Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

story
Enkontra.com
PUBLICIDADE

congresso

Na mira de uma reforma, Previdência pode ter contas examinadas por CPI no Senado

Dentre os senadores que assinam o requerimento, 31 são de partidos da base governista, 12 da oposição e dois são independentes

  • Estadão Conteúdo
Paulo Paim (PT-RS) | Waldemir Barreto/Agência Senado
Paulo Paim (PT-RS) Waldemir Barreto/Agência Senado
 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

O senador Paulo Paim (PT-RS) vai pedir nesta terça-feira (21) a criação de uma Comissão Parlamentar Inquérito (CPI) para investigar a situação financeira da Previdência Social. O parlamentar reuniu 45 assinaturas favoráveis à instalação do colegiado, 18 a mais do que o número mínimo necessário para a criação da comissão.

Dentre os parlamentares que assinam o requerimento, 31 são de partidos da base governista, 12 da oposição e dois são independentes. Segundo Paim, o objetivo da CPI será investigar os grandes devedores da Previdência para apurar possíveis fraudes e desvios, além debater a questão do déficit no setor.

Instituições de ensino filantrópicas estão na mira da reforma da previdência

Para ele, o argumento de que a Previdência é deficitária é uma “história mal contada”. “A CPI vai esclarecer se precisa ou não de reforma da Previdência”, declarou. Apesar de já possuir o número mínimo de assinaturas, Paim afirma que a CPI não é uma certeza, já que os governistas ainda podem recuar.

Após a apresentação do requerimento à Mesa Diretora da Casa, será feita a conferência das assinaturas para confirmar o número mínimo regimental, que é de 27. Os senadores podem retirar seus nomes da lista até a meia-noite do mesmo dia. Caso sejam confirmadas as assinaturas suficientes, os líderes partidários já podem indicar representantes para integrar a comissão, porém não há prazo determinado para que isso seja feito.

As mudanças mais polêmicas que Temer quer fazer na aposentadoria

Com duração de 120 dias, a CPI tem poderes de investigação próprios de autoridades judiciais. A comissão pode convocar pessoas para depor, ouvir testemunhas, requisitar documentos e determinar diligências, entre outras medidas. A ideia de criar uma CPI partiu do presidente da Confederação Brasileira de Aposentados e Pensionistas (Cobap), Warley Martins, que buscou o apoio de Paim.

Siga a Gazeta do Povo e acompanhe mais novidades

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Vida Pública

PUBLICIDADE