cerca de 140 quilômetros de Goiânia, que entrou com ação de danos morais devido a uma postagem feita em um grupo fechado do Facebook, teve o pedido de indenização negado pela 3ª Turma da 6ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJ-GO).

Em 2013, um eleitor publicou a seguinte mensagem na rede social: “espera um pouco Prefeitão do Povo vai ser cassado e vai deixar os cofres publicos lizim igual barriga de cobra esse gosta de La Lauzar o povo”. Sentindo-se ofendido, o político procurou a Justiça, alegando ter havido abuso de liberdade de expressão por parte do usuário. Para o prefeito, seus direitos da personalidade – como honra e imagem – foram violados

Leia também: Supermercado vai indenizar idosa atingida por garrafa que caiu de gôndola

A Justiça entendeu que o que ocorreu foi somente uma manifestação caracterizada pelo exagero que é particular do debate político, sem intenção de difundir informação falsa ou mentirosa e de atingir a honra do prefeito.

O relator do processo, desembargador Norival Santomé, afirmou que a pouca escolaridade do réu justificava o mau uso das palavras, “muito provavelmente decorrência dos parcos investimentos em educação”. Ainda, segundo o juiz, titulares de cargos de notoriedade devem ter uma maior tolerância a críticas que os cidadãos comuns, já que sua intimidade é limitada.

Para a Corte, a manifestação de pensamento e a liberdade de expressão são garantias constitucionais, que não devem sofrer restrição, desde que sem ofensa à honra de outrem. Os julgadores também levaram em consideração o fato de a postagem ter sido realizada em um grupo restrito do Facebook, e não em um veículo de comunicação de grande circulação.

Colaborou: Mariana Balan.

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Vida Pública

PUBLICIDADE