Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Enkontra.com
PUBLICIDADE

Investigação

PF começa a ouvir envolvidos em denúncias em contratos de hospitais

Polícia instaurou quatro inquéritos envolvendo as empresas denunciadas. Tomada de depoimentos vai até sexta-feira

  • Agência Brasil
 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

O titular da Delegacia de Repressão a Crimes Financeiros e Desvio de Recursos Públicos, Victor Poubel, começa a ouvir nesta quarta-feira (21), no Rio, 17 pessoas que atuam em quatro empresas envolvidas no pagamento de propina para ganhar contratos no Instituto de Pediatria da Universidade Federal do estado (UFRJ), na Ilha do Fundão. A denúncia foi feita domingo (18) pelo programa Fantástico, da TV Globo.

A Polícia Federal instaurou quatro inquéritos envolvendo a Locanty Soluções (da área de coleta de lixo), a Toesa Service (locadora de veículos), a Bella Vista Refeições Industriais e a Rufolo Serviços Técnicos e Construções. A tomada de depoimentos vai até sexta-feira (23).

Com a ajuda da direção do hospital, um repórter do programa se passou por gestor de compras da instituição durante dois meses e simulou uma chamada de licitações em regime emergencial. Nesse período, as negociações com representantes das empresas foram gravadas. Para vencer a licitação, representantes das empresas sugeriram o pagamento de propina. As empresas envolvidas negaram, por meio de nota, que paguem suborno para garantir vendas ou contratação de serviços em processos licitatórios.

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Vida Pública

  1. Na nova proposta para normas trabalhistas , será necessário pelo menos duas semanas corridas de férias. | Henry Milleo/Gazeta

    Direito do Trabalho

    Entenda as mudanças sobre férias na reforma trabalhista

  2. Prédio da prefeitura de Curitiba: Chefe do Executivo municipal, prefeito administra  serviços públicos. | Daniel Castellano/

    Instituições

    Entenda o que faz o vereador, o prefeito e o vice-prefeito

  3. Plenário da Câmara Municipal: cada curitibano pagou R$ 55,34 pelo funcionamento da Casa. | Henry Milleo/Gazeta do Povo

    polêmica em curitiba

    Benefícios de vereadores vão além de carro, gasolina e selos

PUBLICIDADE